Não tem coluna hoje

New Emo quinta-feira, 03 de Fevereiro de 2011

É isso aí, macacada. Hoje eu não vou falar de bandas, músicas, shows ou das tietes que ficam me seguindo, querendo fazer sexo em qualquer lugar. Sabe qual o motivo? Eu tô no Egito, e tá a maior merda por aqui.

Mentira, cês acham mesmo que eu estaria vivendo no Egito? Já me sinto mal morando no interior de São Paulo; se eu estivesse em um lugar com mais areia por quilômetro quadrado e camelos do que bares eu com certeza me mataria. E eu tô vivo. Mas, deixando a brincadeira de lado, eu realmente não vou falar de música hoje. E também não vou meter o pé na senzala e dar uma de militante ou conservador, a favor ou contra essa merda que tá rolando no pacífico Oriente Médio. Até porque, isso é treta dos negos de lá, pouco me interessa e eu não me meto nessas coisas. Mas eu vim aqui hoje com uma tarefa difícil: Fazer vocês pensarem.

 “Será que o K me daria bola” – e a resposta é SIM, se você for gordinha.

Esses dias eu tava navegando em um portal de merda qualquer e li a notícia de que o pessoal da terra das pirâmides tá sem internet. Haviam quatro provedores principais no país, e o último havia sobrevivido enquanto os outros três foram derrubados. Porém, o último também foi desligado. O país está sem internet. Eu sei que pra vocês, que preferem Orkut a telefone, isso deve ser horrível. E eu me sentiria muito incomodado com isso, sim senhores. Mas vocês pensaram que sem internet, não há informação, praticamente, e sem informação não há como descobrir músicas novas que prestem.

Se eu não tivesse internet aqui agora, provavelmente seria forçado a comprar um CD por quarenta reais pra ouvir e depois encostar. Eu não conseguiria… Degustar um aperitivo musical pra ter certeza de que ele valeria o dinheiro gasto. Isso não é uma merda? O país tá sem música. Se uma banda estourar agora, com a melhor faixa de todos os tempos, quem tá por aquelas bandas não vai nem ter ideia. É como se fosse acontecer um show do AC/DC de graça na cidade, só que, como ninguém ficou sabendo, todo mundo continuou assistindo ao Domingão do Faustão. Não é uma merda?

Eu sou contra esses liberais, conservadores, essas tralhas que ficam postando frases no Twitter ou abrindo abaixo assinados online pra ajudar quem tá se fodendo. Isso é a história DELES que tá sendo feita. Não nossa. E o que eu tenho a dizer sobre isso tudo? Se tirassem a minha chance de garimpar músicas, assistir clipes no Youtube e acessar sites pra conferir datas de shows e lançamentos, eu definitivamente estaria puto. Puto a ponto de dar um chute na boca de uma criança – ou tão puto a ponto de derrubar um governo.

E você? Ficaria puto se te privassem da possibilidade de ouvir velharias ou descobrir bandas novas?

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Állan

    É interessante pensar nisso. Dá para perceber que a tal “pirataria” de que tanto falam, como disponibilizar músicas pela internet, é imortal. Não tem como proibir ou coibir esta prática, porque, primeiramente, para sufocar a troca de arquivos, teriam que suprimir o acesso de alguns computadores à internet, e/ou/talvez suprimir sites de armazenamento de arquivos (santo 4shared). Se causou esse bafafá só em um país, imagine em uma escala maior? Enfim, sem contar que até uma criança de 6 anos hoje em dia sabe programar, o que torna fácil a criação de meios para trocar arquivos. Enfim, foda-se, não importam o que façam, isso nunca vai acontecer. A não ser que algum marombado do futuro apareça na minha frente e pergunte se eu conheço John Connor. Aí eu vou começar a me preocupar.

busca

confira

quem?

baconfrito