Grandes mulheres dos quadrinhos II

HQs sexta-feira, 09 de Março de 2012

Já dizia Tom Jobim: “Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça que vem e que passa”, e assim são as heroínas que hoje apresento nesta breve série em homenagem as mulheres. Semana passada falei das mulheres normais que habitam os quadrinhos, e hoje será a vez das heroínas que salvam o mundo sempre graciosas.

Mulher Maravilha: Claro que a maravilhosa não poderia ficar de fora, já que foi esta a primeira heroína dos quadrinhos. A princesa amazona Diana surgiu em 1941, criada por William Moulton Marston (O inventor do polígrafo). A idéia é que a Mulher-Maravilha fosse uma heroína que vencesse não com os punhos, mas com o amor. Entretanto, sua criação em meio a místicas guerreiras meio que entrava em conflito com essa idéia. Tanto que hoje, a Mulher Maravilha é retratada mais como guerreira e menos como embaixatriz. Enfim, sua força e carisma a colocou dentro da trindade da DC Comics, ao lado de Batman e Superman, sendo portanto, um ícone e pilar da editora.

Poderosa: Uma mulher de peito, literalmente. A Poderosa é a versão feminina do Superman dentro do Universo DC, ou melhor, ela é a Supergirl original, surgida na Pré-Crise Nas Infinitas Terras. Entretanto, após a crise, a personagem teve sua origem modificada ligada aos Atlantes (Sim, o povo do Aquaman). Sua identidade humana é Karen Starr, uma especialista em tecnologia. Ela fez parte de várias equipes da DC, entre elas Corporação Infinita, Liga da Justiça e Sociedade da Justiça. Após Flashpoint, Karen Starr aparece nas histórias do Senhor Incrivel, porém ao que tudo indica sua contraparte Poderosa não existe neste novo universo.

Elektra: Certamente, a anti-heroína mais conhecida dos quadrinhos é a ninja e assassina Elektra Natchios. Em sua primeira aparição, ela aparece como vilã contratada pelo Rei do Crime nas histórias do Demolidor. Ao tentar trocar de lado, ela acaba morta pelo vilão Mercenário, porém é ressuscitada pelo mestre Virtuoso Stick. Após renascer, ela passa a se comportar como uma anti-heroína, tentando fazer o bem, mas com algumas recaídas. Ela chegou a participar de algumas equipes de heróis, como os Vingadores e os Cavaleiros (Marvel Knights).

Barbara Gordon: Minha personagem preferida de todas as heroínas dos quadrinhos. Ou melhor, era pelo menos até pouco antes do reboot de Flashpoint. Barbara Gordon é umas das mais interessantes personagens dos quadrinhos. Por um tempo ela foi a Batgirl, entretanto, durante A Piada Mortal, ela acabou sendo baleada pelo Coringa, bem diante de seu pai, o Comissário James Gordon, e ficou paraplégica. Ela abandonou o manto devido a suas limitações físicas, mas nem por isso deixou de atuar como heroína, tornando-se a Oráculo, praticamente uma deusa onipotente no Universo DC. Oráculo foi uma idéia inovadora, pois ela servia como “Central de Informações”. Posteriormente, como Oráculo passou a comandar as Aves de Rapina. Porém, após o reboot em Flashpoint, Barbara Gordon recuperou-se da paraplegia assumindo mais uma vez o manto de Batgirl, e aparentemente sem nunca ter se tornado Oráculo.

Mulher Invisível: Integrante do Quarteto Fantástico, Susan “Sue” Richards, a Mulher Invisível, ganhou seus poderes após uma viagem espacial com seu na época noivo Franklin Richards (Senhor Incrivel), seu irmão Johnny Storm (Tocha Humana) e do piloto Ben Grimm (O Coisa). Um fato interessante é que além de viver diversas aventuras e salvar frequentemente o mundo, Sue é uma exigente dona de casa e uma mãe carinhosa, como muitas mulheres diariamente.

Mulher-Hulk: Jennifer Susan Walters é prima de Bruce Banner, e por receber uma transfusão de sangue dele, acabou se tornando a esverdeante estonteante Mulher Hulk. Apesar de adorar bancar a super-heroína, ela também exerce uma carreira como advogada. Apesar de ganhar os mesmos poderes do Hulk, ela mantém toda sua consciência, ou seja, não fica irracionalmente furiosa como ocorre geralmente com seu primo. Ela já participou de várias equipes como os Vingadores e o Quarteto Fantástico. Recentemente, ela teve uma série própria e solo na qual o humor era mais predominante.

Mulher-Elástica: Rita Farr, a Mulher-Elástica, é membro da Patrulha do Destino, e tem como poderes poder mudar de tamanho, crescendo ou encolhendo. Juntamente com seus companheiros, ela vive as aventuras mais bizarras. Ela também é casada com um de seus companheiros: Steve Dayton (Mento) e mãe adotiva do Novo Titã Garfield Logan, o Mutano.

Vampira: Inicialmente uma vilã participante da Irmandade de Mutantes, Vampira tem o poder de absorver as habilidades e memórias de outras pessoas com o mais simples toque. Apesar de seu início do lado vilanesco, ela posteriormente se tornou heroína juntando-se aos X-men.

Brasileira: Tá, não faz parte dos quadrinhos, mas a maioria das mulheres brasileiras são verdadeiras heroínas, pois conseguem com seus “super-poderes” sustentar a família com um mero salário mínimo, trabalhando, cuidado dos filhos e da casa.

Leia mais em: , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • João

    Show a matéria, gostei bastante!!

busca

confira

quem?

baconfrito