Heróis quase desconhecidos – Parte III

HQs sexta-feira, 08 de outubro de 2010

Depois de um período conturbado resolvendo problemas particulares, voltemos a nossa passagem pelos heróis quase desconhecidos no Brasil, então vamos falar do combatente do crime Vigilante, que na DC comics já teve nada mais nada menos que 07 alter egos.

O primeiro a receber a alcunha de Vigilante foi Greg Sanders (Não é o do CSI) e apareceu em 1941. Ele nada mais era do que um cowboy, e fez parte dos grupos Sete Soldados da Vitória (Seven Soldiers of Victory) e Comando Invencível (All-Star Squadron).

 Greg Sanders: O primeiro a usar o nome Vigilante.

De todos os personagens que usaram a alcunha de Vigilante, ele é o mais conhecido. Não por causa dos quadrinhos, mas sim por ter participado de alguns episódios do desenho Liga da Justiça sem Limites.

Por longos anos não se houve notícia dele, até que Grant Morrison resolveu utilizá-lo em seus Sete Soldados da Vitória, com rápidas aparições. Ele também reapareceu como o xerife de Warpaht, uma cidade norte-americana que faz fronteira com o México no especial Superman’s Pal Jimmy Olsen, de 2008, que serve de prelúdio para Nova Krypton. Nesta história, que é narrada por Jimmy Olsen, há uma referência de que Sanders teria morrido e voltado à vida, mas sem maiores detalhes tanto de sua morte quanto de sua ressurreição.

O segundo a usar o nome de Vigilante foi Adrian Chase, criado por Marv Wolfman e George Perez em Novos Titãs Anual, em 1983. E logo após sua primeira aparição, já ganhou um título próprio, ainda em 83.

Adrian Chase era um promotor público que, após ver sua família ser morta por mafiosos, somado a vários casos da justiça que ele via como sendo resolvidos de forma inadequada, acabou por resolver fazer justiça com as próprias mãos adotando o nome de Vigilante, usando uniforme todo negro com um visor vermelho.

Portanto, na verdade esse novo Vigilante tentou pegar carona no sucesso do Justiceiro da Marvel, já que o método de ambos era parecido, apesar de que, ao contrario de Frank Castle, Chase não matava seus inimigos, usando normalmente armamento não letal.

 Adrian Chase, o Vigilante baseado no Justiceiro da Marvel.

Porém, essa situação mudou quando o Vigilante deixou um policial morrer como resultado diretos de suas ações. A partir desse momento, Chase deixou de se preocupar com quem era pego no fogo cruzado de seu combate ao crime.

Mas o peso em sua consciência acabou levando-o a abandonar a identidade de Vigilante, pois Chase passou a crer que ele seria mais útil ao combate ao crime num tribunal do que nas ruas. Entretanto, durante essa sua ausência do manto do Vigilante, dois de seus amigos assumiram o título: O juiz Allan Welles e o oficial de justiça Wiston Dave.

Welles era um Vigilante mais implacável, que agia de forma violenta e acabava executando os marginais que encontrava. Adrian Chase acabou perseguindo e matando este Vigilante sem saber que ele era Welles, e ao descobrir a identidade de seu “imitador”, Adrian acabou encobrindo o papel do juiz como Vigilante, aumentando a vigilância da força-tarefa comandada por Harry Stein que tinha o objetivo de levar o combatente do crime a justiça.

Pouco depois, foi a vez de Winston Dave assumir a identidade do Vigilante. Ele também se recusava a matar, mas lidava com os criminosos de forma feroz. A carreira de Dave chegou ao fim quando, ao tentar impedir o seqüestro de um avião, ele acabou morto acidentalmente pelo Pacificador, outro personagem pouco conhecido no Brasil.

Com a morte de Dave, Chase assumiu novamente o manto do Vigilante e passou a perseguir o Pacificador buscando vingança, mas ao final ele acaba sendo espancado e desmascarado ao vivo na TV. Tendo sua identidade secreta revelada, ele se sente cada vez mais responsável em combater o crime como Vigilante.

Entretanto, a pressão do conflito entre a violência exercida por Chase no combate ao crime e a culpa pelos danos causados as pessoas próximas a ele acabou deixando-o mentalmente instável, culminando com seu suicídio no último número da série. Mesmo morto, ele ainda voltou a aparecer no evento Dia do Julgamento, junto com outros heróis no purgatório, ajudando os heróis vivos a resgatar a alma de Hal Jordan, que se tornaria o Espectro.

 A capa da última edição retratou o conflito de Adrian Chase.

Após a morte de Adrian Chase, um novo Vigilante surgiu, desta vez em Gotham City, sendo encarnado pela detetive Patricia Trayce. Ela apareceu na série do Exterminador/Slade Wilson. Ela passou a usar o nome de Vigilante após encontrar o uniforme e equipamentos usado por Adrian Chase. Trayce (Que era amante de Wilson) acabou sendo treinada pelo Exterminador, e posteriormente passou a trabalhar sozinha. E assim como surgiu ela desapareceu sem maiores explicações, sendo vista pela última vez nos evento Nossos Mundos em Guerra.

 Pat Trayce, assim como surgiu, desapareceu.

Em 2005, surgiu um novo Vigilante, desta vez criado por Bruce Jones e Ben Oliver. Tratava-se de Justin “Jay” Sutter, e passou a usar o titulo após acabar um assassino de crianças. Como não conseguiu evitar o crime, Justin acabou criando uma nova personalidade em sua mente – bem ao estilo Cavaleiro da Lua da Marvel – e passou a atuar como Vigilante. Ele apareceu inicialmente numa mini série em 6 edições que não foi publicada no Brasil. Sua única aparição aqui ocorreu em Crise Infinita #7 em meio a batalha de Metrópolis, ou seja, sua presença não foi sequer notada.

Por fim, um último personagem vestiu o manto de Vigilante, trata-se de Dorian Chase. Ele apareceu pela primeira vez num arco da revista do Asa Noturna. Depois ele apareceu na mini-série Submundo de Gotham, onde é facilmente derrotado por Batman.

 Dorian Chase: O Vigilante mais recente.

Posteriormente, ele ganhou um título próprio, onde ele usava o nome de Joe Flynn para se infiltrar na máfia. O verdadeiro Flynn estaria morto. Assim como Frank Castle, esse vigilante conta com o apoio de J.J., um assistente tecnológico, assim como Micro Chip auxiliava o Justiceiro na Marvel.

Pouco se sabe do passado de Dorian, mas nos é revelado que ele é irmão de Adrian Chase, que sua esposa está morta e que ele teria ficado um tempo preso por ter se envolvido com a máfia. Ele desempenhou um papel importante no crossover Armadilha Mortal, que envolveu os títulos Vigilante, Novos Titãs e Titãs nos EUA, quando os heróis passam a caçar o ex-titã Jericó, que teria tentando assassinar os candidatos a presidente dos EUA.

Durante a caçada ele promete a Rose Wilson, irmã de Jericó, não matar o ex-titã caso o encontra-se, mas mesmo assim o Vigilante comete um ato que visa impedir Jericó de usar seus poderes para o resto da vida, num final chocante para o crossover.

Ou seja, estes últimos Vigilantes tentaram emplacar o sucesso que a Marvel conseguiu com o Justiceiro, mas nem mesmo nos EUA eles conseguiram se manter em evidência como Frank Castle, e agora os que não estão mortos passeiam entre o esquecimento fazendo uma ponta ou outra.

No próximo artigo, a pontinha de um universo quase desconhecido.

Leia mais em: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito