Duplicidade (Duplicity)

Cinema quinta-feira, 04 de junho de 2009

 Thornton e Wilkinson são executivos rivais da indústria farmacêutica que brigam para deter o monopólio de um mercado altamente rentável. Nesse cenário aparecem Owen e Roberts, uma dupla de espiões industriais que se junta para dar um golpe em seus respectivos chefes – Thornton e Wilkinson.

Pois é, eu não consegui arrumar uma sinopse maior do que essa. Mesmo porque, o filme não deixa contar muito mais que isso, sob pena de entregar o final. E eu sugiro que você preste bastante atenção, pra não ser surpreendido por um final com o qual você não contava. Ou só eu não sou fodão aqui?

Mas vamos lá. Tudo começa com um encontro entre Ray Koval, agente do MI-6 [Serviço secreto britânico], e Claire Stenwick, funcionária da CIA. O encontro se desenrola numa embaixada em Dubai, o que significa que o que não falta é quarto livre. E adivinha pra onde eles vão?

Não, imbecil, eles não vão fofocar sobre a roupa das moças presentes perto da mesa de bebidas. Pense em algo mais… Hetero.

Exatamente, eles vão pra uma suíte. O problema é que Claire trepa com Ray. E depois fode com ele, e não é no sentido que nós homens gostamos. Ela dopa o cara, vasculha o quarto atrás de uns documentos, e quando acha, pega e sai andando.

 Sacaneia não, tia!

Tempos depois, eles se reencontram. Quer dizer, na verdade Ray encontra Claire. Andando perdida por uma rua de Roma. Sim, do nada. E o que eles fazem? Exatamente, vão pra outra noite de baderna e… Perae, acho que eu tou pulando alguma coisa.

Ah, sim. Isso que eu tava falando são só flashbacks. A história principal é aquela lá, de que os dois são espiões industriais e coisa e tal. Deixa eu explicar melhor: Claire tem um cargo no setor de contra-espionagem de uma empresa fodona, e Ray é espião da concorrência. Acontece que Claire é uma agente dupla que também trabalha pra empresa de Ray. Ou seja, ambos estão trabalhando pra roubar uma ideia da empresa à qual Claire devia proteger. Confuso?

 “Seguinte, cê é anti-espiã da área de espionagem ao mesmo tempo em que é espiã do concorrente e tiazinha do café, beleza?”

Enfim, a trama vai se explicando sozinha, o que vai perder boa parte da graça se eu explicar aqui, certo? Mas o que eu posso dizer é: Clive Owen devia ser o James Bond. Aqui ele parece muito com James Bond aposentado. Aposentado e roubando segredos industriais, o que no final é quase a mesma coisa. Exceto por não matar ninguém.

Duplicidade

Duplicity (125 minutos – Thriller)
Lançamento: Alemanha, EUA, 2009
Direção: Tony Gilroy
Roteiro: Tony Gilroy
Elenco: Clive Owen, Julia Roberts, Tom Wilkinson, Paul Giamatti, Dan Daily, Lisa Roberts Gillan, David Shumbris, Rick Worthy, Oleg Stefan, Denis O’Hare

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito