Porque os futuros clássicos agradecem a derrota de Avatar?

Clássico é Clássico segunda-feira, 15 de março de 2010

Como vocês já devem ter visto aqui, a cerimônia mais injusta famosa do cinema, surpreendeu a todos dando o prêmio de melhor filme a Guerra ao Terror, um filme que custou cerca de 50x menos do que o favorito Avatar. E vocês não sabem como isso foi bom para mim o cinema.

Primeiro, Guerra ao Terror mereceu o Oscar?

NÃO.


Guerra ao Terror é o típico filme feito para você ver no Tela Quente. Muito melhor do que outros filme de ação lançados nos últimos anos (Talvez sendo exceção a Trilogia Bourne) é verdade. Porém, como é comum ao gênero, com roteiro (Cuja vitória foi uma das coisas mais escabrosas de todos os 82 anos de Oscar) e atuações fracas. E por isso mesmo, pau a pau com Avatar (Cuja falta de indicação nesses prêmios deixa ainda mais evidente). E junto à Um Sonho Possível, são os três filmes* mais fracos dentre os dez. Até o abaixo da média Um Homem Sério é mais filme. Mas enfim.
*Sim, reconheço a importância de Avatar e acho válida sua indicação a Melhor Filme. Mas nada mais do que isso. O ponto é que tirando os aspectos visuais, não há nenhuma genialidade presente na obra.

Então porque devemos agradecer a vitória deste filme (Literalmente) de DVD?
Se precisasse dar a resposta em uma palavra, ela seria: Futuro. Esqueça Guerra ao Terror, ele não tem nenhuma competência para se tornar (E não se tornará de fato) um clássico, e, em breve, será esquecido como tantos outros vencedores. O que devemos celebrar é a decisão da academia de não deixar todo o “bafáfá” (E eu não acredito que me utilizei dessa expressão) gerado por Avatar definir os rumos da indústria, uma vez que se o filme de Cameron tivesse vencido seria determinante para a tecnologia CGI tomar contar de todos os filmes. E não é “medo do futuro tecnológico” que me faz dizer isso, mas o medo de roteiros e atuações (E até mesmo direção) ficarem em segundo plano, sendo os efeitos especiais o suficiente para gerar bilheterias bilionárias. E como todos já sabem, esta já é uma tendência consolidada no cinema hollywoodiano. E este é meu medo – escancarar a, já aberta, porta para a mediocridade (Escondida sob um manto tecnológico).
Antecipando aos possíveis comentários me chamando de hipócrita, por defender, nesse caso, a vitória do também medíocre Guerra ao Terror – justifico minha defesa pela trajetória presente nos bastidores do filme. Guerra ao Terror foi uma obra independente (De apenas 11 milhões de dólares), financiado por produtores, a diretora e o roteirista, realizado por pessoas que acreditavam em seu trabalho, e que como muitas obras do gênero, foi totalmente esquecido – sendo vendido em um festival como “sobra” por míseros 1,5 milhões. Não a toa foi lançado no Brasil, no começo do ano passado, direto em DVD. Até que, por motivos midiáticos, o filme (Foi revivido) e passou a receber um gigantesco apoio da imprensa no segundo semestre de 2009, que resultou com a massacrante vitória no BAFTA e posteriormente no Oscar. É o mito de Davi, com vestes de soldado, contra o Golias azul. Uma batalha de baixa qualidade, mas que nos passou a mensagem de que nem tudo está perdido na Academia – sendo a vitória de Guerra ao Terror apenas mais um passo curto em direção ao inferno cinematográfico, e não um salto, como seria com a vitória de seu adversário direto.
De fato, no final o cinema perdeu de qualquer jeito. Uma queda esquecível porém, e que nos permite olhar para um futuro em que tudo ainda é possível (Mesmo sem CGI) – até para os pequenos. Se bem que, nesse caso, medíocre por medíocre seria mais efetivo a vitória de A Bruxa de Blair 3 Atividade Paranormal.

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • murilo

    Se Avatar ganhasse o Oscar seria um atestado da Academia de que filme não é arte. É negócio.

  • @murilo

    Todo mundo sabe que Oscar não é sinônimo de qualidade. A história está aí pra provar!

  • Vassourada,

    o que me preocupa não é o fato do insosso/americanista/patriotista/engulamNossosHeroizista “Guerra ao teror” ter sido o vencedor, tampouco o EngulamMinhaTecnologiaPhodastica “Avatar” tenha perdido.

    o que vejo nisso, e fico muito preocupado, é que desde 2006 com “Crash – No Limite”, não temos um filme que realmente valha a pena o título de grande ganhador. Nem entre os concorrentes e menos entre os vencedores. Em 2007 o apenas bom “Os Infiltrados” e em 2008 o fraquíssimo “onde os fracos não tem vez.” com direito a trocadilho. O lance é que os filmes com bons roteiros e direção, estão perdendo espaço. A banalidade tanto do tema quanto da qualidade discutível do uso do ca$h para criar megaproduções, coloca em dúvida o caminho a ser tomado pelo cinema. Creio que o blockbuster seja necessário para a vida de hollywood, mas quando veremos novamente filmes que valham a pena ostentar o título, como “Uma mente Brilhante” de 2002?

  • Minduim

    É triste ver o que está sendo feito com o cinema atualmente. O Oscar perdeu SIM seu glamour, sua verdadeira razão de ser, para hoje ter se tornado em mais um dos passos para a divulgação e fonte de renda de um filme. Esse ano 10 filmes foram indicados. Dois, pra mim, realmente mereciam: BASTARDOS e UP. Ambos consolidando a maturidade: o primeiro de Tarantino e o segundo, da Pixar. E abos foram praticamente esquecidos. Pior que esses, ficam os que nem indicados ao Oscar foram, mas que são grandes obras. Um bom exemplo disso é a refilmagem do sueco Brødre, ENTRE IRMÃOS. Um filme que muitos relevam, outros nem conhecem, mas que tem tanto um discurso anti-bélico à Guerra do Iraque, no que diz aos efeitos da guerra aos soldados e suas famílias, como belas atuações de Natalie Portman, Tobey Maguire (assustador), Sam Shepard e da pequena Bailee Madison, que protagoniza uma das sequências mais tensas que vi num filme nos últimos anos.
    Enfim, filmes fantásticos estão sendo esquecidos por conta de dinheiro e interesses. Por mais que Guerra ao Terror tenha sido barato e tal, ele nunca ficaria de fora dessa competição. Chego até a pensar que sua presença ali tenha sido obra de Cameron. Ele não queria mais Oscar dos que ele realmente sabia que ganharia. Pra mim, ele queria é se livrar de uma pensão alimentícia dandos os dois principais Oscars do ano pra ex-mulher… Pura conspiração…

  • @Charles Bh
    Meu caro conterrâneo, você não deve ter entendido “Onde os Fracos Não Tem Vez”, pq é um filmaço.

    Nunca vi um filme dos Irmão Cohen que possa ser chamado de “fraco”.

  • Uiara

    Eu confesso que gastei alguns nano segundos da minha vida tentando lembrar se o Golias era azul.

    E, por mim, o CGI deveria ser abolido. Filme bom é filme com GENTE, em todos os aspectos.

    @Yuri
    Eu tenho que concordar com o noob ali. Os Coen só tem filmão, exceto pelo Onde os fracos não tem vez. Foi altamente dormível, sinceramente.

  • @Yuri @Uiara
    Cês curtiram UM HOMEM SÉRIO? É um bom filme, mas só pq é dos Coen. Pq de resto, longe de ser filmão…

  • @Uiara

    Nó.. eu achei doido d+. A Banalização da violência é muito maior que em Fargo.

    Os filmes dos caras são completamente complexos, nada tá lá de maneira gratuita. Muita gente não presta atenção em muita coisa e perde a mensagem final.

    Top3 Irmão Cohen:
    Barton Fink
    Onde Os Fracos Não Tem Vez
    Fargo

  • @Minduim
    É um filme bom, que não faz feio na filmografia deles.

    @Uiara
    Acho q a gnt nunca vai concordar em nda!

  • Eu concordo plenamente! Acho que Avatar nem tantas indicações merecia, no máximo de Maquiagem ou efeitos visuais…rsrs…Achei o filme um porre, pra ser sincera! Não sei Guerra Ao Terror porque ainda não vi, mas achei que pelo menos melhor direção deveria ganhar só pra ter o gostinho de uma mulher ser a primeira a ganhar o prêmio de diretora! :)
    =1

  • Uiara

    @Yuri
    A gente concorda que os Coen são sensacionais.

  • @Yuri @Uiara
    TODO MUNDO concorda que os Coen são sensacionais. Se não concordam, não gostam (muito menos entendem) de cinema e merecem uma vala comunitária no meio de um lixão.

  • Charles Cristiano

    @yuri cara, não tenho nada contra os coen, mas sinceramente, “onde os fracos bla bla bla” é sim fraquíssimio e sofrível. como disse a @uiara, é dormível. e olha que dá sono nos primeiros 20 minutos.

    Não é o caso de entender. Toda estrutura e enredo dele estão errados, e destoa de toda história dos caras.

    Mas como sempre a academia(que é o foco de discussão aqui) vem agraciar um típico filme americanista e sem graça.

    Como foi dito, coitado do Tarantino, vendo o maravilhoso “Bastardos” perdendo para o “engula-me pois sou um soldado phoda”.

  • vassourada

    Eu juro que não vou jogar lenha na discussão, mas só pelo prazer de dar a minha opinião – Onde os Fracos é um dos melhores filmes dos Coen (junto com Barton Fink, Fargo e O Grande Lebowski).
    Acredito que ele seja muito “ame ou odeie”, por se o único filme dos irmãos, cujo roteiro é adaptado – mas eu achei magistral. Aliás, ouso dizer que eles não tem filmes ruins – mesmo os mais fracos (como The Ladykillers) são acima da média (e com humor negro refinadíssimo).
    Concordo com Yuri no ponto de “Um Homem Sério” ser mais uma boa adição ao currículo dos Coen. Se eles continuarem nesse ritmo, penso que podem construir uma filmografia ainda mais invejável.

  • Felipe

    Cara vc esqueceu de inglourious basterds que foi o melhor filme de 2009 e considerado por muitos o melhor da careirra de tarantino. como é possivel esquescer a equipe do oscar ter essquecido este que PROVAVELMENTE será um classico da industria. como vc pode dizer que guerra ao terror mereceu tirar o oscar de avatar sem antes dizer que esse mesmo era um posto mais que obvio de Inglourious B. que dispõen de roteiro, diretor, equipe, som, e é um filme muito melhor que hunt locker. a vitoria de avatar ja foi demonstrada nas bilheterias, mais e a dos bastardos? será que eles não mereciam pelo menos melhor roteiro? acredito que deve ser muito tentador para aqueles velhos mediocres poder escolher o filme que os marcará na historia com a primeira diretora vencedora do oscar ou fazer um premio justo e equilibrado entre os melhores aspectos tecnicos (avatar) e o melhor filme (Basterds) do ano.
    isso mais que uma questão cinematografica é uma questão patriotica, porque houveram até algumas cidades norte americanas que proibiram a exibiçao de avatar por ter ideais contrarios a cultura do pais e por hunt locker ser um filme (mesmo que indiretamente) militar e alistador de tropas para a guerra iraquiana, esse apelo é ainda mais visivel quando em um trecho do filme os soldados do USA jogam gears of war do qual jovens se identificarão e verão similaridades entre o game e a guerra do iraque.

busca

confira

quem?

baconfrito