Livros de auto-ajuda

Analfabetismo Funcional quinta-feira, 03 de janeiro de 2008

Eles são vendidos como livros, tem seu próprio ranking na revista Veja, E a cada novo lançamento, dependendo do sucesso, surgem outros 4 livros só explicando como que cada um deveria entender/ usar aquilo. É, esses são os livros de auto-ajuda.
O que , é claro, só são considerados como livros somente para aqueles que são viciados em seu consumo. São como remédios com tarja preta, mas vendidos por aí sem receita, e um pouco mais nocivos a saúde, pois afetam o cérebro diretamente a cada página lida. Nunca encostei em um livro desses, e quando vou a livrarias, pego o caminho mais longe possível dessas prateleiras. Se ele está em destaque na porta de uma livraria, nem entro, Tantos livros pra terem destaque, e colocam bem esse tipo na porta? obrigado, dispenso.
Mas apesar de nunca tocar nesses livros, sei o que eles contém. Por intermédio de outros, que a cada vez que lêem um desses livros e vão até mim pra comentar a sua mais nova técnica de como conseguir dinheiro, felicidade, amor, picolés de tamarindo, ou seja lá o que for. Fico quieto, e depois que me despejaram tudo o que tinham pra falar sobre, penso na melhor maneira de desbancar toda a teoria da pessoa em apenas uma pergunta, Fazendo como ela perceba que todo o tempo que ela perdeu lendo aquilo tenha sido inútil. Mas isso é só um pouco de sadismo meu, costume criado em muitos anos e conversas sobre isso.
Livros assim só servem pra poucas coisas. Calço de mesa, presente de amigo secreto, alvo para atirar shurikens (testado por mim, pode confiar) e acima de tudo, pra que você perceba o quanto você foi idiota ao gastar perto de 40 reais em um livro desses, na pior das hipóteses, porque els tem uma validade muito curta, indo pra banca de descontos muito rapidamente, onde você pode o comprar por 3 reais ou menos, quem sabe.
E antes que eu perca a linha do meu maldito pensamento de novo, e comece a falar sobre qualquer porcaria aqui de novo, vamos descarregar tudo o que tenho pra falar. Sua vida está uma merda. Sua namorada te deixou, seu emprego está bastante desagradável, sua familia te ignora, e seus amigos não falam mais com você. Passando por uma livraria, você vê, bem na porta um livro com uma capa bonita, parecendo um selo de carta antigo, e o preço está bom. Já que tá tudo uma merda mesmo, porque não começar a buscar esperança em outro lugar? Folheando o exemplar, com aquele papel bonito, aquela letra e diagramação agradável, você começa a a se convencer que aquilo pode ser a solução de seus problemas. Ao chegar ao final, sentindo que sua vida mudou, começa a colocar os ensinamentos em pratica. Continua sem mulher, amigos, a familia acaba te deserdando, é demitido, e não tem onde cair morto. Só que agora, tudo parece melhor, pois você tem a esperança que pode melhorar, afinal, o livro não pode estar errado. Que cena linda, alguém terminando de se ferrar porque confiou em ensinamentos de pessoas que só conseguiram sucesso e dinheiro por aquele livro, sendo apenas fracassados antes da publicação.
E pra finalizar, e dessa vez, serei breve. Livros são feitos pra divertir. Qualquer esperança que você coloque nele, achando que ele irá ajudar você, é o mesmo que você olhar um pé de abacate querendo que saiam bananas, algo completamente inútil, sem sentido, e acima de tudo, se é pra fazer algo que vá mudar alguma coisa, não vai ser lendo um livro sem nenhum conteúdo que irá lhe ajudar nessa tarefa. por hoje é só, mas para que vocês não fiquem sem nenhuma dica essa semana, vou deixar uma recomendação de livro que realmente pode fazer você pensar.
A revolução dos bichosGeorge Orwell
Contando a história de uma fazenda que é dominada por animais, e de como que ls se saem em tão difícil tarefa, com diversos acontecimentos que farão você parar pra pensar durante a leitura esse livro não é algo que vá te ajudar em alguma coisa, mas garanto que será uma boa diversão.

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • bee

    Odeio livros de auto-ajuda.
    no meu aniversário umamigo tapado me deu um lol
    eu acabei dando pra minha mae… ela acha que esses livros resolvem os problemas dela
    prefiro continuar com minha pilha de livros de ficção.

  • “Se ele está em destaque na porta de uma livraria, nem entro”

    claro, o importante pra uma livraria não é vender. É demonstrar Alta Literatura a todos os seus clientes.

  • sandrine

    Picolés de tamarindo? Mas são daqueles que são de tamarindo, tem gosto de limão é parecem de groselha?
    Era o livro de receitas do chaves. Certeza. :P

  • @ Thiago
    o objetivo de uma livraria é vender, claro, mas se garantir só com livros de auto-ajuda, enchendo uma vitrine inteira, não é uma boa estratégia, como algumas que conheço por aí. demorou 4 dias até que eles tirassem todos os livros de lá, para que eu pudesse entrar e comprar o meu “o poderoso chefão”. minha opinião não conta pra eles, mas pelo menos eu tenho que respeitá-la, ok?

    @Sandrine
    tinha grandes chances de ser, faz uns 4 meses que vieram me falar disso, mas agora não me recordo

  • que tipo de livraria enche vitrine Só com livros de auto-ajuda?
    e sinto muito, livros de auto-ajuda são sim uma ótima estratégia. O Segredo ainda vende ás pencas. A Lei d Atração idem. E mais toda aquela porrada de “auto-ajuda para administradores”: Transformando Suor em Ouro e afins.

    E foi mal, mas você é muito fresco por deixar de entrar numa livraria só por causa de uma vitrine.
    eu nem olho vitrine de livraria, quando sou cliente

  • @Thiago
    estava cheio de livros de um autor desses que estava lá pra uma tarde de autógrafos, palestra, ou algo assim. deviam estar desesperados pelo cara, e queriam impressionar ele de qualquer maneira, pelo visto

  • Planeta Malkavo

    pois é, tipo assim, livrarias põe em destaque livros que vendam ….. voce acha o dono de uma livraria vai por algum livro que ele nao tenha certeza q va vender na porta de seu comércio? é quase como um cara pensar: vou colocar o cartas de dançando no escuro ao invés de uma pilha do ultimo livro do harry potter.

    ou como pensar que alguem va por: desventuras em série, a invés de o segredo, por ana maria braga ….

    cara, livros de auto-ajuda fédem, nao considero literatura e eu ja li boas doses de “o doce veneno do escrpião”, que, como todo mundo pode imaginar: uma porcaria …. inclusive, uma grande porcaria.

  • Desesperados pelo cara?
    Meu, isso se chama Marketing. óbvio que com uma noite de autógrafos e livros do cara á mostra, o rendimento aumenta.
    Livraria nenhuma (até onde eu saiba) se ajoelha perante qualquer autor. Mas toda livraria é um comércio, e como todo comércio quer lucrar o máximo que puder

  • Fernando

    Planeta Malkavo:

    Eu dei umas boas risadas com o “Doce Veneno do Escorpião”, rs
    Ela (Bruna Surfistinha) estudou na mesma escola que eu, pena que eu não a conheci, caso contrário, agora poderia dizer que eu trasei com ela; mas ninguém acreditaria mesmo.

    Com relação ao “O Segredo”, foi um dos poucos livros que eu comecei a ler e não terminei.
    Quando vi que era de auto ajuda, fechei na hora.

busca

confira

quem?

baconfrito