Mortes nos quadrinhos II

HQs sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Semana passada fiz uma introdução sobre a morte dos personagens em quadrinhos e me propus a escrever uma série sobre o assunto. Para isso, decidi, inicialmente, não abordar toda e qualquer morte ocorrida nos quadrinhos. Essa decisão se deve ao fato do grande número de personagens que pelo menos uma vez na vida bateu as botas.

Deste modo, optei por escolher mortes que foram, de certa fora, impactantes, ou seja, tiveram alguma repercussão ou influência importante na história das HQs. Então, antes de iniciar, gostaria de agradecer ao pessoal que comentou no outro artigo.

Enfim, dando início a esta série de pelo menos quatro artigos, quero esclarecer, antes de tudo, que a escolha dos personagens não ocorreu dentro de um contexto geral e não me importei se a personagem era principal ou coadjuvante.

Sendo assim, iniciemos nossa jornada com a morte de Benjamin Parker. Por acaso eu ouvi uma exclamação sussurrada de “como é que é?”, ai no fundo do seu cérebro? Sim, eu sei que ouvi e que de modo algum os leitores suspeitariam desta morte.

Mas ela se encaixa perfeitamente na minha proposta, uma vez que ela foi fortemente impactante nos mundos do quadrinhos. Você que esta lendo certamente irá querer dizer “mas pera lá…”. E peço apenas que aguarde um segundo, deixe-me apresentar minha opinião…

Acredito que a morte de Ben Parker, ou tio Ben, como é bem conhecido no mundo pelos fãs do Homem-Aranha, foi uma das mortes mais impactantes dos quadrinhos, apesar de não repercutir pelos universos quadrinísticos.

A morte dele tem uma importância gigantesca para o nascimento do Homem-Aranha, pois, é seu assassinato; não por um super-vilão, mas por um ladrãozinho qualquer; é que transformou o Homem-Aranha num dos maiores heróis dos quadrinhos.

E sua morte é tão profunda que mesmo aquelas pessoas que não são fanáticas por quadrinhos conhecem o Tio Ben, nem que seja somente pelo bordão “Com grandes poderes, vem grandes responsabilidades” e que se tornou o direcionador de Peter para atuar como herói, fazendo com que o mesmo sempre ache que suas responsabilidades vão além de suas capacidades.

A morte de Benjamin teve impacto maior na vida de Peter, pois ele era como um pai para o jovem herói, uma vez que o criara desde a morte de seu irmão Richard em um acidente de avião com sua esposa Mary. Ben, juntamente com May moldaram a personalidade de Peter, sabendo que ele era muito especial, mas não por seus poderes aracnídeos, mas por sua inteligência.

 Tio Ben na sua primeira aparição.

É verdade que mal conhecemos o Tio Ben enquanto vivo, já que ele morre logo na primeira edição em que aparece (Amazing Fantasy #15 de 1962), mas o pouco que vemos ele vivo, percebemos o quanto o mesmo ama e quer o melhor para seu sobrinho, que antes de ganhar seus poderes não passava de um nerd extremamente vitimado pelo bullying.

Como todos sabem, tudo muda numa exposição de ciência, quando Peter é mordido por uma aranha e ganha seus poderes. Inicialmente ele pensa em como tirar proveito disso, tanto que participa de lutas livres em busca do prêmio em dinheiro. Com o sucesso de sua primeira luta, Peter pensa em se profissionalizar no circuito; tanto que cria seu uniforme para usá-lo no ringue e não no combate ao crime. E é assim, aproveitando sua “fama”, que Peter caminha por um corredor quando um ladrão perseguido por um policial passa por ele. O policial até pede para Peter pará-lo, mas ele nada faz, pois em seu egoísmo ele cuidaria apenas de si mesmo.

 A fama e a tragédia.

Após esse episódio, Peter segue sua vida, até que uma noite ele retorna para casa e vê a polícia em frente sua casa, encontrando seu tio baleado e morto. O assaltante e assassino teria ido para um armazém, onde estava cercado pela polícia.

Porém, a fúria faz com que ele vá atrás do bandido em busca de vingança, e é neste momento que temos a revelação que mudaria a atitude de Peter para sempre: O assassino de seu tio era o mesmo ladrão que ele havia deixado fugir. Assim, o Homem-Aranha passa a combater o crime como forma de diminuir seu sentimento de culpa pela morte de seu Tio Ben.

 Destino: Uma mistura de Lei de Newton com Lei de Murphy.

O incrível disso tudo é que essa história tem apenas 11 páginas, mas a morte de Benjamin Parker foi tão sentida que, ao longo dos anos, ela foi rememorada e revivida pelo Homem-Aranha. Portanto, foi uma morte tão impactante que mesmo hoje, quase 50 anos depois, os leitores e o próprio aracnídeo sentem sua morte.

Nesta mesma categoria de morte é possível encaixar a morte de Thomas e Martha Wayne, pais de Bruce Wayne, o Batman, porém, não classifico essa morte como tão impactante assim, pois, apesar da tragédia moldar a psique do Batman, foi a “jogada” do destino que tornou o assassinato de Tio Ben numa das principais, senão a mais impactante, mortes dos quadrinhos.

Na próxima semana mais uma personagem com uma morte impactante para as histórias e para os leitores.

Leia mais em: , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Glauber

    Bom artigo… acompanhando aqui! Parabéns!

  • Ficou ótima esta matéria, aguardo o próximo !

  • lei de Murphy+lei de Newton= karma

busca

confira

quem?

baconfrito