Do joystick para os quadrinhos: Left 4 Dead

HQs quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Os quadrinhos tem uma forte fonte de inspiração em outras mídias. Não é raro vermos séries, filmes, desenhos, jogos entre outras mídias virando histórias na arte seqüencial.

E não foi diferente com Left 4 Dead, que transpassou do game para os quadrinhos em Left 4 Dead: Sacrificio, que é meio que uma sequência do jogo.

O game, que é multiplayer, coloca quatro personagens tentando sobreviver a uma horda de zumbis. Mas não ache que é esses comedores de cérebros que estamos acostumados, pois no jogo temos os “chefes” que são verdadeiros zumbizões.

A grande sacada de Left 4 Dead é que o jogo obriga os sobreviventes a cooperarem um com os outros, incentivando assim a cooperação mútua dos jogadores. Mas não ache que você joga só com os humanos imunes, pois no modo multiplayer você pode controlar os mortos-vivos.

O jogo que conta com quatro cenários, variando entre áreas urbanas, industriais e rurais, devendo os jogadores que controlam os sobreviventes conseguirem se manterem vivos, fugindo de abrigo em abrigo, enquanto que os zumbis tentam impedir esse objetivo.

A HQ, que foi dividida em quatro partes, segue a história do game nos mostrando os sobreviventes: Louis; Francis; Zoey e Bill; presos em uma casa na Pensilvânia em meio a uma horda de infectados, enfrentando inclusive os zumbis mutantes: Boomer (Explodem e vomitam); Hunter (Escala e dá grandes saltos); Smoker(Que usa sua comprida língua como chicote) e Tank (Bombado de esteróides). Também temos a presença da Witch (Uma zumbi mutante praticamente passiva, mas que quando ataca provoca grandes danos).

Posteriormente, os sobreviventes são resgatados pelo exército, e levados para uma base militar onde descobrem que eles podem estar transmitindo o vírus, já que eles conseguiram sobreviver, atravessando da Filadélfia até a Pensilvânia.

Uma coisa legal da HQ é que ela apresenta um pouco do passado dos sobreviventes, pouco antes da infecção – inicialmente tratada como uma gripe – transformar quase todos os humanos em zumbis, bem como seu primeiro contato com os monstros.

Durante as quatro partes vemos eles fazendo aquilo que mais sabem: Matar zumbis. E para isso até ensinam alguns “truques” para os soldados do exército. Eles fogem rumo ao sul, com a intenção de fugirem para uma ilha onde supostamente poderão ficar em paz.

Eles até conseguem chegar, e é nesse momento em que temos o sacrifício de um dos sobreviventes, para que os demais possam continuar sua jornada.

Na verdade a história é meio que um interlúdio para o pacote de expansão The Passing do jogo e posteriormente para a sequência do game, com Leaf 4 Dead 2. E se tem uma coisa que a HQ não deixa faltar é o aspecto sombrio do jogo, já que sangue jorrando, explosão e mortes não faltam na história.

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Sempre fui fascinado por tudo que envolva zumbis, inclusive era viciado em Resident Evil quando era pequeno. Quando vi Left 4 Dead pela primeira vez, quase fui a loucura e jogava sem parar até enjoar.

    Sempre achei que a história do jogo poderia ser melhor explorada, e agora eis que me deparo com essa continuação em hq. Vou correndo arranjar essas revistas pra dar uma lida durante as férias!

busca

confira

quem?

baconfrito