Christopher Nolan – O homem por trás do morcego

Cinema sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Esse texto não tem nada a ver com o Batman, aliás. Prazer, podem me chamar de Smith, ou TRÓU, mas TRÓU é meio Ato ou Efeito demais (Alguém ainda lembra disso? Secretária Eletrônica? Não?), então me chamem de Smith mesmo. Ou melhor, não me chamem de nada, não gosto de dar intimidade. Enfim, vamos parar de falar de mim e vamos falar um pouquinho sobre o titio Nolan.

 Titio Nolan desenhando na parede.

(Peraí, eu posso usar qualquer imagem? Como que isso funciona? É considerado fair use? Não?)

Christopher Nolan, Chris pros mais chegados, é conhecido pela trilogia Batman, trilogia essa que durou 8 anos pra ser completa, matou (Pelo menos) um ator e lucrou tanto dinheiro que eu nem tenho como fazer uma analogia do tanto de dinheiro que era. Era muito dinheiro, véi. Mas disso vocês já tão cansados de saber, então vamos falar sobre os outros filmes do Nolan.

Amnésia (Memento), 2000

 O carinha que cospe fogo do Iron Man 3 perdendo a memória e aprontando todas.

Amnésia foi o primeiro filme de verdade do Nolan, antes do Batman Begins, baseado numa história que o irmão dele, Jonathan Nolan, escreveu. Amnésia é sobre Leonard (Guy Pearce), um maluco aí que não consegue fazer memórias novas desde que sua mulher foi morta. Mas ele tem umas tatuagens no corpo lembrando a ele do que fazer, tipo comer, dormir e matar o cara que matou a mulher dele. Tipo uma lista de afazeres, nada demais.

O filme te deixa confuso já nos primeiros dez minutos. E a história fica indo e voltando, pra te deixar mais confuso ainda do que quando tu assistiu Pulp Fiction na primeira vez. E quando tu acha que tá entendendo as paradas, tu percebe que não entendeu nada. Aí o filme e acaba e tu fica se perguntando “Pô, então é isso? Ou será que não é?” Tem pelo menos umas três teorias diferentes sobre a “verdade” por trás do filme.

Basicamente, é um Inception sem a pegada de blockbuster.

O Grande Truque (The Prestige), 2006

Depois de Batman Begins e antes de The Dark Knight, Chris fez O Grande Truque, baseado no livro The Prestige de 1995 do Christopher Priest. O Grande Truque é um filme com um elenco do barulho, contando com Hugh Jackman, Christian Bale (Isso mesmo, é um filme com o Wolverine E o Batman juntos, QUE MAIS TU QUER, A SCARLETT JOHANSSON?!?), Michael Caine e MEU DEUS DO CÉU ATÉ A SCARLETT JOHANSSON TÁ NESSE FILME NÃO É POSSÍVEL.

 Procurei uma foto da Scarlett com seu decote, mas foda-se, toma o Batman e o Wolverine no meio da rua.

No filme, Batman e Wolverine são dois amigos mágicos que vivem a vida fazendo magiquisses. Mas Batman acha que os mágicos de hoje em dia (Da época do filme, na verdade) são tudo um bando de frouxo, que ninguém mais tenta segurar um tiro com a mão, ninguém mais faz o truque do tanque com o nó mais maneiro. Então eles tão no meio de um truque e dá ruim, a assistente, que por um acaso é mulher do Wolverine, fica presa no tanque d’água e morre afogada na frente da plateia (E dos dois protagonistas).

Nisso, Wolverine fica puto com Batman porque acha que ele fez o nó mais difícil de desfazer na mulher e por isso ela não conseguiu escapar. Batman diz que não sabe qual nó ele fez, mas Wolverine não quer saber de caô. Eles se separam e começam a fazer magiquisses cada um num canto, Batman com seu parceiro mudo e Wolverine com o Alfred. Mas Wolverine vai atrás de Batman pra se vingar (Sem matar, também não precisa de exagero) e os dois começam uma revanche interminável. Até o final do filme, quando ela termina.

O final tem duas reviravoltas, uma que é meio óbvia e a outra que não é tão óbvia mas vai te deixar de queixo caído (Acho que dependendo da pessoa vai achar o contrário, vai achar a que eu achei menos óbvia a mais óbvia). Mas acho que essa foi a sacada do filme, te deixar focado numa parte e esquecer a outra (A história também não é linear, como em Amnésia, mas mais fácil de acompanhar).

Ah, e tem a Scarlett Johansson de decote. Corre lá pra ver.

A Origem (Inception), 2010

Entre TDK e The Dark Knight Rises, Chris dirigiu e produziu Inception, primeiro filme dele que foi baseado numa história original (Amnésia e O Grande Truque foram baseados na história de Jonathan Nolan e num livro, respectivamente, e imagino que eu não tenha que explicar que Nolan não criou o Batman).

Inception conta com Leonardo DiCaprio, Joseph Gordon-Levitt, Juno, Alfred (Esse tá em todas), Espantalho e a mulherzinha do mal do TDKR (Que seria reciclada pro último Batman junto com JGL), além de um monte de outras pessoas menos importantes.

 DiCaprio admirando os bebelos grisalhos de Alfred.

Esse é o único que a maioria aqui já deve ter visto, então foda-se, vai ter spoiler mesmo. Ou não. Quem sabe.

DiCaprio e Gordon-Levitt são extratores (Não sei o nome que traduziram pro português, mas enfim), ou seja, eles entram em sonhos e roubam informações pra vender pra empresas. DiCaprio é procurado nos EUA por homicídio, pois acham que ele matou sua esposa, que na verdade se matou porque tinha ficado maluca depois de entrar muito fundo nos sonhos. Um japonês qualquer diz que pode limpar o nome de DiCaprio se ele conseguir entrar no sonho de Espantalho pra implantar a ideia de acabar com a empresa do pai. Obviamente, implantar uma ideia é muito mais difícil que roubar uma informação (Caso contrário não teria história pra contar).

Nisso eles recrutam Juno pra ser arquiteta (A pessoa que constrói a arquitetura dos sonhos, dã), um indiano que é químico e pode criar um sedativo forte o suficiente pra deixar o pessoal chegar nas camadas mais fundas dos sonhos e Tom Hardy, um cara que faz coisas (Nada muito relevante). Eles entram no sonho do Espantalho e altas loucuras acontecem. Enfim, vocês já viram o filme, não preciso ficar explicando.

Dos três filmes, meu favorito é O Grande Truque. Inception é meu menos favorito, não que não seja bom, mas os outros dois são melhores. E por mais que tenha um bom elenco, não é o melhor papel de nenhum dos atores, então do meu ponto de vista parece um filme em que todo mundo é secundário, ninguém é muito importante (Malz aê, DiCaprio). Então é isso, assistam os filmes aê. Ou não. Vão assistir Big Brother. Façam o que quiserem.

Smith já foi colaborador do Bacon [Ou foi do Ato ou Efeito? Tanto faz] e hoje em dia dirige seu próprio negócio: Comentar texto alheio na internet. Mas ele deu uma parada pra voltar a escrever textos, porque escrever é uma droga e drogas viciam. Quer entar nesse mundo louco você também? Não se apoquente, a gente não julga [Muito].

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Smith / TRÓU

    Aí, só pra fazer uma correção. Nunca colaborei pro Bacon nem pro AoE (nem pra nenhum dos afiliados). Lembro que tinha um Smith na época do AoE mas dei uma procurada e nunca teve nenhum Smith no Bacon, então cá estou. Esse é de fato meu primeiro texto pro Bacon.

    Desculpa por decepcionar teu “EU SABIA!”, Pizurka. Espero que ainda possamos ser amigos(?).

  • Porra, cara. Eu sei que não, o nome não é o mesmo. Mas eu não tinha o que escrever sobre você, então deixei a mente livre HAUAHUHAUHUAHUAHUAHUAHU

  • Aquele Cara

    Faltou Insonia, com Al Pacino e Robin Williams.

  • Smith

    Verdade. Eu tava me guiando pelos filmes que ele tinha escrito também, e nem percebi que esse tava de fora (porque o Insônia ele não escreveu, só dirigiu).

    Mas na real também deixei Following (1998) de fora, e esse ele escreveu e dirigiu.

    Enfim, interprete esse artigo como um “Melhores do Nolan que Não Envolvem um Cara Fantasiado de Morcego”.

busca

confira

quem?

baconfrito