Lost – 5×03 – Jughead

Televisão sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Esse terceiro episódio da quinta temporada de Lost realmente explode cabeças. Principalmente se você acompanha a saga e espera algumas respostas sobre os mistérios da ilha. Em um único episódio descobrimos o por que de Richard Alpert ter ido visitar John Locke, de onde vem o interesse de Charles Widmore pela ilha e como Daniel Faraday sabe tanto sobre o lugar.

Esse episódio se concentrou somente em Desmond e a sua missão de encontrar a mãe de Daniel Faraday e no pessoal que ficou na ilha. Resumindo essa galera: Locke, Juliet, Sawyer, Milles, Daniel e Charlotte. O ano em que eles estavam depois do último clarão era 1954.

Depois de renderem os carinhas que estavam no meio do ataque com flechas, Locke, Sawyer e Juliet esperam algumas respostas. Os caras conversam entre si em latim, mas eis que Juliet também saca do idioma e explica o motivo dela também saber: os caras eram d’Os Outros também, maluco!

Enquanto isso, do lado de fora, Desmond vai em direção ao velho continente tentar encontrar a mãe de Faraday. Na universidade de Oxford ninguém sabe do cara e ao invadir o laboratório em que o nerd maluco trabalhava, o Brotha encontra tudo coberto e desativado. Não demora e um faxineiro aparece falando o que aconteceu e porque mandaram o cabeludo pro espaço. Tudo aconteceu por causa de uma garota. O cara passa o endereço dela e o Brotha vai atrás.

Lá ele descobre que a moça em questão é Theresa Spencer e que atualmente está fodida em um coma, possivelmente com a sua mente viajando pelo tempo. A irmã de Theresa solta a dica quente: quem paga isso é teu sogro, mané! Não com essas palavras, claro. O Brotha então parte atrás de Charles Widmore e pede a localização da mãe de Faraday. O velhote passa e pede pra ele juntar a mulher e sair fora e ficar longe da ilha.

Já na galera que fica na ilha, Milles, Charlotte e Faraday são capturados por alguns Outros. Observe que a chefe da equipe solta um “você não desiste” pro Faraday… suspeito. Muito suspeito. E então leva os três pro acampamento onde o eternamente jovem Richard Alpert fala que vai matar e que não vai deixar nego levar a tal Jughead. A Jughead é uma bomba de hidrogênio. Isso mesmo, aquela mesma que dizimou Hiroshima e Nagasaki.

Locke, Sawyer e Juliet conseguem fazer com que um dos seus prisioneiros abra a boca. A Juliet, malandra como só, pergunta se o Richard Alpert tava no acampamento e isso é o bastante pra convencer os malucos. Um deles começa a dar a localização do acampamento quando de repente o outro pula e quebra-lhe o pescoço. Claro, ele foge.

Locke segue a trilha e encontra o acampamento. Nessa hora muita coisa é esclarecida e temos os pontos altos do episódio. Não vou falar quais são pra não estragar a surpresa, mas descobrimos um pouco do passado de Locke, Richard Alpert e Charles Widmore.

É um episódio que realmente explode cabeças e dá uma boa dose de explicações sobre alguns mistérios do seriado. E como sempre deixa aquele gostinho de quero mais. Sexta-feira que vem tem mais uma resenha aqui. Fique ligado!

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • BombaH

    Só errou ao dizer que foi usada bomba de hidrogênio em hiroshima e nagasaki.. bomba de hidrogênio não é igual a bomba atômica.
    a primeira bomba de hidrogênio foi testada no ano de 1954 no atol de bikini, nas ilhas marshal. a segunda guerra mundial terminou em 1945.

busca

confira

quem?

baconfrito