E se misturassemos cinema com a história da arte?

Cinema terça-feira, 02 de outubro de 2012

Não sei se eu que estou ficando louco, ou mais alguém acha que um filme pode ser considerado uma pintura animada? Devo ser só eu mesmo que acha isso, mas é fato que alguns filmes tem fotografias tão belas que se algumas cenas fossem congeladas, poderiam ter sido obras de arte de grandes pintores da história. Então, partindo dessa ideia, selecionei alguns filmes e obras de alguns pintores que poderiam ter criado essa maluquice que inventei. Alguns eu levei mais em consideração o estilo, outras levei em conta as emoções transmitidas, assim como o período histórico. Chega de lenga-lenga, vamos a essa bagunça (Na esquerda, obra do artista; na direita, cena do filme):

Andy Warhol – Dick Trace

Andy Warhol talvez tenha sido o maior de todos os artistas recentes, muito devido à gigantesca agregação de cultura pop que são utilizadas em suas obras. Suas características marcantes são cores vivas, alto contraste e detalhes chapados. No cinema, podemos encontrar todas essas características em Dick Trace, filme dirigido por Warren Beatty em 1990. A direção de arte do filme conseguiu trazer para a telona toda a atmosfera dos quadrinhos (De onde o filme foi adaptado). A referência a cultura pop tão importante na obra de Warhol também está presente em Dick Trace, com a presença de Madonna no papel da feme-fattale Breathless.

Eugène Delacroix – O Leopardo

Um dos meus artistas favoritos, o francês Eugène Delacroix foi um dos grandes responsáveis por imortalizar nas telas de papel alguns dos grandes feitos da Revolução Francesa, como a representação da Marianne (A personificação dos ideias de liberdade, igualidade e fraternidade, que é a Estátua da Liberdade e está em todos os nossos dinheiros). Delacroix é famoso por retratar também outros feitos grandiosos, como A Tomada de Constantinopla pelos Cruzados. O filme em comparação, O Leopardo, de Luchino Visconti, também retrata grandes feitos nas suas quase 3 horas de projeção, entre eles a guerra pela unificação da Itália. Reparem nas semelhanças do quadro de Delacroix com o filme:

Edvard Münch – O Sétimo Selo

Minha obra de arte favorita e quadro mais caro já vendido, O Grito, de Edvard Münch, foi pintado em um período de inquietação e crise social denominado expressionismo. E é exatamente essa sensação que temos quando admiramos a obra, um grito de angústia de toda uma Europa decadente. O sueco Ingmar Bergman passava por uma profunda crise emocional e espiritual quando escreveu e dirigiu o que considero seu melhor filme, O Sétimo Selo. Só eu acho que a Morte de Bergman, se parece com o indivíduo pintado por Münch?

Salvador Dalí – Um Cão Andaluz

Sobre esta comparação eu não tenho nem muito o que falar, já tanto filme quanto quadro foram feitos pela mesma pessoa, Salvador Dalí (O filme foi feito em parceria com Luis Buñuel). E se eu tinha dúvidas quanto a minha loucura de fazer essas comparaçõs, pelo menos nessa eu tenho um desconto. A Uiara (Que escrevia pra essa bodega antigamente) me disse que também tem a impressão que o curta é uma pintura surrealista em movimento.

Vicent Van Gogh – Matchpoint

Muito do que eu conheço do Vicent Van Gogh vem fanatismo do meu pai pelo pintor holandês que morreu na sarjeta. Van Gogh era doidinho de pedra, mas sabia como poucos apreciar e retratar paisagens naturais, se destacando no período conhecido como impressionismo. Lembro que da primeira vez que vi Matchpoint, do Woody Allen, na cena do beijo em meio ao campo pensei na hora, “Caraca, isso parece um quadro do Van Gogh”. A imagem abaixo, tirando a pentada violenta, não deixa dúvidas.

Então, é só paranóia minha ou vocês também conseguem ver pinturas em outros filmes?

Leia mais em: , , , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • João M.

    Interessante…
    Tem também o “Sonhos” do Kurosawa, na parte do Van Gogh…

busca

confira

quem?

baconfrito