O Amor a Tudo Conquista

Música sexta-feira, 15 de junho de 2018

Na longa, longa lista de coisas vergonhosas que eu já fiz e faço na vida, uma delas é a que eu vou lhes contar agora: Ela envolve a internet, crime e, claro, a Carly Rae Jepsen.

A primeira vez que você ouviu esse nome foi lá em 2011 com a música (E clipe) acima, a última foi lá em 2015, com aquele clipe com o Tom Hanks lip syncing a parada. Agora que a gente estabeleceu que 2012 foi há muito tempo atrás e que em 2015 o mundo era um lugar melhor, vamos falar de como 2012 foi um ano meio estranho.

2012 foi o ano do fim do mundo, foi o ano que roubaram os votos no Carnaval do Rio, teve canibais em Pernambuco, teve a mulher esquartejando o marido e botando na mala, teve a Rio+20, robô chegando em Marte, 50 Tons de Cinza, Gangnam Style, Kuduro e foto vazada da Carolina Dieckmann. Falando em foto vazada, teve vídeo vazado da Carly Rae Jepsen também.

Sou só eu que não consigo chamar ela sem ser pelo nome inteiro?

Foda-se, o negócio é a internet atacou de novo e tava lá a coisa na outra coisa fazendo coisas. Eu sei que aqui cabe um discurso enorme de quebra de privacidade, crimes virtuais e falta de respeito… Aliás, eu sei também que cabe um discurso enorme de teoria da conspiração, vazamento de propósito, marketing e tudo mais… Nada disso importa porque foi lá em 2012. Claro que ela negou. E negou. E aí negou mais um pouco antes de admitir que era ela mesma. Só pra deixar registrado: Não, eu não vou linkar a parada.

Independente de motivo pra negar, motivo pra admitir e qualquer outra coisa, o negócio é que a parada aconteceu (Até onde se sabe) sem o aval dela e ela teve que lidar com a parada: Quando a vida te dá limões cê tem que fazer algo com eles, seja uma limonada seja malabarismo. Nesse meio tempo a guria lançou outro álbum, deixou de ser tema de notícia e ficou irreconhecivelmente loira, pra alegria de uns, tristeza de outros e total indiferença da maioria.

Pra não falar na fase gótica purpurina.

Eu já tenho um histórico de motivos esdrúxulos pra gostar de música, do qual eu não me envergonho nem um pouco, mas a verdade é que eu deixei de fora um daquela lista e não porque eu esqueci totalmente da existência dela enquanto fazia o texto: Call Me Maybe. E sabe porque? Porque a sex tape dela foi maneira pra caralho.

heh.

De novo, eu não vou linkar o treco, mas cara: É uma sex tape honesta, saca? Singela. Não foi uma parada performática, foi… Bem, sexo. E dá pra ver a dedicação, a vontade de estar alí sem tornar o treco numa caricatura, sem tornar numa das centenas de sex tapes de câmera infravermelho, aquela coisa zoada que te dá mais decepção por quem tá nas imagens do que qualquer outra coisa. Enquanto um monte de gente se decepcionava com a guria por oh meu deus, não acredito que você faz isso e a vida dela devia estar uma merda por estar na situação de ter a privacidade invadida, eu tava olhando pro negócio e repensando minha opinião sobre ela… A verdade é que a sex tape da Carly Rae Jepsen deu uma puta moral pra ela.

Ao menos aos meus olhos, porque porra, Call Me Maybe era (E é) isso aí mesmo: Música chiclete e água com açúcar de ex-participante de reality de show de calouros. Tem um clipezinho de boas, com um plot twist engraçadinho no final… Porra, o clipe com o Tom Hanks foi feito três anos depois e é a mesma coisa: Um pop que passa em loop em loja de eletrônico, saca? E que nunca tentou ser mais que isso… Tem um lado triste nessa história, mas também tem um lado muito honesto e aberto que é foda.

Olha isso aqui:

É do ano passado, e é a mesma coisa. Ela sabe fazer um tipo de música e ela faz esse tipo de música sem pretensão alguma. Vai olhar a lista de outras músicas mais tocadas de 2012: Gotye, Fun, Maroon 5, Ellie Goulding, Rihanna, Nicki Minaj, Adele, Kary Perry. Geral aí tem plano de carreira num mundo que funciona com moda, entende o que eu digo? Alguns mais bem sucedidos que outros, mas a única dessa lista toda que topa ser exatamente o que é, é a Carly Rae Jepsen.

Se eu disser que é o meu tipo de música favorito, é mentira. Se eu disser que ouço regularmente, também. Eu não posso nem dizer que é um tipo de música que, de forma geral, me agrada… Mas pra mim um pouquinho de realidade num mundo que vive de ilusão não era amor, era cilada é algo muito bem vindo. Eu admito prontamente que tem várias músicas de menininha que eu gosto, sei letra e tudo mais, e no meio dessas aí tá Call Me Maybe, sem vergonha alguma.

Pra mim, a Carly Rae Jepsen é beleza, e o que me fez perceber isso foi ela pagando o bola gato pro bróder.

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito