Quarentena (Quarantine)

Cinema quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

  A repórter de TV Angela Vidal e seu câmera são designados á passar o turno da noite num Corpo de Bombeiros de Los Angeles. Uma chamada de emergência de rotina os leva a um pequeno prédio de apartamentos onde eles encontram policiais atendendo a um chamado a respeito de gritos horripilantes em um dos apartamentos. Eles logo descobrem que uma mulher morando no prédio foi infectada por algo desconhecido. Após alguns dos residentes serem ferozmente atacados, eles tentam escapar com a equipe do noticiário, mas descobrem que o Centro de Controle de Doenças colocou o prédio sob quarentena. O acesso à telefones, internet, televisores e celulares foram cortados e os oficiais responsáveis não informam nada àqueles que estão do lado de dentro. Quando a quarentena finalmente é suspensa, a única evidência do que aconteceu ali é a fita da equipe do noticiário.

Porra, eu lembro que o Juno, quando resenhou o filme em que esse foi inspirado, [Rec], disse que Quarentena ia ser uma bosta, que vocês tinham que procurar o filme certo, blá blá blá.

Pois bem, eu não assisti [Rec] [que aliás parece já ter uma continuação a caminho], mas um gordo que assistiu os dois disse que Quarentena é melhor. E é um gordo que curte piroca filmes de terror. Mas vamos à resenha.

 Sefodeo.

Tudo começa com a repórter Angela Vidal e seu cameraman, Scott em uma cobertura no quartel dos bombeiros de Los Angeles. É até meio desconcertante, já que os minutos iniciais são de piadas e descontração. Foi meio que porra, eu vim aqui ver um filme de gente morrendo e esse povo fica de mimimi? Pelo menos são piadas engraçadas! Mas, depois de várias gracinhas, a dupla de bombeiros que Angela e Scott estão seguindo é chamada em um conjunto residencial, onde foram ouvidos gritos horrendos. E os jornalistas não poderiam deixar de ir juntos. Raça do inferno.

  “Não vai sair ninguém, porra!”

Chegando lá, descobrem que os gritos foram de uma moradora, que não tá muito bem. E o resto eu não vou falar, porque é muito spoiler. Mas cês podem saber que tem cenas em que, se você não se controlar, vai gritar “YEAH!”, igual eu fiz. Tipo a da marreta. Sem contar que mais pra frente você, junto com os personagens, descobre o que causou aquilo. Ou não, já que vocês eles são umas mulas.

 “Esse mês eu não pago condomínio!”

O filme é muito bom, e não fica na sombra de [Rec], já que não é só uma regravação quadro-a-quadro, é uma evolução, ouso dizer. Cenas que não existiam foram adicionadas, e não são apenas penduricalhos, realmente te fazem entrar mais no clima da bagaça. O negócio impoe um clima de horror mesmo, como promete, e vai além. Vi nego acostumado com esses filmes afundar na cadeira igual na areia movediça.

Quer se cagar? Esse é o filme.

Quarentena

Quarantine (89 minutos – Horror)
Lançamento: EUA, 2008
Direção: John Erick Dowdle
Roteiro: John Erick Dowdle e Drew Dowdle
Elenco: Jennifer Carpenter, Steve Harris, Jay Hernandez, Johnathon Schaech, Columbus Short, Andrew Fiscella, Rade Serbedzija, Greg Germann, Bernard White, Dania Ramirez.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito