Discografia Legião – Parte II

Música sábado, 18 de dezembro de 2010

Pois bem, eis a continuação da primeira parte da discografia do Legião Urbana (Por isso tá escrito “Parte II” no título) e sem mais enrolações, vamos à análise!

1992 – Músicas p/ Acampamentos

Eis a primeira coletânea da banda. Conta com dois CDs, cada um com 10 músicas, ou seja, daria para colocar todas num CD só, mas colocar em dois fica mais chique e dá mais dinheiro. Para ser sincero, não faço a menor ideia do que os responsáveis pelo álbum chamam de “acampamento”, uma vez que de todas as faixas presentes, eu só ouviria “Pais e Filhos” e (Muito a contragosto) “Faroeste Caboclo” (Ambos do CD 2). As faixas do álbum foram gravadas entre 1986 e 1992 e contam com trechos de músicas famosas (Mais um exemplo de criatividade), como “Ticket to Ride” dos Beatles e “Faz Parte do Meu Show” do Cazuza (Cês tão ligados que o Cazuza comia a mesma fruta do Renato, né? REFLITÃO).

1993 – O Descobrimento do Brasil

Se o Legião Urbana já reclama de tudo, eis aqui o “boom” de tal ação. Todas as músicas soam extremamente parecidas: “blá blá blá isso não pode, não está certo blá blá blá”. Nenhum grande sucesso (Se é que houve algum mínimo sucesso neste álbum) e nenhum grande fracasso, é um álbum que ao dar play, só se nota quando termina de tocar.

1996 – A Tempestade

O último disco do Renato Russo começa de forma monótona e entediante. Com grande parte das faixas sendo depressivas, as mais “alegres” como “1º de Julho“, “Aloha” e “Leila” (Sendo esta um pé no saco, apesar de ser uma das mais… Interessantes do álbum). Se “V” te deixou depressivo, “A Tempestade” é o álbum certo para cortar os pulsos.

1997 – Uma Outra Estação

O primeiro álbum depois da morte de Renato Russo é, felizmente, melhor que “A Tempestade”. A primeira faixa só se destaca por um único motivo: Evidência que todos na banda usavam dorgas, uma vez que eles acreditam em horóscopo e desistiram da faculdade, além do papinho “eu gosto muito de esportes”. O destaque vai para “As Flores do Mal” como melhor faixa, “Clarisse” que é um saco e “Travessia do Eixão” que… Bem, é estranha.

Taí, fim da segunda parte da discografia. A terceira e última parte contará com os outros 3 álbuns da banda e uma análise geral da carreira da banda que é tida como uma das melhores do Brasil (A ignorância pode ser tão irritante às vezes).

Nota de última hora: Vi hoje (Dia 13) a notícia de que os álbuns serão relançados em CD e em vinil por nada menos de 120 reais. CENTO E VINTE REAIS. NISSO.

Leia mais em: , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Ygor P.

    Essa crítica foi bem melhor que a primeira EHAUEHAU
    Deu pra concordar com a crítica do início ao fim, e ainda assim achar Legião ótimo; A Tempestade é realmente depressivo, a faixa “A via láctea” é ponto de suícidio do álbum..
    Ancioso para a parte 3, quero ver a crítica do “Como é que se diz eu te amo”

    È isso, abraços.

  • Acho que desses o que eu conheço mesmo é o Descobrimento do Brasil. Não sou super fã de Legião, mas gosto das músicas deles. Mas quem é fã mesmo é o meu namorado.
    =1

  • Uiara

    Travessia do Eixão faz sentido pra quem é Brasília. Veja bem, eu disse “faz sentido”, não “é boa”.

busca

confira

quem?

baconfrito