Overdose Sci-Fi: Ganhe o Guia do Mochileiro das Galáxias

Livros sexta-feira, 23 de maio de 2008

SCI-FI
Pois é, quando um site tem grande acesso, ele pode se dar ao luxo de dar prêmios para seus leitores. Coisas assim você já conferiu aqui no Ato ou Efeito. Como tudo que a gente toca ou vira um exemplo pra todo mundo ou caso de vergonha total, venho até aqui anunciar a todos os leitores que ainda não conferiram a nossa seção AOE Blogs uma promoção.
Pois bem, um de nossos parceiros não-sexuais e possivelmente assexuado está a fazer uma promoção que irá comemorar seus 5 anos de carreira bloguistica, se é que essa palavra existe. De presente para seus leitores, ele estará sorteando dois livros: o primeiro é O Guia do Mochileiro das Galáxias, que você já deve conhecer por aqui. O outro livro se chama Ficções, do Jorge Luis Borges, que admito nunca ter lido. Podem me executar agora.
Para participar é simples: É só fazer um Post em seu blog ou site contando o maior mico ou roubada que vocês já passaram e avisar o cara com o link. O post que detalha a promoção pode ser conferido aqui e o vencedor leva os ois livros pra casa. Como eu também quero participar, lá vai uma história minha, até porque não é difícil eu entrar em roubadas:

Tudo começa em um dia que eu tinha resolvido ir para o centro de Curitiba, fazer exatamente o que eu não me lembro, mas eu estava indo pra lá. Lá estava eu, todo concentrado, com um livro na mão pra variar um pouco, quando do meu lado se encostam duas velhas e começam a conversar. O sol estava batendo exatamente onde elas estavam e uma delas sugeriu saírem dali e esperar em outro canto. Como a vida é um lugar engraçado, entra no tubo exatamente nesse momento um bêbado, que ao ver as duas se afastarem, começa a gritar com elas:
– EI, SUAS VACAS! EU NÃO SOU LADRÃO NÃO, EU TÔ INDO PRA CASA PORQUE EU MORO NO CENTRO AQUI TÍ A MINHA CHAVE DO HOTEL E VOCÊS ACHAM QUE EU VOU ROUBAR VOCÊS? SUAS VELHAS METIDAS PIRANHAS! MEU PAI É SARGENTO E EU PODIA ACABAR COM VOCÊS AQUI, MAS EU SOU LIMPO, NÃO FAÇO ISSO (complete com o papo de bêbado de sempre aqui por mais umas 4 linhas)
Nessa hora, as mulheres começaram a desfiar um monte de desculpas para o cara e ele ainda continua a xingar elas. Como já disse, a vida é engraçada e dou uma chance pra vocês adivinharem ao lado de quem o bêbado foi se encostar para gritar com as mulheres.
Pois bem, lá estava eu, ao lado de um Pudim de pinga, com mais álcool que sangue no corpo, com cara que tinha acabado de sair de um puteiro, gritando ao meu lado e atrapalhando minha leitura. A essa hora, deviam ter umas 20 pessoas no tubo, além dos já citados aqui. Depois de ter minha leitura atrapalhada, eu já não conseguia mais ler em paz e como o livro era um pouco largo, o fechei com força, fazendo um barulho que calou a boca do bêbado por alguns segundos, pois ele logo havia retomado suas ofensas sem sentido.
Nessa hora, sei lá o que me deu, eu resolvi que isso tinha que acabar. Virei por lado, olhei bem pra cara do bêbado e falei pra ele calar a boca, que ele estava incomodando todo mundo.
-OLHA Só, TEM UM CARA AQUI QUE NÃO É GAGO NÃO! FALA FIRME, NEM TEM MEDO! TEM QUE OUVIR O QUE UM CARA DELE TEM O QUE FALAR E EU VOU FICAR QUIETO ANTES QUE ELE ME FAÇA ALGO!
Nisso, ele fica quieto por uns 2 minutos, me encarando. Retiro o livro da mochila novamente e sob olhares de todos no tubo, retomo minha leitura. De repente, esse filho-da-puta começa a resmungar:
-Quem pensa que é pra me mandar a calar a boca? Acha que sou gago? SOU FILHO DE GENTE GRANDE, NÃO DEVIA MEXER COMIGO, TENHO DINHEIRO MORO NO CENTRO (E basicamente tudo o que ele tinha dito antes, agora direcionado a minha pessoa).
Pensei: “Já que comecei, é melhor terminar”. Enquanto ele falava/ gritava, guardei o livro novamente e peguei no ombro dele, apertando sutilmente, enquanto falava que ele estava incomodando todo mundo e que se ele não parasse com aquilo, teria que tomar alguma providência. Como se minha mão fosse um pedaço de carne podre que tivesse caído ali, ele começou a encarar ela, enquanto falava:
-Vai fazer o que? me bater? É? Vem, pode me bater que tu tá fodido!
Ainda com a mão no ombro dele, falei que não era isso, e comecei a puxar ele pra fora do tubo, sobre olhares de todos. Nessa hora, ele vira para mim se soltando de minha mão e começa a me encarar.
Como se estivesse seguindo um roteiro, o ônibus se aproxima, eu olho pra ele e digo:
-Cara, eu ia fazer algo por você, mas agora meu ônibus chegou, se fode aí e não me enche o saco.
E entro no ônibus.
Lá dentro, todo mundo me encara. As duas velhas que iniciaram tudo isso se afastam e ficam no seu canto, caladas. Segundos depois do ônibus começar a se movimentar, sinto uma mão em meu ombro e um bafo característico. Era o bêbado novamente.
-Cara, que você ia fazer lá?
-Nada, talvez te ajudar, sei lá.
-Sabe quem eu sou? Já ouviu falar de (insira nome impronuniciável aqui)? Eu sou o cara abaixo dele, toda a droga do centro passa pela minha mão.
-Tá certo, e daí?
-Sabe, você com essa cara parece um dos balãozinho que a gente usava pra transportar, tu tem mó cara de quem mexe com droga.
-Tenho? isso é uma surpresa pra mim.
-É, tem sim. Sabe que eu podia ter matado você ali? Tua sorte é que eu tô sem meu berro.
-Cara, por mim, você que se foda, não ligo pra quem você é, o que faz ou quem já matou, mas fica na sua e não incomoda ninguém aqui, ok? Olha, tem um lugar livre ali, senta e tira um cochilo, ok?
Nessa hora, com o cu na mão, nem sei de onde tirei coragem pra falar isso, mas foi o que eu disse
-Olha que tu não é gago mesmo, hein? Vou ali mesmo e ficar no meu canto. Meu nome é (tal nome, nem lembro), você se chama como?
-Carlos.
-Olha, Carlos, se precisar de algo, fala comigo em (tal lugar, me forcei a esquecer), te arranjo algo na faixa.
Pode parecer algo idiota agora, mas acredito que essa foi a maior roubada que eu mais me arrisquei nesse ano. Abro espaço aqui pra falar um pouco sobre que tipos de pessoas estavam no ônibus. Tinham vários estudantes, pessoas comuns como eu, 2 caras que pareciam estar indo pra academia, o que confirmei na parada final, um grupo que estava indo para seu curso de SEGURANÇA, com aqueles uniformes e tudo o mais. Acredito que, se eu tivesse caído no chão, eles teriam passado por cima de mim, o que me deixa com mais certeza que eu só posso confiar em eu mesmo.

É, ficou um pouco mais longa do que eu pretendia, mas o fato foi tão estranho que me fez andar pelas ruas da cidade umas 2 semanas vigiando as minhas costas, pra ver se não estava sendo seguido. Bom, recado dado, agora é com vocês, participem da promoção e concorram a esses dois ótimos livros.

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Breno Costa

    Cara, tipo, eu tenho a “cincologia” do GdMdG, e posso oferecer pra você sortear tambem, tá novinha, sem nome nem nada, e como já li, reli e reli e reli, acho que algum outro sorteado poderia aproveitar melhor.
    O problema é só o envio pra você, eu sou de salvador/BA. x_x
    qualquer coisa, meu e-mail foi pelo formulário (acho que vocÊ pode acessar, sei lá o.o)

  • @Breno Costa
    OLOLCO! Isso é SÉRIO?

    OLOLCO!

  • atillah

    Cara. Os leitores desse site estão fazendo participações espetaculares ultimamente. Acho que finalmente essa bagaça tá virando uma comunidade, como a gente sempre quis.

  • Breno Costa

    Sério mesmo.
    Tá tudo completinho, e prefiro que alguém leia, do que eles fiquem na estante pegando (mais) poeira.

  • @Breno Costa
    Bom, te mandei um mail. Vê lá, vamos… negociar.

  • Breno Costa

    Oh-Ho !
    Respondido

busca

confira

quem?

baconfrito