Deadpool 2

Cinema quinta-feira, 17 de Maio de 2018

 O bocudo mercenário da Marvel está de volta! Maior, melhor e, ocasionalmente, mais pelado do que nunca. Quando um super soldado chega em uma missão assassina, Deadpool é forçado a pensar em amizade, família e o que realmente significa ser um herói – tudo isso, enquanto chuta 50 tons de bundas. Porque, às vezes, para fazer a coisa certa, você precisa lutar sujo.

Eu não sei nem por onde começar. É difícil falar desse filme sem meter spoilers na sua cara, já que não é bem o que parece ser. Quer dizer, é. Mas tem toda uma questão de não estragar a experiência alheia. Ou seja, pode ser que existam spoilers nesse texto, não posso afirmar veementemente nem negar enfaticamente, já que hoje em dia eu nem sei mais o que pode ser considerado ou não spoiler. Talvez seja o caso de você, que se preocupa com isso, voltar aqui só depois de assistir o filme. Ah, quem eu quero enganar? Ninguém lê isso aqui. Talvez eu devesse fazer algo produtivo com o meu tempo, como jogar videogames, ou estudar. Mas quem disse que estudar é legal? Bom mesmo é sentar numa cadeira e ficar duas horas vendo imagens estáticas sequênciais que dão ilusão de movimento, com áudio sincronizado de forma a parecer ser emitido pela mesma fonte das imagens e… Ok, acho que eu fui longe demais. Vamos voltar para a casinha.

Depois de muito batalhar para fazer com que o filme de Deadpool se tornasse uma realidade [E não uma aberração, como no filme do Wolverine], eu só posso dizer que o Ryan Reynolds achou o papel da vida dele. Se isso é bom ou ruim, ai já são outros quinhentos. O que eu sei é que, devido à divergências criativas [Um eufemismo do mundo do entretenimento pra mascarar a boa e velha treta], o diretor do primeiro filme, Tim Miller, saiu fora, já que o estúdio não ia tirar a principal estrela de uma franquia tão lucrativa.

Isso não parece importar, já que, além de arrumar alguém [David Leitch] pra botar no lugar, o Ryan agora se meteu até a escrever roteiro. Não, não foi sozinho, mas aparentemente ele cansou de só improvisar, e resolveu botar a caneta direto no script alheio. Não que isso seja problema meu. Pra mim ambos os roteiros são ótimos, o segundo melhor que o primeiro, mas eu não sei a extensão dessa participação, então não posso estabelecer essa causalidade. Talvez pelo fato de que, como não existe mais a necessidade de uma introdução da origem do personagem, a história possa se desenvolver de forma menos forçada, apesar de algumas concessões que precisam ser feitas por questões de adaptabilidade, já que nem tudo que funciona em vinte e tantos anos de HQs funciona numa mídia como o cinema, que tem que desenvolver todo um arco em duas horas.

 Fonte
O barbudo é o Loney.

Do que eu tava falando mesmo? Piadas com pinto? Sim, tem piadas com pinto. Com bolas? Tem também. Piadas de peido? Putz, nesse caso eu acho que não. Bola fora, hein Fox/Marvel/Ryan. Mas, como não poderia deixar de ser, num filme que conta com Cable, tem piadas sobre viagem no tempo. Se bem que só no fim. Talvez seja importante lembrar que vários mutantes fazem participações, a maioria em forma de piada, mas não como você provavelmente imagina. Na verdade, o filme todo é uma grande surpresa, no sentido de que cê não espera… Não, você não ACREDITA que o enredo foi levado desse jeito. Ou talvez acredita, sei lá, não sou sua mãe.

A maior surpresa de todos é o vilão. Não, óbvio que não é o Cable, caralho, larga essa Caras e vai ler uma HQ, puta merda. O Cable é um dos mocinhos, assim como o… Colossus. O Deadpool não é exatamente um mocinho, ele é só o protagonista, tem uma diferença. O vilão é Hitler, como sempre na internet. Inclusive uma das cenas pós-crédito era o Wade matando o bebê Hitler, mas aparentemente é muito pesado pra um filme em que alguém é partido ao meio feito um graveto. Vai entender essa gente.

 Não tem luta num trem, mas é quase.

Mas o que importa é o seguinte: Deram um jeito de botar o impedimento de encontrar com a morte no filme, mesmo que não seja a personificação da morte, é um belo de um aceno pro Thanos e eu chorei. Fora o fato de que o o mesmo ator faz o Cable e o Thanos: Josh Brolin. Falando em aceno, essa parada do mesmo ator interpretar dois personagens no universo Marvel também é citada, de forma bem rápida, como quase todas as piadas do filme. Se você não presta muita atenção, vai perder bastante coisa.

E não acredite nos trailers, eles mentem.

Deadpool 2

Deadpool 2 (119 minutos – Ação)
Lançamento: EUA, 2018
Direção: David Leitch
Roteiro: Rhett Reese, Paul Wernick e Ryan Reynolds, baseados nas histórias de Rob Liefeld e Fabian Nicieza
Elenco: Ryan Reynolds, Josh Brolin, Zazie Beetz, Julian Dennison, Morena Baccarin, T.J. Miller, Brianna Hildebrand, Andre Tricoteux e Karan Soni

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito