Sucker Punch – Mundo Surreal (Sucker Punch)

Cinema quinta-feira, 24 de Março de 2011
 É como um soco

Uma jovem (Baby Doll, ou Bonequinha em português) é trancafiada em um hospício por seu padrasto, onde será submetida a uma lobotomia no prazo de 5 dias. Fugindo para um mundo fantastico na sua imaginação, ela tira os elementos necessarios para realizar a fuga de sua prisão junto com mais quatro companheiras. Com uma mistura de fantasia e de realidade elas precisam conseguir 5 itens antes que seja tarde demais.

O pior tipo de filme, pra mim, é aquele que você cria uma expectativa e a arruina. Se você pensa assim então Sucker Punch – Mundo Surreal vai ser um ótimo filme, porque ele simplesmente faz como a expressão sugere, e acaba sendo um soco inesperado, pois superou minhas expectativas em muito. Olha que antes de ir eu estava tão impaciente quanto um garoto esperando o presente de natal, e isso que eu só tinha visto o trailer.

Começamos com o cenário sombrio e melancólico, assim logo no começo do filme começa a tragédia, uma de muitas a vir. Nisso, como é de costume quando se vê um filme de ação, você se prepara pra uma cena de luta que deve estar próxima. Entretanto, estou totalmente errado: É mais tragédia, mais angustias ou mais injustiças e quando se vê você já está grudado na cadeira esperando o pior acontecer. Acredite, não é tão ruim quanto parece, é só um filme onde existem elementos clássicos, também conhecidos como clichês, mas eles estão tão dispersos que fazem com que o previsível simplesmente se esfarele.

 O vilão sempre é pior com el bigodon.

Não que o filme seja somente tragédia, mas o clima sombrio que ele cria é quase tão gótico (Não confunda com os fãs de Cradle of Filth, esse é outro tipo de gótico) quanto os contos de Edgar Allan Poe, conseguindo misturar com elementos dignos dos Irmãos Grimm e juntar com elementos de mangá e/ou HQ. Se está parecendo estranho agora, espere até ver o filme, tudo será desvendado.

O filme tem robôs? Sim.
Tem nazistas? Sim.
Tem garotas vestidas de universitárias? Sim.
Espadas? Sim.
Armas de Fogo? Sim.
Aviões? Sim.
Samurais?! Sim.
Explosões?!?! Sim.
Dragões?!?!?! Isso já tá ficando repetitivo… SIM
Então minha namorada não vai gostar. Ai que você se engana.

Além de ser um filme com várias referências ao universo normalmente masculino dos filmes de ação, o mesmo traz os elementos de drama, com personagens complexas e um limite tênue entre a realidade e a ficção. Mas é um drama diferenciado, podendo ser até complexo, já que não tende para o lado romântico, mas sim pelo lado trágico da história, afinal é uma menina de 20 anos que luta para não ser lobotomizada, e o pior que isso nem é o começo.

 A beleza do filme é evidente.

Pra ficar mais claro, vou usar de exemplo outro filme que a própria Emily Browning (Baby Doll) fez: Desventuras em Série (2004) tem um clima PARECIDO (Por favor, não confunda com igual) e um drama PARECIDO, e claro, sem as comédias. Então o filme é parecido? Não. Quem leu o livro do Desventuras em Série talvez entenda melhor. O Desventuras em Série tem um clima triste, já em Sucker Punch é um clima triste e gótico, com maravilhosos toques da mais pura ação hollywoodiana.

 Que belos…er… robô.

A coreografia da batalha é ótima. É surreal e ao mesmo tempo parece não ser impossível. Claro, não possível ao ponto de que eu acredite que algum dia uma menina de 20 anos consiga fazer tudo aquilo sem ter vindo de Krypton, mas é diferente dos outros filmes de ação ou de fantasia na fluidez dos movimentos e de que na batalha é cada um por si, onde os resgates mágicos não acontecem.

Já tem tudo que a maioria dos espectadores homens querem, e o drama e complexidade que a maioria das espectadoras vão querer; tem um método de filmagem que leva o espectador para o mundo em que elas vivem, e exprime os sentimentos que elas sentem; então só falta falar da trilha sonora.

 “Eu ouço nerds.”

As melhores palavras pra expressar a trilha sonora são: “É ótima”. Não que eu ame todas as bandas, mas a imagem e o som se juntam transformando a ação em uma sinfonia de destruição enquanto as garotas metem bala e picotam os inimigos. Uma das músicas que eu achei que nunca daria certo num filme desse é a musica Army of Me da Björk, que acabou sendo uma das melhores junto com White Rabbit da Grace Slick, na minha opinião. Aqui segue um site que tem as músicas para quem quiser dar uma olhada.

 Colegiais com espada, isso que é cinema.

No final, apesar de ter elementos de ficção e de ação, o enredo é profundo e bem adulto, e com essa mistura de elementos acho difícil o produto final ficar ruim. Então nem espera muito, o filme estréia dia 25/03/11, chama seu amigo, namorada, namorado, qualquer pessoa pra ir que é quase certeza que todos vão gostar. Se não gostar também, vai ver se eu tô na esquina, implicante!

Sucker Punch – Mundo Surreal

Sucker Punch (109 minutos – Ação)
Lançamento: 25.03.2011
Direção: Zack Snyder
Roteiro: Zack Snyder e Steve Shibuya
Elenco: Emily Browning, Abbie Cornish, Jena Malone, Vanessa Hudgens, Jamie Chung, Carla Gugino, Jon Hamm, Scott Glenn, Oscar Isaac, Vicky Lambert, Ron Selmour, Danny Bristol, Malcolm Scott, Frederique De Raucourt

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Marina

    Nossa, faz meses que eu estou querendo ver esse filme.

  • Loney

    Li Desventuras em Série completo… veio de lá o “Loney” inclusive… e o tem a Emily Browning… já sei que vou ver esse filme e acharei foda, não importa o que aconteça.

busca

confira

quem?

baconfrito