Caim (José Saramago)

Livros sexta-feira, 06 de agosto de 2010

Se você nunca leu Saramago antes, leia isto aqui e isto aqui. E também esqueça tudo que você aprendeu sobre parágrafos, falas e pontuação. E de preferência seja anti-religioso.

“Caim” é o último livro de Saramago. A narrativa do livro é (Obviamente) a história de Caim, filho de Adão e Eva. De acordo com a própria Bíblia, Saramago narra a expulsão de Adão e Eva do Jardim do Éden, que após vagarem por uma terra desolada, pedirem a ajuda a um anjo e se juntarem a um grupo de viajantes, se estabelecem num vilarejo, local no qual nascem seus três filhos: Abel, Caim e Set.

A estória narra em seguida que Abel, sendo pecuarista, teve sua oferenda aceita por Deus, enquanto a de Caim, que era agricultor, foi negada. Abel, sendo humano, provoca seu irmão de diversas maneiras, sendo, em parte, responsável pela sua própria morte. Caim então faz um pacto com Deus: Ele não sofreria nenhum mal, mas também seria obrigado a ter uma vida “cheia de aventuras”.

Caim então parte em sua jornada, que passa pela Terra de Nod, na qual conhece a senhora do vilarejo, Lilith, com a qual tem um caso, apesar de esta ser casada com Noah. Partindo então das Terras de Nod, Caim viaja por diversas passagens bíblicas, como a contrução da Torre de Babel, a cena em que Abraão teria de sacrificar seu filho Isaac, a destruição de Sodoma e Gomorra, o incesto entre Lot e suas filhas, a volta de Moisés do Monte Sinai e a dança em volta do bezerro de ouro, a batalha na qual Deus para o Sol para Josué e o dilúvio e a arca construída por Noé. Tal passagem por épocas diferentes é descrita como “vários presentes”, todos acontecendo ao mesmo tempo.

Saramago, como claro opositor da igreja Católica, não poderia deixar de “corromper” toda a história, retratando todos os defeitos humanos em Deus, além de alterar as passagens bíblicas, fazendo com que Caim seja visto como o herói da estória e Deus como o vilão. De forma bem direta, todo o ponto de vista de Saramago se resumiria na frase “ele seria o primeiro morto na Inquisição”.

Caim aparentemente tem como única função cutucar o catolicismo, mas apesar de toda a provocação, o livro é muito mais realista do que a versão bíblica (O que, diga-se de passagem, não é muito difícil…). Caim pode ser tomado como a continuação de O Evangelho Segundo Jesus Cristo, sendo este a representação do Novo Testamento, enquanto que Caim é, claramente, a representação do Antigo Testamento. Caim, bem à moda de Saramago, é cheio de provocações, ironias e piadas de um certo humor negro, um exemplo disso é Noah, filho de Caim e Lilith.

José Saramago nasceu em Portugal em 1922, tendo sido serralheiro, desenhista e jornalista, se dedicando somente ao ofício de escritor posteriormente. Vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1998, Saramago era declaradamente opositor à igreja Católica e a Israel. José Saramago morreu dia 18 de junho de 2010 em sua casa, em Lanzarota, uma das Ilhas Canárias, devido à leucemia crônica.

Caim


Caim
Ano de Edição: 2009
Autor: José Saramago
Número de Páginas: 172
Editora:Companhia das Letras

Leia mais em: , , , , , , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Pareceu-me interessante, como a maioria dos livros escritos pelo “velho Sara”.
    Vai pra lista!

busca

confira

quem?

baconfrito