Stranger Things

Televisão terça-feira, 19 de julho de 2016

A nostalgia é uma vadia. E eu não estou falando de canais de youtubers pseudo nerds, não senhores. Eu to falando daquela falsa lembrança de que na minha época tudo era muito melhor. E é justamente por causa dessa maldita nostalgia que eu juro pra mim mesmo, e muitas vezes para os outros, que os filmes da década de 80 são clássicos e jamais serão superados por remakes, reboots ou filmes novos que tentam beber da mesma água. Eu sei, eu to errado, mas foda-se. E então quando aparece alguma coisa nova homenageando aquela época maravilhosa (80’s 4evah), que eu praticamente não vivi (89, bitches), eu dou uma bela duma pagada de pau, como ocorreu com Kung Fury e agora com essa delícia de Stranger Things.

O que acontece é mais ou menos o seguinte: Quatro moleques nerds tão jogando RPG no porão da casa de Mike, o Mestre, e se fodem na mão do Demogorgon. Calma, isso ainda é no jogo. Após 10 horas de jogo e um terrível massacre, os três jogadores, Lucas, Will e Dustin, despedem-se de Mike e vão embora. O problema é que no meio do caminho tinha um monstro, tinha um monstro no meio do caminho, que persegue Will e o moleque desaparece. Todo mundo fica preocupado e começam as buscas pelo moleque e também começa o problema enorme de falta de comunicação que os personagens da série tem.

Para procurar Will, a série divide-se em 3 grupos diferente, que estão ligados mas ao mesmo tempo não. Mike, Lucas e Dustin encontram Eleven, garota estranha que fugiu de um laboratório, tem poderes e aparentemente sabe onde Will está. Jonathan, irmão de Will e Nancy, irmã de Mike, veem a criatura e resolvem matá-la por conta própria. E por fim, mas não menos importante, temos Joyce, a mãe de Will e Jonatan, que jura que está se comunicando com o filho desaparecido através de lâmpadas e todo mundo acha que ela surtou e o Xerife Hopper, que é definitivamente o xerife menos idiota que eu conheço da ficção.

Cada um desses grupos descobre uma parte diferente do quebra cabeça, que só estará completo quando eles se encontrarem, coisa que demora pra caralho pra acontecer graças a galera do laboratório onde Eleven desapareceu, que está encobrindo as próprias cagadas, fazendo queima de arquivo, substituindo cadáveres, essas coisas que deixam qualquer fã de teoria da conspiração maluco. Quer dizer, mais maluco.

Por fim, é impossível você não comparar a série com Goonies, ET, O Extraterrestre e Slender. Todas essas referências e muitas outras estão ali. Os 3 moleques nerds são a grande alma do programa e as referências a Star Wars (LANDO) e Dungeons & Dragons (DEMOGORGON) são sensacionais. Aliás, uma das respostas mais importantes do paradeiro de Will é encontrada num livro de Dungeons & Dragons. É difícil falar da série sem entregar e estragar boa parte da experiência, mas basta saber que se você é um nerd que alugava fita no fim de semana, você vai amar essa série. E se você não é um nerd que alugava fita no fim de semana, você também vai amar essa série, que é definitivamente uma das melhores coisas já feitas pela Netflix.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Vitor Piovezam

    Estava na duvida cruel se assistia ou não, seu texto me convenceu, irei assistir em breve !

  • Luiz Carlos Santos

    Boa dica !!

busca

confira

quem?

baconfrito