Relíquia Macabra (The Maltese Falcon)

Filmes bons que passam batidos domingo, 04 de Abril de 2010

O filme desta coluna se enquadraria muito melhor no Bogart é Tanga! do que Filmes Bons Que Passam Batido, sendo que ele é um dos filmes mais importantes da história do cinema, por ser o primeiro filme noir feito, mas como eu escrevo para um bando de noobs adolescentes aversos a filmes antigos e preto e branco, o texto vai ser postado aqui mesmo.


Aposto que 50% 75% todos vocês leram a palavra noir no parágrafo acima e boiaram né? Como eu finjo ser sou muito bonzinho, explicarei para vocês o que é noir, porque senão vocês não vão entender a importância dessa obra. Noir é a palavra francesa para preto, e essa é a principal característica desse gênero cinematográfico das décadas de 40 e 50, filmes com ambientes escuros, com sombras e cenários noturnos prevalescentes. Esses filmes são quase todos policiais investigativos, onde o personagem principal quase sempre é solitário e de personalidade forte, sejam eles canastrões ou inseguros. Depois dessa aula de cinema, vamos ao filme:

Relíquia Macabra (John Huston, 1941)

Sinopse: Um grupo de pessoas farão de tudo para colocar as mãos em uma estátua de um pássaro coberta de ouro e cheia de jóias preciosas por dentro. Samuel Spade, o personagem de Humphrey Bogart, é um detetive particular que é contratado por uma mulher misteriosa, que está envolvida com um homem misterioso. Contando sua história, Samuel logo percebe que a mulher está mentindo e, quando o seu parceiro é assassinado, descobre estar participando de uma complicada história envolvendo a busca pelo tal falcão, enquanto diferentes personagens cheios de segredos vão cruzando seu caminho.

 Lágrimas de crocodilo

Samuel Spade (Humphrey Bogart) é um detetive, que não usa armas, e após o apelo desesperado (E falso, que ele logo saca) de uma mulher que o implora por contratá-lo resolve aceitar um caso. Como o cara aqui é o Bogart, ao invés dele mesmo ir averiguar os fatos, manda seu parceiro ir no lugar. Não dá outra, o cara é assassinado. Vocês acham que o cara fica sentido e com remorço? Que nada, esqueceram que o personagem aqui é do Bogart? Quando lhe é dada a notícia do óbito a primeira coisa que Spade faz é mandar retirar o nome do parça da placa do escritório e quando a viúva dele aparece lá, somos apresentados ao “outro caso” de Spade, se é que vocês me entendem (Vocês não entenderam né? O cara era amante dela, noobs).

Só depois de se ligar que está sendo investigado pela polícia, e seu pescoço tá mais na corda que o do Tiradentes, que Spade vai investigar o caso por si mesmo. Ao re-encontrar com mulher do caso (O primeiro caso) e ser visitado por um peculiar e elegante bandido, descobre a existência de uma misteriosa relíquia, um falcão todo de ouro e de valor imensurável, e a partir daí se envolve em numa trama muito confusa: Ou ajuda a mulher por quem nutre um affair ou se deixa seduzir pelo dinheiro oferecido por conta do falcão. Certo dia ele recebe por um cara quase morto, um embrulho com a tal relíquia.

 3 pra mim, 1 pra você

SPOILER

O final, como de costume, é interessantíssimo: Após uma ardilosa negociação com todos os envolvidos, Spade consegue esclarecer todas as mortes e na entrega do falcão, que é falso, coloca todo mundo na cadeia, inclusive seu affair, depois de uma mentirosa declaração de amor.

Acho que deu para perceber as características noir do filme no personagem de Bogart (No melhor papel de sua carreira). O filme foi feito para Bogart brilhar, e ele não fez feio. Até as falas exageradas são um charme à parte, pois como havia pouco tempo da transição do cinema mudo para o falado, vários atores freqüentavam aulas de fonética, como é visto em Cantando na Chuva, e Bogart era o ator que melhor se saía nesse quesito. E é por essas e outras que o Bacon tem um quadro em sua homenagem. Esse texto merecia ou não estar em Bogart é TANGA!?

Relíquia Macabra

The Maltese Falcon (101 minutos – Noir)
Lançamento: EUA, 1941
Direção: John Huston
Roteiro: Dashiell Hammett, John Huston
Elenco: Humphrey Bogart, Peter Lorre, Mary Astor

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Comprei uma coleção de grandes clássicos do cinema e este filme está entre eles.Muito interessantes as curiosidades por trás das filmagens e da história (o filme vem junto com um livreto que conta a história toda da produção).Muito bom o texto, realmente essa jventude (falo isso do auge dos meus 20 anos rsrs) não se interessa pelos clássicos ou gêneros

busca

confira

quem?

baconfrito