Deuses, Divindades, Anjos e Demônios

Analfabetismo Funcional segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Falar sobre deuses ou demônios sempre traz alguns problemas. Sempre tem aqueles que são devotos de Odin, Seguidores de Chuthulu ou simpatizantes de Afrodite, mas falar disso é como, no fim de tudo, acabar indo a uma missa na igreja, porque VÃO existir fatos que alguns concordam e que outros serão extremamente ofendidos, e essas coisas assim. Então, pra falar sobre isso, tentarei ser o mais neutro possível. Pff, como se eu conseguisse.

Literatura focada nesses assuntos sempre tem seus pés focados na mitologia, em histórias encontradas em pergaminhos, papiros de couro de carneiro e tudo aquilo mais que diziam que se escrevia muitos anos atrás. E, por causa de tudo isso, hoje em dia temos centenas, milhares de divindades para se escolher. E como essas divindades nunca podem ficar sozinhas, existe o oposto delas, os demônios e outras bestas.

Isso foi uma explicação básica, sei que poderiam fazer isso melhor que eu, mas enfim, acho que ela serve, pelo menos por enquanto, já que não pretendo entrar muito nesse assunto e nem quero ser alvo de voodos ou maldições. E nem alvo de nenhuma Cruciatus, potterianos.

Meu interesse por livros assim é bem superficial, não é algo que eu compraria, até porque seria roubado na primeira semana, já que tenho pessoas com um… sexto sentido para esses assuntos. Ou que tem pequenos diabinhos na mochila, que revistam todas as que tem em sua volta. Mesmo livros de RPG tem assuntos focados em dêmonios e deuses, até porque em histórias assim de fantasia e de aventura, um panteão de deuses normais nunca é suficiente.

E o que mais impressiona em tudo isso é quando fãs ou autores, na febre de conseguirem algum reconhecimento, resolvem cruzar todos esses panteões. Como, por exemplo, quando tentaram relacionar senhor dos anéis com as coisas que cristãos acreditam e que se encontram na bíblia. Isso não é algo que poderia dar certo, mas mesmo assim, foi feito. O resultado disso está no livro Encontrando Deus em O Senhor dos Anéis, um livrinho curto, cretino e, por diversas vezes, errado. Mas só percebi os erros em citações a Senhor dos Anéis, se erraram algo citando a bíblia, ignoro o fato. Até porque li ele na livraria mesmo, não ia gastar dinheiro nisso.

“É impossível ser neutro, o Senhor nos disse que, ‘se não está comigo, está contra mim’, então a neutralidade não é uma escolha”, diz um jornal religioso que caiu em minhas mãos algumas semanas atrás. Foi material de riso por um tempo, muito bom então, seguir alguma coisa assim tem vários motivos. Não ser neutro é algo que a maioria não gosta, TODO mundo tem que ter algum lado para seguir, mesmo que não seja o certo diante dos olhos alheios. Eu? Bom, prefiro ser neutro e deixar isso de escolher um lado pra depois, ou ser um mercenário e ir pro lado que pagar mais. Não estou a fim de seguir um fato que dizem ser certo e, no fim de tudo, de uma nuvem ou um buraco no chão, surgir uma figura falando “asjaskghdsjlkf enganei um bobo na casca do ovo! Vocês todos estão errados e vão sofrer!”. Tá, pararei por aqui, antes que eu resolva começar a contar coisas que não devia.

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • dervecna

    Eu passei seu nome para a OTO, a TFP, a ICAR e para um mestre de voodoo da minha cidade. Você queimará na fogueira, enquanto uma chuva de ácido cai dentro de seu intestino delgado, causado por uma besta infernal cristã.
    Herege… =P

  • Guten

    GAAAAHHHH!!
    “Encontrando Deus em O Senhor dos Anéis”?
    Tolkien está se revirando em agonia no túmulo desde o lançamento deste livro. O cara rala para criar toda uma nova mitologia (nem tão nova, tem elementos das mitologias nórdicas, mas sempre rola uma Ctrl+C Ctrl+V cultural, cês sabem) e um infeliz faz uma droga dessas? Que seja consumido pelas chamas de Morgoth enquanto um Balrog sapateia em suas bolas.

busca

confira

quem?

baconfrito