Eu vi Kill Bill. Pela primeira vez

Cinema segunda-feira, 08 de Abril de 2013

Sim, é sério: eu vi Kill Bill hoje pela primeira vez. Vol. 1 e Vol. 2. E foi na semana passada, uns 10 anos após o lançamento do primeiro filme. E não, eu não vivo numa bolha.

Confissão feita, agora vem a reflexão: Todas (Eu disse TODAS) as pessoas com quem eu conversava e mencionava o filme e escutavam que eu nunca tinham visto Kill Bill, automaticamente me crucificavam, queriam me levar pra um hospício com uma camisa de força e me questionavam quase me xingando e espancando o porquê de eu nunca ter sentado na frente da televisão e gasto umas horas pra assistir a obra do Tarantino. E a resposta era muito, muito simples: Eu nunca tive vontade.

A gente vive numa sociedade que nos pressiona. Fato, todos sabemos. Se a gente não se encaixa naquilo que a maioria gosta, curte, come, ouve, veste, fala, pensa, a gente passa à qualidade de E.T. e é convidado a se retirar do universo. O direito da individualidade se perde no meio do coletivo, mas isso aí não é nenhuma novidade. É a inserção nas tribos e a mania de seguir determinadas imposições que mexem conosco. Com todos nós.

Mas o fato é que Kill Bill é tido como um filme que marcou o cinema, e se tornou uma obra referência pra um milhão de coisas no mundo. Eu sei, sempre soube. Mas eu não curto sangue, não curto matança em filme, não curto ficar tensa e ter que fechar os olhos de 5 em 5 minutos. Isso é o quê? Gosto pessoal. Apenas. Nunca critiquei o filme ou duvidei de sua qualidade. Apenas nunca quis ver.

Até que fui vencida pelo cansaço, sentei e vi. E gostei. Achei bom, não achei tão agressivo e sanguinário quanto imaginei que seria, mas Kill Bill definitivamente não entrou pra minha lista de filmes sensacionais. É bom, mas, na minha humilde opinião, não é tudo isso, a ponto de geral ficar louca de ódio quando eu falava que nunca tinha assistido.

Tribos. Inclusão. Senso comum. O que a maioria expõe é o que vigora. É o que comanda a atualidade. Existem filmes que, quando eu digo que nunca vi, ninguém dá a mínima. Porém, existem outros que parece que o mundo vai acabar e a culpa vai ser toda minha por não ter assistido. É o caso de Star Wars. Me perdoem, fãs, mas eu não tenho a mínima vontade de assistir e, quando penso em sentar pra ver 6 filmes intermináveis, a única coisa que me passa à cabeça é zzzZZZzz. E isso não significa que eu ache que os filmes são ruins ou que sejam chatos ou que devam deixar de ser exaltados por seus fãs. De forma alguma. Apenas não me sinto atraída e pronto. Simples assim.

A elite da cinematografia popular me diz o que é aceitável ou não. O que eu posso ver ou não. O que faz de mim um ser humano normal ou completamente doente por ter visto ou não. A sociedade super entendida de cinema impõe que clássicos que nem são clássicos, mas para eles sim, devem ser vistos, revistos e exaltados. Caso contrário, você é um hater ou um alienado.

Falar de filme está se tornando praticamente aquela história de política e religião: Não se discute. Até porque, vai que você gosta de algum filme ruim e te pegam na saída do cinema, ou da fila do download.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Nicole Andrade

    Nunca Assisti Kill Bill nao me interessou! tbm nao vii Star Wars nem As cronicas de Narnia e nem pretendo me da preguiça só de imaginar #chupasociedade!!

  • Mayara

    Ainda lembro da primeira vez que assisti Star Wars, no começo foi: What the fuck? e depois foi: Life is beautiful!!!

    Minha filosofia de vida quanto aos filmes sempre foi de : “Não existe filme q não se tire algum proveito”, até aqueles q todos falam q é ruim, eu assisto.(Como é o nome da doença?)

  • Mau gosto.

  • Pedro

    Vc lê demais na atitude da galera. A questão é que esses filmes (kill bill, star wars) tem algo de diferente e especial. Não é nenhum ato de rebeldia (chupa sociedade?) não ver os filmes. A questão é que a galera acha que vc está perdendo uma experiência importante. Só.

  • Pedro

    Nunca se lê demais os textos do vassourada.

  • Eu gostei do primeiro Kill Bill. O segundo foi meio fraco. Pelo que estão dizendo o terceiro vai ser bacana.

    Ah! Nunca assisti Senhor dos Anéis.

  • Oi, Jade. Deixa te perguntar uma coisa: o que exatamente, no seu ponto de vista, meu post tem a ver com clássicos do cinema? Se você costuma acompanhar minhas postagens, deve perceber que eu uso e abuso da ironia, e quando falei em “clássicos”, penso eu que tenha ficado bem evidente que eu estava falando sobre filmes adorados pela massa, pela maioria, e em momento algum os coloquei em algum tipo de altar ou os joguei no chão. Sobre “alienar”, como você falou, acho que você se equivocou. Não acho que a “vontade coletiva”, como tu disse, tenta alienar alguém. Falei em pertencer a este ou àquele grupo. Sendo assim, eu procuro aqueles que mais se parecem comigo e com meus gostos, não aqueles que tentam reprimir minhas ideias. Sabe quando a gente fala da diferença entre clássicos reconhecidos por cinéfilos e “clássicos” reconhecidos e adorados pela massa? É isso. Considerando que você leu UM post meu em que eu cito “clássicos” (os entre aspas), acho sua visão equivocada e limitada quanto ao conhecimento de alguém sobre algum assunto. Equivocada e um tanto grosseira, diria (sem ofensas!), já que meu texto não se trata de clássicos, e sim sobre uma opinião de quem não gosta do estilo do filme que eu escrevi sobre. E, como disse e repeti no texto: nada falo sobre sua qualidade, ou critico quem exalta a obra. É gosto. Se as pessoas gostam e me indicam, eu posso assistir e gostar, ou assistir e não gostar. E não entender o porquê de ser “julgada” por não ter despertado meu interesse. Gostar ou não de algo não faz de alguém entendedor ou não sobre algo. Faz alguém com ponto de vista e opinião. Apenas. Mas sim, gostei de Kill Bill. Mas continua não sendo meu filme favorito que, ironicamente ou não, é um clássico. Pra mim. E não quis criticar cinéfilos. Você leu o texto, certamente entendeu isso. Entendo o porquê de filmes serem classificados como clássicos. Não entendo o porquê de eu não poder não gostar deles. Não gostar, sem desmerecer. Como diz o próprio post que você me indicou: “Meu objetivo principal é fazer com que vocês passem a encarar o cinema como um universo infinito a ser explorado”. É um universo infinito. Eu não preciso gostar de tudo o que me disserem que é bom. A não ser que eu concorde. Beijo, girl. Tks pelo comentário.

  • Concordo :)

  • Não é nem questão de rebeldia ou de sambar na cara da sociedade. É gostar ou não de algo e poder ou não dar play em algo. Não somos obrigadas haaha. beijo!

  • Concordo, tem algo de diferente e especial, e não julgo a qualidade. E nada de rebeldia ou chupa sociedade. A gente pode gostar ou não de algo sem ter que gritar na cara dos outros que vai contra ou a favor de uma vertente. Acho justo que nos indiquem bons filmes. Discordo do terrorismo quando você não quer ver algo e te acham alienado por isso. Só. :)

  • Eu gostei dos dois e fiquei querendo que tenham outros hahaha. No meu ponto de vista, Senhor dos Anéis é bem bom, hein? Se despertar interesse, veja :) Se não despertar, amanhã a vida vai continuar igualzinha, não se preocupe hahah :) beijo!

  • HAHAHA Acho que você levou a mal meu comentário e não era esse o objetivo. Minha única crítica foi referente a sua visão de clássico (eu infelizmente não consigo diferenciar clássico “de cinéfilo” de clássico “de massa”) que eu continuo achando equivocada (sem ofensas, pfvr!). De resto, você tem todo direito de não gostar de um filme, só achei pertinente comentar que de repente você pode estar fazendo um juízo errado de quem acha estranho você não ter assistido tal filme, pois vi um tom de “revolta” (será que tô usando a palavra certa?) no seu texto. Fim. Era só isso, girl! Hahaha

  • Danny

    Eu nunca asisisti Kill Bill.

  • O problema não é tanto pelo filme e mais pelas pessoas que acham que tu deveria ve-lo. Star Wars é um que eu adoro, até tento convencer a pessoa a ver por achar que ela vai gostar, mas se não quiser, paciência. Pra mim não estou perdendo nada não vendo Crepúsculo e, dependendo da pessoa, também sou crucificado por isso.

  • Eu assisti só o Kill Bill 1, não fiquei com vontade de assistir o 2 e provavelmente não irei assistir ao 3 se for lançado :) concordo muito contigo, tenho problemas com isso porque odeio filmes de terror ~sou cagada, fato~ e me jogam milhões de pedras quando digo que não assisti os melhores filmes deste setor cinematográfico ou até quando digo que não curto The Walking Dead. Mas a questão é: Porquê tenho que assistir algo que não me interessa ou não me deixa feliz? Se eu não assistir, eu não me encaixo na sociedade? Wtf? Gosto é gosto e não se discute.
    Me deixem com as minhas comédias românticas pfvr.

  • Marina Oliveira

    Mas a questão é que a atitude da galera não é em relação a vc gostar ou não. É que quando vc fala que nunca viu um filme tipo kill bill as pessoas se impressionam, porque são GRANDES classicos. É tipo “dá uma chance pro filme, é bem provável que vc goste”

busca

confira

quem?

baconfrito