The Spirit – O Filme (The Spirit)

Cinema quinta-feira, 19 de março de 2009

 Baseado na série de quadrinhos de Will Eisner, The Spirit – O Filme é uma aventura clássica de ação e romance, adaptada para as telas e dirigida por Frank Miller (criador de 300 e Sin City). É a história de um ex-investigador novato da polícia que retorna misteriosamente do mundo dos mortos como Spirit (Gabriel Macht) para combater o crime nas sombras de Central City. Seu arquiinimigo, o Octopus (Samuel L. Jackson) tem uma missão diferente: aniquilar a amada cidade do Spirit enquanto busca a sua visão pessoal da imortalidade. O Spirit persegue esse assassino frio percorrendo os armazéns soturnos e esgueirando-se por catacumbas úmidas e pelas docas açoitadas pelo vento de Central City… enfrentando ao mesmo tempo um bando de beldades que querem seduzir, amar ou matar nosso cruzado mascarado. Ao seu redor a cada reviravolta estão Ellen Dolan (Sarah Paulson), uma garota comum, mas muito inteligente; Silken Floss (Scarlett Johansson), uma secretária misteriosa, fatal e frígida; Plaster de Paris (Paz Vega), uma assassina dançarina francesa de cabaré; Lorelei (Jaime King), uma sedutora fantasma; e Morgenstern (Stana Katic), uma investigadora jovem e sexy.
E há ainda, obviamente, Sand Saref (Eva Mendes), a ladra internacional de jóias com curvas perigosas. Ela é o amor frustrado da vida do Spirit. Ele a salvará ou ela o matará?

Antes que comecemos, um aviso: O filme não faz nenhum muito sentido, sendo totalmente excelente se você considera-lo uma obra trash, uma daquelas produções c [Não é nem b, pra você ter uma ideia]. Dito isso, vamos à uma resenha séria. Não, é séria mesmo!

 O que presta no filme: As gostosas.

O filme é estranho. Não digo estranho de diferente. É comum e estranho. Uma estranheza ruim. Eu sei que tá todo mundo metendo o pau, mas eu também vou meter o pau, ora essa! Mas que espécie de filme de ação é esse em que, nas cenas teoricamente de ação, fazem rir? Aliás, que porra de filme de ação faz você rir o tempo TODO?

 O que seria de nós sem as gostosas?

A tentativa de enredo deve ter feito Will Eisner [Se bem que eu nunca li um gibi dele] se revirar no túmulo: Spirit tem de deter Octopus, que é um vilão falante e babacão, apesar de ser um supergênio, e que tem a ajuda de sua assistente, a maligna Silken Floss [Com um nome que lembra fio dental], aliás, diliça de molér essa Scarlett Johansson. Acontece que o Octopus quer tomar o sangue de Hércules pra ficar fodão de vez, enquanto Sand Saref, antiga namoradinha do Spirit que gosta de coisas brilhantes, quer o pelego velocípede velo de ouro. E tem também Ellen Dolan, uma médica apaixonada por Spirit, além de Morgenstern, uma policial apaixonada por Spirit, Plaster de Paris, uma dançarina apaixonada por Spirit e Lorelei, que eu achei que era a morte em pessoa, mas segundo a resenha ali em cima é só uma fantasma boazuda. E que é gamada no Spirit. Ou seja, todas as mulheres do mundo querem dar pra ele. E ele só pensa em salvar a cidade. Só tenho uma palavra pra isso: MANÉ!

 E mesmo assim, elas não mostram tanto quanto deviam…

Em suma, o filme não faz sentido, apesar de ser engraçado boa parte do tempo, mas é por ser uma porcaria, mesmo. Tem coisa melhor pra você ver, certeza. Vai na locadora e pega um Batman. Qualquer um deles. Vai ser melhor.

The Spirit – O Filme

The Spirit (208 minutos – Ação)
Lançamento: EUA, 2008
Direção: Frank Miller
Roteiro: Frank Miller e Will Eisner
Elenco: Jaime King, Gabriel Macht, Dan Gerrity, Arthur the Cat, Kimberly Cox, Brian Lucero, David B. Martin, Larry Reinhardt-Meyer, Frank Miller, Eva Mendes

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito