Balada e mau gosto musical

Música terça-feira, 11 de Maio de 2010

Não quero dizer que estou pegando o jeito da coisa heh, mas eu não me sentiria bem se não falasse sobre os comentários relevantes da semana de cara. Até porque, dessa vez um comentário realmente tem alguma coisa a ver com este texto, que beleza. É tudo uma questão de planejamento e marketing.

    Pablo
    Aff’ Falar mal dela pra quê?
    190 milhões de acessos no youtube!
    68 prêmios vencidos e vc?
    meu filho ela estuda musica desde os 4 anos !
    obvio q a voz dela num é tão forte quanto outras mas tb o genero musical num permite tantos exageros vocalicos.
    da proxima fundamente sobre alguem q realmente seja uma merda tipo : Justin Bieber !
    Lady Gaga é uma merda
    Enviado em 30/04/2010 às 22:19

O gênero musical não permite tantos exageros vocálicos. EXAGEROS. VOCÁLICOS. Eu sinto que estou falhando miseravelmente em tentar ensinar alguma coisa sobre música a vocês. Eu estudo Português desde os três anos, isso me faz um escritor? E eu falo mal dela porque ela é uma merda; se ela fosse boa, falaria bem. Justin Bieber QUEM

    EsKiiloo
    Os da balada não sabem o que é “”letra boa””, só querem alguma coisa pra dançar.

    Tava indo bem até aqui, meu chapa…
    Lady Gaga é uma merda
    Enviado em 30/04/2010 às 15:53

Rapaz, como é bom ler um “tava indo bem até aqui”. É a mesma coisa que ler um “parei em tal ponto”. Mas fico feliz com esse comentário, já que eu estava praticamente sem ideias prum novo texto. Nem tava, mas escrever sobre balada, mau gosto e lasanha é mais gostoso.

 Pareceu bastante conveniente.

A minha concepção de balada é a mesma concepção que um cristão tem do inferno. Não é um lugar que me atraia e nem que tenha algum atrativo real. Esqueçam a parte em que vocês falam que na balda existem gatinhas radicais aprontando altas confusões. Considerando que o planeta é maior que uma balada, você pode perceber que fora da balada existe muito mais mulher do que dentro de uma. Então, pra começo de conversa, você já começou errado. Mas não vamos falar sobre isso no texto. Aqui não é Capricho, porra. E não mesmo, Bacon é melhor que Capricho.

Bora falar de música nessa porra. Quem disse que você só prestigia o cantor, a banda, o maestro (q) OUVINDO o som? Dançar também é uma forma de falar que a música que tá tocando é boa. Não que eu saiba dançar, já que a minha habilidade nessa área é igual à de uma pedra molhada atolada em areia movediça. Mas, assumindo que você saiba dançar, você só vai fazer isso se gostar da música. Ou você já dançou, sei lá, Rebolation sendo que odeia o som? Ah, dançou Cine no lugar. Certo. Tudo a ver, aliás.

Quem vai à balada é eclético. Eclético é uma palavra que significa “eu não tenho gosto definido, qualquer coisa que esteja tocando eu tô ouvindo”. Ou seja, cê não pode falar de música. Por mais que, por exemplo, você goste desde Legião Urbana (QUE MERDA HEIN) à Matanza (Ergam seus copos, PORRA), você tem uma linha musical definida. Seu gênero tá aí, rock brasileiro, você só gosta de bandas diferentes. Isso se você considerar Legião como sendo uma banda, claro. Quem gosta de axé tem mais identidade musical que ecléticos.

Pra exemplificar o que eu tô tentando falar: Quem vai à balada é aquele que escuta rádio. Fala que curte uma banda, sendo que só conhece o single que toca vinte vezes ao dia e, não contente com isso, faz questão de cantar ou dançar em lugares apertados, como elevadores, ônibus e Virgens de Nuremberg.

 GOSTOSA

É bom citar que…

… Quem tem bom gosto tem bom gosto SEMPRE.

Não adianta nada você escutar Queens Of The Stone Age por trinta semanas seguidas e depois se mandar pra algum lugar, ouvir (Nota do autor: Tá cada vez mais difícil dar exemplos de bandas novas. Falem bandas podres atuais nos comentários e me ajudem, por favor) 50Cent, dançar e GOSTAR. Nenhuma banda precisa de um fã assim, simplesmente não vale a pena. Isso se alguma banda se importasse com os fãs, claro.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Eclético é uma palavra que significa “eu não tenho gosto definido, qualquer coisa que esteja tocando eu tô ouvindo”.

    Eclético significa alguém que não pretende se encaixar em rótulo específico.

    Eu me acharia ridículo em dizer, sou roqueiro. Isso de se encaixar em um estilo não quer dizer que você só gosta daquele tipo de música e sim que você se encaixa no padrão social que e estilo musical prega.

    Afinal, definir-se é limitar-se.

    E quando alguém me pergunta o que eu gosto de ouvir, sempre digo: Música boa. Música boa não se resume a um ou outro estilo. Ou você vai falar que Bethoveen é uma bosta, por que vc acha chato, sendo que o cara é um dos maiores compositores de todos os tempos?

  • Gosto é gosto. Mas em Baladas (ao menos nas que eu vou) não tem música, tem barulho – principalmente quando é som eletronico o vulgo tuch tuch, que parece um bate estaca no cérebro.
    Mas convenhamos que quem vai pra balada costumar ir pra festar, curtir a noite e não ouvir musica. E verdade seja dita, depois de algumas “degustações alcóolicas” não existe musica ruim.
    Ou como diz um amigo meu “Depois de uns litros de cerveja até quem odia sertanejo canta Boate Azul do começo ao fim.”

  • @Secolo

    Falou tudo (apesar de nem fazer idéia do que é boate azul).

  • @ Yuri
    é uma música tipica de fim de festa, a chamada “musica de zona”

  • Eu vim escrever aqui isso:
    “Eu concordo E não concordo.
    Tudo o que você(K) escreveu tem sentido. Até a parte do eclético. O problema é que existem sim baladas que toquem Queens of the Stone age com um monte de gente dançando, alcoolizadas ou não. O problema não são ‘as baladas’ e sim ‘quais baladas’. Até um tempo atras boas baladas tocavam boas músicas. O meu exemplo é: Rock Alternativo. há dois anos a Funhouse era meste nesse ramo. Agora não tanto. Aí veio o Milo, que agora CAGA NA CABEÇA de quem vai escutar bom som. Eu ainda procuro outros lugares, mas se o lugar começou a tocar algo que nao gosto, procuro outro.”

    Aí então li os comments e resolvi dizer mais isso:

    @Yuri, desculpe, mas quando te perguntam “que som você escuta” vc não diz que escuta de tudo, de funk até sertanejo. Não. Você pode até dizer que é eclético, mas isso quer dizer que você gosta de tudo. Não existe eclético, existe gosto apurado. Você pode sim gostar de Death Metal E DE musica clássica E DE rock 80’s, mas ainda assim não é eclético. Concordo PLENAMENTE com a parte da boa música. O que você escuta: 1)Boa Musica-CERTO! 2)Sou eclético-Pééé. Errado.

  • Acauã

    Definição de eclético do dicionario aqui de casa:
    Eclético advem de ecletismo
    Ecletismo: Corrente filosofica que aproveita o que há de melhor nos demais sistemas
    Ou pela wikipédia: ecletismo pode ser simplesmente a liberdade de escolha sobre aquilo que se julga melhor, sem se a apegação a uma determinada marca, estilo ou preconceito.
    Significado particular: Escola de Victor Cousin (1792-1867): o objectivo desta filosofia é, segundo o seu autor, “discernir entre o verdadeiro e o falso nas diversas doutrinas e, após um processo de depuração e separação através da análise e da dialéctica, reuni-las num todo legítimo, com vista à obtenção de uma doutrina melhor e mais vasta.”
    Nego define um significado metalmente para deteerminada palavra e acha que ta certo, serio me diz ae ONDE CARALHOS TA ESCRITO QUE SER ECLÉTICO É GOSTAR DE TUDO?

    E sobre balada:
    Pessoas( mulheres, maioria dos homens vai pra tenta descola uma foda no fim da noite msm) vão a balada para dançar ( rebolar até o chão) e por mais q Chico Buarque seja foda, ele não faz musica tipo “ode a luxuria” (ele tem musicas sacanas, mas da pra entender o que quero dizer não?), o que é necessario para ver gostosas rebolando até o chão. tem mais uma penca de coisaspara falar mas fiquei com preguissa, se alguem discordar que se manifeste e eu deixo a preguissa de lado

  • Acauã

    A parte de balada fico bem porco na real, mas o que quis dizer é : basicamente determinados tipos de musica se encaixam melhor em determinados momentos da vida

    exemplos:

    se voce ai ser Tr00, que agora esta escutando uma musica que com os mais belos acordes e melhores tecnicas sonoras do mundo, tive-se uma gostosa na sua frente e ela fala-se “escolhe uma musica que vo dança pra voce agora” voce ia escolher aquela musica que te arrepiou a primeira vez que escutou, ou uma musica, com uma batida vulgar, que faça a mulher se sentir ao mesmo tempo vadia, sedutora, desejada etc.

    To defendendo isso de advogado do diabo, pq o que eu gosto mesmo é de Iron Maiden, Metallica, Chico Buarque, Cazuza Racionais ( e pra quem vir falar mal disso, sente no onibus do preconceito junto com Mussoline, pq o Mano Brown é um otimo musico) dentre outras coisas

  • Jade Zamarchi

    @K
    Ai, ai Henrique… você sempre muito polêmico. Haha Bom, eu não sou lá muito baladeira, mas é bobagem você afirmar que música eletrônica é lixo pra um bando de mané dançar. Não é a corrente que me faz querer sair de casa pra dançar, mas já pensou que o interesse por esse estilo musical é provavelmente o que motiva os DJs do ramo? TEM gente que gosta, oras.
    Já sobre gostar de várias coisas diferentes eu acho complicado. Não vejo necessidade de eu conhecer uma única banda de cabo a rabo. Acho que dá sim pra conhecer várias coisas e gostar, eu por exemplo escuto Kasabian e adoro Maria Rita; gosto especialmente de uma música do Motorhead e não tô nem aí se o meu mp3 também tem um monte de música do gênero pop! Pra mim, o que vale é o que aquilo desperta em você. Ou na visão dos colegas chegados na erva mardita, “tem que sentir a vibe” do som. Além do que, uma pessoa normal não escuta todo o tempo os mesmos tipos de música (Por favor, exclua aquele povo alienado que usa gênero musical pra estilo pessoal – vide rockers, emos, funkeiros…). Agora, na boa, tenta por um Sepultura enquanto você está dando uns amassos ou Céu na festinha da faculdade e depois me conta o resultado. Sintonia entre momento e música todo mundo curte, até você (Se você for uma pessoa normal, claro).
    Caralho, que texto. Sorry, Henrique :*

    @Acauã
    Preguissa. PreguiSSA. PreGUISSA. PREGUISSA. E se fosse só uma vez eu tinha perdoado, mas duas vezes não dá!

  • Eu acho que cês são tudo uns ecléticos enrustidos.

  • Acauã

    é que o ç fica perto do ss no teclado aqui de casa

    sabia que devia ter instalado o plugin de correção ortografica no firefox

    agora eu perco todo, inclua aqui ter uma opinião relevante, direito de argumentação, por causa de um erro grotesco de portugues?

  • Jade Zamarchi

    @Acauã
    Alguém aqui comentou algo à respeito da sua opinião? Alguém desmereceu seu “direito de argumentação”? Sem mimimi.

  • Se depender de mim, quem escreve “preguissa” perde todo o direito à qualquer coisa, inclusive a viver. Mas eu sou meio radical.

  • K

    @Yuri
    É (Ludwig van) Beethoven, não Bethoveen. Você é eclético e usa frases prontas do Orkut, cara. Simples. E eu posso achar qualquer cara chato, isso é questão de opinião, vide meu último texto sobre criticar. ;]

    @secolo
    Boate Azul só com coma alcoólico. Eu concordo com o objetivo da balada, apenas critico quem gosta do som e o defende – escuta no computador uma música do, sei lá, Asa de Águia, e acha que tem razão quando quer discutir sobre, por exemplo, AC/DC.

    @Angelo Dias
    Saquei, véi. Mas entenda que você deu o exemplo contrário do meu, e, mesmo assim, eles são iguais (Por isso concordo contigo). Quem vai a uma balada regada a QOTSA – e outras músicas aleatórias do gênero, por exemplo – não deve se meter a criticar sertanejo. São gostos diferentes. Pra mim, bom gosto é rock, tanto que tá no texto; pra outra pessoa, pode ser… Forró. Quem escuta coisas aleatórias e quer se meter a manjar de alguma coisa é… Eclético.

    @Acauã
    Ah, a velha desculpa do teclado. Falta de cérebro também é uma desculpa válida e tal. Saca também que a definição de ecletismo, que você comentou, vai na mesma linha com o que eu escrevi: Pega os SINGLES da banda, apenas, e acha que manja de alguma coisa. Obrigado por complementar o texto com essa definição, RÁÁ´´ÁA. E sobre mulher e música, vai sair um texto FENOMENAL esta semana sobre isso. Sim, eu já li. Sim, isso foi um spoiler. E coloca sua PREGUISSA pra longe, véi.

    @Jade
    Também existem baladas sem ser eletrônico e tal. Acho. Mas isso de achar uma bosta esse gênero é o meu lado de ver as coisas. Sim, pra mim, grande parte das coisas é uma merda, mesmo. E não tem nada de errado em não se prender a um gênero musical, apenas. O que tá errado é ser eclético mesmo, ouvir um single de todas as bandas do rádio, falar que manja e tal e criticar o gosto dos outros. Isso nem gosto é. Gostar de gêneros diferentes não te faz eclética; parasitar, sim. E eu tô aqui pra fazer polêmica mesmo, heh.

    @Pizurk
    E quem disse que o maluco tá vivo?

  • @K Frases prontas de orkut? KKKKKK
    Tdo bem, você pode gostar ou não do que quiser, mas também não pode simplesmente falar que algo é ruim porque você não gosta. O seu gosto não quer dizer que você conhece mais que outra pessoa.
    Você é um escritor, se escreve é porque tem conhecimento de causa. Senão, fala: isso pra mim é ruim. a não ser que argumente coerentemente o porque daquilo.

  • K

    @yuri
    Ahm, se eu não gosto de uma coisa, é do meu direito falar que é ruim. O meu gosto quer dizer que eu conheço as bandas que eu escuto – ou o gênero – melhor que certas pessoas que, pasme, não têm o mesmo gosto que eu. Ou seja: Todas, já que gosto igual não existe.

    E eu não sou um escritor. Só gosto de falar sobre música. E a minha argumentação é coerente pra quem acompanha todos os meus textos e, principalmente, sabe interpretar; pros outros…

  • @K

    O que eu quero dizer cara, é o seguinte. Nesse texto você fala de bom gosto, mas como você acabou de dizer que escreve sobre o que escuta, sobre o que você gosta.
    Então você não pode falar que tem bom gosto e os outros tem gosto ruim (ufa), por que aí teria que descrever o que bom e porque é bom e tal. Não concordo com a sua generalização

  • K

    @yuri
    Vou explicar pela última vez: EU. NÃO. ESCUTO. UMA. MÚSICA. POR. QUE. EU. NÃO. GOSTO. E. EU. ACHO. RUIM.
    Ou seja: O meu gosto é bom, porque é MEU. O seu gosto é ruim porque seu tempero é uma merda não é igual ao meu. Isso não é generalizar, é expor opinião – e ela não precisa fazer sentido pra todo mundo, já que existem pessoas que escutam Rebolation e acham bom. Pra mim não faz sentido algum.

  • Acauã

    Jade, o comentario não foi pra você e sim para os trolls vindouros

    K, SS perto do Ç, prefiro cometer um erro de portugues ( pra não dizer varios já que tenho preguiSSa de acentuar a maioria das palavras) do que não saber interpretar um texto…
    Você escolhe o significado das palavras ao acaso? não sabia que single significa melhor musica da banda, achava que que era a musica escolhida para ser explorada comercialmente, aqui me refiro a sua afirmação que ser ecletico significa conhecer apenas os singles. E eu me considero ecletico por gostar de vários generos musicas e não de bandas diferentes ( gosto de Eyes of the tiger, mas não faço a minima queastão de conhecer Survivor)
    O meu conceito de eclético é esse gostar de diferentes generos musicais ( NÃO NECESSARIAMENTE DE TODOS), não de diferentes banda, lógico que se você gosta de G.O.G e Tom Jobim estará apreciando generos diferentes ( odeio explicar coisas desse modo, pra mim da para entender o que quis dizer sem a ultima frase, mas como tem gente que tem uma interpretação de texto tendendo a 0…)
    Só mais uma coisa você ainda afimar isso: “Eclético é uma palavra que significa “eu não tenho gosto definido, qualquer coisa que esteja tocando eu tô ouvindo”” depois de ler a definição de ecleticismo?

    Pizuk, você deu nota NOVE para “hora do pesadelo”, logo sua opinião sobre qualquer coisa se torna no minimo questionavel, cê gosta de pagar de radical ( não digo isso apenas por esse seu comentario), porém gosta das historias mais cliches possives… No mais eu já esperava esse comentario vindo de você
    Ps: Sustos com aquele filme? spo se a pessoa dormi na durante o filme e acordar com um grande barulho, ja vi desenhos mais violentos

  • K

    @Acauã
    Você é eclético até pra definir o que é “eclético”, tanto que copiou três definições pra tentar… Falar algo, ao invés de ler o que eu escrevi naquele comentário grande e comparar com o que tá no texto.
    Bom, você não sabe usar cedilha. Sua opinião é questionável, já que cê gosta de pagar de radical.

    E o Pizurk é radical. Tão radical quanto meu

  • @Acauã
    Eu só não entendi o que raios o meu gosto por blockbusters tem a ver com o seu ecletismo musical, mas enfim. Tem gente que gosta do filme das Bratz. Bom gosto é coisa rara hoje em dia, mesmo. Mas se você quer discutir sobre a minha resenha, já pensou em… Sei lá, comentar lá?

  • Acauã

    O meu protesto é quanto ao uso, ao meu ver, incorreto da palavra eclético

    Copiei 2 definições ( a wikipedia continha o significado particular também), que são basicamente a mesma coisa, para demonstar o real significado da palavra. Só respondi o texto pois me incomodo com o jeito que determinadas palavras são utilizadas, e eclético é uma delas. A palavra “eclécito” é algo DEFINIDO, como 1+1=2. Não se deve dizer que ser eclético é gostar de tudo, e sim que gostar de tudo é ser eclético. Matematicamente falando X e Y pertencem aos reais, não implica em os reais pertencerem à X e Y, e no texto o que você faz é afirmar que os reais pertencem a X e Y.
    A parte que eu falo, ou até mesmo você, sobre balada é basicamente uma opinião e o certo e errado e totalmente relativo, logo isso deve ser discutido na mesa do bar e não na internet.

    e viva ao radicalismo \o/

  • Acauã

    Pizurk, o teu gosto por blockbusters tem haver com ecleticsmo musical o mesmo que o meu erro ortografico, aquilo foi apenas uma ofença gratuita como o seu “Se depender de mim, quem escreve “preguissa” perde todo o direito à qualquer coisa, inclusive a viver. Mas eu sou meio radical.”. Falácia basicamente
    Eu normalmente sou leitor passivo, não faço questão de dicutir opiniões pela internet, por isso não respondi aquele seu texto como tantos outros. Como disse no texto a cima só respondi aqui porque me incomodou o uso da palavra ecletico

  • @Acauã
    Não, cê se perdeu, deixa que o tio explica: Seu erro de português, que, como dá pra notar pelos comentários acima, não são só de digitação, mas sim de falta de vocabulário [Vide ofença, dicutir e a cima], o que só reforça que cê não tem envergadura moral de querer questionar o uso da palavra “eclético” no texto.

    Mesmo porque, se fosse erro de digitação, cê teria escrito “preguisa” e não “preguissa”, já que trocar um ç por dois ss é meio… incongruente.

  • mrjones

    kra eu gosto muito de musica, rock, blues, jazz sao os estilos de musica q escuto normalmente com bandas e cantores como Ac/Dc, Led zeppelin, Robert Johnson, Miles Davis… Mas as vezes, eu gosto de ouvi alguma coisa ruim pra da risada, e curti o fim de semana e nao se preocupar com a qualidade da musica sim com a compania e diverçao e mais nada

  • Ricardo

    Esse papo de “música ruim pra ver gostosa dançando” é ridículo. Desculpa de eclético enrustido.

    “uma musica, com uma batida vulgar, que faça a mulher se sentir ao mesmo tempo vadia, sedutora, desejada etc.” ===> Porra, tu NUNCA ouviu Nine Inch Nails? É música boa e tem tudo isso aí que você falou.

    Que “preguissa” de comentar mais sobre isso, numa boa…

busca

confira

quem?

baconfrito