Livros estragam pessoas?

Analfabetismo Funcional quinta-feira, 27 de março de 2008

É algo que estive pensando a alguns dias. Aquela pessoa que lê como principal atividade, não assiste TV, não lê jornais ou revistas dessas de 1,50 sobre novelas são pessoas estragadas em potencial?
Cabe a mim dar uma pequena explicação de como veio essa dúvida a minha cabeça. Tudo pra variar começou em um dia que resolvi ir a uma festa a noite. Como estava cansado de ficar em casa, saí as ruas a caça de algum lugar pra ir, e no fim acabei indo a um festival de música que ocorreu em uma cidade que sempre vou. Estava lá eu, completamente emputecido, decidindo se eu matava o DJ por ficar tocando Piriguete e o Créu ou sairia de lá, até que as bandas realmente começassem. Resolvi sair, afinal, estava sem nenhuma faca nesse dia. Lá fora, os mais diversos tipos de pessoas tiveram a mesma idéia que eu, mas ouviam o mesmo tipo de música do qual tinha fugido, o que não é lá algo tão inédito assim. Mas dessa vez, tinha algo estranho no ar, só não consegui descobrir o que. Depois de quase desistir, eu olho embaixo da escada, e vejo uma garota com um livro em mãos. Fato estranho, afinal, somente eu faria uma coisa dessas, só não fiz aquele dia porque estava sem minha mochila, sempre com pelo menos 4 volumes. Vou até ela, e pergunto porque ela está lendo um livro, enquanto todo mundo se “divertia” lá dentro. “Acha divertido ficar perto de pessoas que dá pra sentir a burrice de longe?”. Algo que eu poderia ter dito, mas nunca disse porque já me acostumei com esse fato. Ok, já tem fatos demais por aqui, vamos voltar ao principal.
Essa garota era um exemplar de algo que eu nunca achei que existissem muitos, algo que sempre achei ser um dos únicos. Alguém que cansou de falar com pessoas que não tem um pingo de conteúdo, nada a acrescentar a meus conhecimentos ou a minha vida. O que fez com que um comentário interessante acontecesse numa volta por aí certa vez.
Na frente de uma igreja, meus amigos secavam uma garrafa de conhaque, até que um grupo de meninas passa por nós e os cumprimentam. Logo que els se afastam, um de meus amigos comenta :
– Ow, viu aquela ali de cabelo enrolado? aquela guria é burra que nem uma porta, é daquelas que só presta pra pegar mesmo, e de boca fechada ainda!
– Então ela é uma burra como uma porta? uma porta sem dobradiças? – Eu pergunto.
– Pior, sem dobradiças e sem fechadura ainda por cima.
Meu outro amigo então, com um bafo de algo morto a mais de uma semana, diz:
– Pô, então dessa só se aproveita os buraco!
Momento cretino da semana passou, o próximo em uma outra oportunidade. Agora, vamos voltar com o tema de hoje. Dessa história acima, podemos tirar o seguinte: Apesar de bêbados, els não me falaram da mais bonita, da mais gostosa, ou da mais pegável. Eles falaram da mais burra, aquela que seria a última a se tentar algo, aquela que é zoada em rodas de amigos por causa de comentários cretinos, e aquela que, no fim de tudo, não entende o porque é tratada assim.
Agora a questão chave do dia, que acho que isso já está ficando grande. Os livros, não importa o tipo, podem afastar pessoas que podem achar você alguém diferente? Pode alguém que lê demais se tornar anti-social porque acha que ninguém é digno de ser ouvido, ou de ouvir o que se tem a dizer? a garota fora do festival lendo pode ser uma dessas pessoas que pode ficar isolada de tudo, se não conseguir se acostumar com pessoas “normais”? ou será que ler demais faz com que as pessoas fiquem arrogantes e seletivas demais? de minha parte, sei que tudo o que me cerca tem algo a adicionar ao que já sei, então encaro tudo com o que tenho de melhor, que é minha atenção pra pequenos detalhes. Se a garota voltou pro festival? Sim, dessa vez acompanhada de alguém que entendia o que ela pensava.
Ia deixar aqui uma outra história pra ilustrar esse fato, mas deixarei ela pra outra oportunidade. Até semana que vem, e lembrem:”As vezes um mendigo é alguém que pode te presentear com algo mais do que piolhos“.

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Erik

    Nesse sentido de evitar contato com pessoas que se ve como “inferiores” intelectualmente, acho que estraga sim

    Eu moro numa republica e vejo isso com certa frequencia
    pq um dos moradores aki tem muito dessa d n “se misturar” com pessoas as quais, ele diz, n lhe acrescentam nada

    eu msm chego a passar por isso qnd encontro meus amigos que n estudam mais
    a gnt percebe a diferença intelectual e talz
    principalmente nos assuntos das conversas

    mas isso n eh motivo pra se isolar, afinal, sempre podemos aprender algo, mesmo n sendo algo muito inteligente…

  • LucasCF

    Concordo com tudo, acho que não tenho nada a acrescentar.

  • Red

    “As vezes um mendigo é alguém que pode te presentear com algo mais do que piolhos”.

    Hanseniase?

    Eu tb sou COMO ESSA GAROTA, mas não chegaria ao extremo de abrir um livro no meio de uma festa. Existe hora pra tudo, mesmo que vc não goste da musica vale apena ficar no local pela animação, descontração, energia da galera ou (no meu caso) pela bebida e pelas gostosas.

  • Friederichs

    Bem parece que você achou sua futura namorada! (se já não tiver).

    E outra, estraga sim cara! Puta merda! Livro é uma beleza, informação até não acabar mais, teorias, tudo lindo….
    Até que alguem le aquela MERDA de ” O capital”(para os que não conhecem é o livro do tio Marx, pai do Socialismo), pronto, ta feita a cagada. O cara já pensa naquelas ideias quer ser revolucionário e bla bla bla.
    Meu , creio eu que livros foram feitos para serem LIDOS e não VIVIDOS.

  • thiago

    ?

  • Olaf

    Talvez depois da pessoa ler MUITO ela descubra que toda experiencia é sagrada e que todos podem ensinar algo…
    tem gente que descobre vivendo, tem gente que descobre lendo…

  • Não é o livro que estraga a pessoa, a pessoa já era (ou tinha tendencia a ser) anti-social antes de tudo. Muitas vezes por isso começou a ler (digo, em um ritmo maior).

  • LucasCF

    Concordo com o Olaf e com o Marco.

  • Erik

    Achar um comunista q tenha lido o Capital eh algo fd…
    normalmente eles se contentam em ler o Manifesto ou algum resumo barato do proprio capital

    eu, como faço faculdade de História, vejo muito isso por aki

  • billy

    na verdade acho que hoje em dia ler e ser “culto” virou um modo de ser “diferente”, por isso tem tanta gente se achando inteligente e arrogante, coisas que não batem. a pessoa inteligente precisa ser humilde ao mesmo tempo, consegue analisar questoes como a que você pôs sem chamar os outros de “bando de burros”, “bando de alienados”… enfim… como vc disse sobre o mendigo.

    na minha opiniao o verdadeiro inteligente consegue extrair conhecimento inclusive de um “bando de burros” porque está apto a analisar e transformar situacoes em informacoes que não são nada idiotas.

  • Bee

    eu levo livros pra festas e procuro um lugar pra me enfiar e ficar lendo o_o’

busca

confira

quem?

baconfrito