O final de uma era

Analfabetismo Funcional quarta-feira, 03 de agosto de 2011

1997.

Fazem atualmente QUATORZE anos desde essa distante data. Se você conhecia uma menina de 7 anos nessa época, hoje em dia você deve ser um tiozão e ela um gatinha que cê fica babando. Ou uma apressadinha com 3 filhos agarrados na cinta, vai saber.

Porque esse ano está em questão? Simples. Nesse ano, foi lançado no Brasil o primeiro livro do Harry Potter. Livro esse que encerrou sua saga em 2007, 10 anos após o primeiro livro. E agora, com o lançamento do último filme, considero que isso acabou finalmente.

Em quatorze anos, o mundo mudou bastante. Duas torres cairam, uma guerra aconteceu por motivos desconhecidos, Saddam foi enforcado, Laden foi jogado no fundo do mar, um novo Playstation foi lançado, um novo Xbox também, e a carta de Blastoise não está mais tão rara.

Enfim, uma porrada de coisa mudou.

E agora que a saga épica acabou, o que restou dela? Quais serão seus marcos eternos na história mundial?

 “Aquela página caída ali no canto, que esqueci de mastigar.”

Tá, exagerei. Acredito, que principalmente essas duas coisas:

3762 páginas: Sim, isso é o total de páginas que todos os livros possuem. Claro, estimando que um fã leu só a versão em português, isso é pagina pra caralho. Tem aqueles loucos que leram as versões piratas, os livros extras, e as versões em inglês. Isso tudo ficará para trás, mofando em prateleiras, considerando que o leitor resolveu subir de nivel e partir para literaturas mais avançadas ou ficarão mais gastos, pois para ele aquilo é uma obra prima (OBRA? HIHAVHGAFK) e ele relerá até o final dos tempos.

Uma escritora podre de rica: Serviu pra isso. Se ela não está bilionária, está bem perto disso. Pelo menos, teve a decência de usar o dinheiro dela para o bem, criando sua própria entidade filantrópica e escrevendo um livro que reverte o valor dele para esse fim.

Eu teria seguido com meu plano de dominação mundial e quebra de aluguéis, no lugar dela, mas isso são detalhes…

Fãs orfãos: Essa é lasqueira. Aquela ambientação láááá no começo desse texto foi só pra chegar nesse ponto. Um garoto que tinha 8 anos naquela época e começou a ler os livros, hoje tem VINTE E DOIS ANOS. O cara trabalha, paga as contas, tem carro, dividas, mulé, amante, filho e… É lançado o novo filme e essa mesma pessoa quase chora na estréia! Tem sorte se algo assim não cai no Youtube:

…Q?

Mas isso não vem ao caso.

Muitos desses que se encaixam nessa situação são aqueles que, nos primórdios de 1994 propriamente dito, estavam com os seus cus colados num sofá, jogando Playstation ou vendo Dragon Ball na TV. Essa é a única mágica que eu vi acontecendo em Harry Potter, fazer surgir toda uma nova raça de nerds. Aliás, nerds não, alunos de Hogwarts, como alguns se auto-intitulam até hoje.

 Chegou, LOL.

Esses fãs são pessoas comuns, pode ser aquele cara do seu lado, com um sorvete na mão, ou o seu vizinho de sala no escritório, com cavanhaque torto. Comuns em parte, pois qualquer citação ao nome Potter os leva ao ponto de nostalgia já citado antes.

Mas essa era chegar ao final teve suas vantagens: A melhor de todas é que ela serviu para que uma grande parcela da juventude tivesse seu gosto por leitura ativado.

Não tenho do que reclamar, isso é grande coisa, se esse gosto evoluiu. Se depois resolveu ler algo mais de nivel, beleza, agora, se migrou pra Eclipse… Nem falo nada.

Aliás, falo sim: BANDIBICHA QUE QUE SE MANTER NO MUNDINHO E DEIXAR DE LADO AS COISAS BOA! VAI LER GUERRA DOS TRONOS OU POE, FDP.

Prontofalei.

Pra finalizar: O mundo mudou, as pessoas mudam. O que se espera é que mudem para melhor, não que regridam. Taí Luan Santana pra provar o que digo.

Fico por aqui e participem do clube de leitura. Provem que além de serem leitores, podem discutir mantendo o nivel. E paguem uma cerveja pro Looney por mim.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito