Atividade Paranormal Em Tóquio (Paranormal Activity: Tokyo)

Cinema quarta-feira, 13 de junho de 2012

 Mais uma entrada na franquia Atividade paranormal, desta vez ambientada na capital japonesa. Depois de um intercâmbio em San Diego, nos Estados Unidos, uma estudante sofre um acidente de carro e quebra as duas pernas. De volta para Tóquio, a moça começa a conviver com a presença constante de uma entidade sobrenatural. Ao perceber algo estranho, o irmão dela passa a filmar tudo que acontece enquanto eles dormem. E o que eles descobrem cada vez que assistem aos vídeos é apavorante. Agora, o terror vai destruir uma família e todos que tentarem se aproximarem deles.

Eu devo ser muito masoquista. Mesmo tendo assistido todos os outros filmes dessa série medonha, ainda assim tive a coragem de COMPRAR o maldito DVD desse filme. Em minha defesa, tava numa promoção maneira. Mas enfim, soframos todos juntos, sim? Ótimo. Abre o texto e vamos discutir o que se passou nessa agonizante uma hora e meia em frente à televisão.

Então, lembra da Katie do primeiro Atividade Paranormal? Tá, sei que não, a bicha era um filhotinho de cruz credo, nem um pouco cocota. Mas enfim, o importante é: Ela foi perseguida por um DEMONHO do mal o tempo todo, até enlouquecer. Ou ser possuída de vez. Já se passaram quinze filmes e ninguém explicou essa parte. Whatever, o que todo mundo sabe é que ela sumiu no mundo, depois de matar o marido. Nessa continuação – mais precisamente na traseira da embalagem do DVD – é explicado que, na verdade, a tal da Katie saiu de carro e atropelou uma japinha, fazendo com que a coitada tivesse duas fraturas expostas nas pernas. No meio de uma viagem de intercâmbio aos Estados Unidos. É ou não muita sacanagem?

[Nota do editor: Num final alternativo, Katie toma vários balaços de dois policiais que foram atender ao chamado na casa dela. Duvida?]

Haruka Yamano volta pra casa em Tóquio NÃO DIGA. Sobra pro irmão dela, Koichi, o trabalho de cuidar da casa/da irmã, por que o pai precisou viajar com a empresa pra algum lugar do oriente. Pelo o que eu entendo da geografia do Japão, pode ter sido muito bem pro Digimundo. Ou pra Viridian City. O que velho fazia da vida também não sei. Acho que ele era um dos cientistas que foi fazer autópsia no Godzilla. Enfim, divago.

Os dois irmãos estão felizes e contentes em casa, curtindo o resto das férias. O menino vai fazer vestibular e a irmã enche o saco dele pro vagabundo estudar decentemente. Só que entre carregar a vadia reclamona pra cima e pra baixo e jogar World Of Warcraft, agora ele vai ter que enfrentar o DEMONHO também, que dessa vez, mudou de alvo e tá perseguindo a Haruka. O que faz pouco sentido se você levar em conta que ele perseguia os sobrinhos da Katie no segundo (Terceiro?) filme da série.

E aí temos mais um repeteco de toda aquela bobagem de filmes desse gênero.

 Cês conhecem o vídeo do One Guy One Cup?

Ou seja: Há mais do que o tempo necessário com gravações de gente dormindo e copos quebrando. O filme não te dá nem vontade de pular da cadeira. Digo, só te deixa apático. Não tem um momento de tensão. Não tem um susto. UM FUCKING SUSTO.

COMO VOCÊS OUSAM CHAMAR ISSO DE FILME DE TERROR?

Isso sem falar em várias inconsistências. Os garotos levam quase dez dias pra ligarem pro pai, por que ele deve tá ocupado, ain. Porra, por que o velho não poderia vir antes? Ele tava fazendo o que? Completando a Pokedex?

E a cena final é… Sem sentido. Sem motivo. A japinha, assim como a americana no original, acaba perdida por aí depois de assassinar o irmão e o pai. E nem vem reclamar que tô dando spoiler; todo filme em estilo achei-essa-fita-no-porão-do-meu-apartamento-novo termina assim. E, além do mais, tô tentando te poupar o sofrimento esforço de ter que assistir a essa bomba.

E não dá nem pra rir por que, ao contrário de vários outros filmes do cinema trash que de tão ruins viram obras primas, esse aqui se leva a sério. Os atores realmente tão ali dando suor e sangue pra passar a impressão de que… Sei lá, de que sabem atuar? É tudo tão mal feito que o diretor também foi responsável pelo roteiro – e o coitado não é bom em nenhum dos dois ofícios. Aposto que o cachê foi um saco de jujubas.

Enfim, evitem se não quiserem vomitar depois.

Atividade Paranormal Em Tóquio

Paranormal Activity: Tokyo (90 minutos – Terror)
Lançamento: Japão, 2011
Direção: Toshikazu Nagae
Roteiro: Toshikazu Nagae
Elenco: Aoi Nakamura, Noriko Aoyama

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Arthur Arantes Souza

    Rachei os bicos..

  • WandersonSantana

    Poxa, curto muito esses seus textos de nerdrage, são sensacionais. Tá de parabéns pelo texto e por ter assistido isso.

busca

confira

quem?

baconfrito