Ah, essa cambada de 17 anos…

Livros quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Estava eu pensando acerca do ENEM, vestibulares e coisas do tipo, e fiquei me perguntando (Como já tinha feito tantas vezes antes) como é que alguém tem a capacidade de demorar CINCO HORAS para responder uma prova de alternativas e fazer uma redação com trinta linhas. Porra, meus posts no Bacon dão muito mais que isso e eu levo menos de uma hora quando inspirado para fazê-los!!!

Já falei de redações antes, e admito que chuto bastante e que sou mais rápido para fazer provas do que a grande maioria das pessoas, mas vejo essa galerinha falando que “cinco horas e meia é inçuphissiente pra 90 questões i a redaçaum” e não posso deixar de me questionar o nível de retardatisse que essas pessoas possuem. Ok, português tem muito texto e demora para ler (O que também é subjetivo) e matemática tem contas para fazer, mas faço, COM CALMA as duas áreas em 2 horas, chutando 1 questão a cada 15 que aparece, e sei que tem gente que simplesmente nem lê as questões.

E aí vem a redação, e a galera faz 21846961 rascunhos possíveis, passa para a folha oficial, ERRA na gramática e diz que não conseguiu completar as malditas 30 linhas por falta de tempo!!! Não sei vocês, mas 30 linhas pra mim é absurdamente pouco! Minha introdução leva 30 linhas!!! E ainda saem do tema, falam coisas absurdas e colocam um título clichê da porra. Aliás, pra quê rascunho? Eu sei que tem gente incapaz no mundo e que diminui o possível número de erros de grafia, coesão e todo o resto, man sério, qual a dificuldade em pensar ENQUANTO escreve? É tão difícil assim fazer as duas coisas ao mesmo tempo?

 Nhonho, o primeiro emo.

E ainda tem a galera que fica até o final da prova para sair com o caderno de questões… Galera, não importa quantas você acertou, vai ter alguém que acertou mais que você e que vai ficar com a vaga pra universidade que você quer: Isso se chama “cota” e taí tem anos já. Inclusive, divertidíssimo a galera que acha que só negros e índios usam as cotas, naquela “vibe” de burrice inocência… Se bem que para o ENEM isso ajuda.

Voltando para a redação, vocês viram o tema desse ano? “Viver em rede no século 21: Os limites entre o público e o privado”. Sim, todos sabemos que os temas nunca são criativos ou atualizados de verdade (Afinal, esse debate já existe à pelo menos 15 anos), mas colocar em discussão algo em que o governo é uma merda é burrice (Pois todos sabemos que “o sistema” público tá sempre fora do ar ou com problema de conexão ou qualquer outra coisa do tipo). E procurando sobre a coisa me deparo com isso:

“Fiz a redação em 50 minutos porque já tinha feito duas vezes no COLÉGIO, pois eles nos obrigaram a fazer e refazer”, comentou a estudante Débora de Oliveira, de 17 anos, que estuda no Colégio CEU STATUS de Campo Grande – MS”

É ou não é uma beleza? Isso sem falar no problema anual obrigatórido (Ou PAO, para os íntimos) de 2011: A troca de locais de prova. E tem gente que diz que “tava imprevisto” e que “foi a chuva”, num país que tem um dos melhores sistemas de previsão do tempo do continente… E teve o possível vazamento da prova, já que um simulado no Ceará teve questões iguais às do ENEM… Um ano é o tempo disponível para deixar tudo brilhando, e insistem em usar alumínio no lugar de cromo.

O resultado do ENEM sai só em janeiro, mas desde já podemos começar o bolão pro ano que vem: “Qual será a merda da vez?” e torcer para que o bom-deus-pai-sagrado-eterno-senhor faça com que o tempo de prova seja diminuído e o número de questões aumentado para que essa galera toda possa dizer com (Ainda mais) orgulho que “nem li no finau porkê já tava cançado”.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Luiz Carlos Corrêa

    Concordo plenamente com você cara. Essas redações são idiotas pela chatice dos temas e também pelas exigências cri cri, além das questões objetivas, que em sua maioria podem ser resolvidas com concheciementos gerais, dado o fraco nível técnico delas. O Brasil é mesmo um fracasso

  • Andy

    Isso aí é uma sacanagem que o Enem fez, porquÊ eu já tinha feito umas 2 questões identicas, que eu tirei de simulados online…O Enem está reciclando questões e ainda quer colocar moral..WTF

  • Willian

    Sei que mudaram o numero de questões e o tamanho da redação desde a ultima vez que fiz a prova, que foi em 2006. Mesmo assim 5 horas é muito tempo pra fazer. Quando fiz terminei a prova, lendo todas as questões, e a redação, que teve um rascunho, em menos de 3 horas. O povo anda muito molenga ultimamente, se o Mec continuou deixando as questões mais faceis, como aconteceu desde a primeira vez que fiz a prova, que foi muito dificil ate a ultima que foi muito facil, era para todos acabarem muito antes do tempo previsto.
    No caso da redação eu acho que é valido sim fazer um rascunho antes, ate porque pode ter partes que a gente escreve e que depois não encaixa bem no tema. Quanto ao tema é ridiculo, como voce mesmo disse isso ja está sendo debatido durante anos, foi praticamente um presente pra quem fez a prova. E depois ainda tem gente que acha tudo muito dificil.
    Uma frase que vi faz algum tempo passa a fazer mais sentido conforme eu vejo esses erros estupidos em provas.
    “A soma de toda a Inteligência no planeta é uma constante e a população está aumentando.”

  • Amanda

    Bom, eu já fiz o Enem por dois anos consecutivos, e nas duas vezes eu fiquei lá sentada esperando dar o horário que a gente podia levar o caderno de questões. Eu acho o tempo que eles dão mais do que necessário pra resolver as questões com atenção. O problema é que muitas pessoas não sabem ler. Elas só sabem juntar as letras, formar palavras e depois reclamar de tudo. A maioria dos candidatos não consegue interpretar um texto, querem que venha tudo na cara, escancarado, como as letras de música de hoje. Ninguém se importa com o subjetivo, com o conotativo; ninguém sabe fazer uma leitura dinâmica, passando o olho pela questão e ver “mais ou menos” o que está sendo pedido. Se a questão não for imperativa, como “resolva”, “calcule” e “responda”, a maioria das pessoas fica perdida e começa a chamar a prova de viajada. Pra mim o grande problema do Enem não é a prova, não é o tempo; o problema é a falta de preparo das pessoas frente a um exame diferente do que estão acostumados.

  • Loney

    Olhaí… é foda

  • Loney

    Realmente, quantidade pela qualidade… e quanto ao rascunho, pessoalmente eu não faço, mas não sou “contra” fazer, a questão é que fazem um número absurdo de redações sobre as mais absurdas coisas, e com pouca (ou nenhuma) diferença entre elas.

  • Loney

    Concordo que há o “emburrecimento” das pessoas, mas a prova em si é ridícula, tanto pela dificuldade das questões quanto pelo tamanho da prova, duração, planejamento e o sistema educacional adotado. E venho querendo falar da leitura dinâmica faz tempo, valeu por lembrar.

  • Isa

    Chorei de orgulho <3

  • Andremarques1672

    Não entendi o objetivo do texto… Mas beleza.

  • Bommoco

    pois é, pelo que eu lembro da última vez que fiz o enem (2009), eu resolvi 90% da prova de exatas com regra de 3 simples.

  • nemfiz enem, no meu tempo era vestibular mesmo e o enem só servia pra quem era de escola pública, ajudava na pontuação do vestibular e tal (não era meu caso). mas lembro que fiz simulados e de vez em quando olho a prova do ano e me impressiona a bobalidade (?) da coisa.

    o enem é interpretação de texto. ponto. até as questões de exatas dependem muito mais de você ter paciência pra ler a porra toda com atenção do que do conhecimento de fórmulas e etc. e as pessoas não aprendem a fazer isso no Brasil, o ensino é uma merda e nego lê Crepúsculo e acha que está consumindo literatura, aí é foda.

  • Willian

    Longe de mim defender Crepusculo.
    Pelo menos tem alguns que leem isso, ao contrario da grande maioria que não le nada, e quem sabe eles, que perderam tempo lendo isso, se interessem por uma leitura de verdade. Acho que essa é uma das unicas coisas boas que pode vir desse lixo que eles chamam de livro.

  • Filipe Schreiner

    O nome disso é filhos da puta que as únicas coisas que leêm são mensagens de celular, e twitter. Terminei essa porra de prova faltando 1:30 nos dois dias, e fui relativamente bem, por estar no segundo ano. Fiz 131/180. A parte de português é pura interpretação, e ainda havia questões com alternativas mal formuladas e ambíguas, matemática tinha uma ou duas que exigia conteúdo considerado difícil (trigonometria, etc). O tanto que as pessoas reclamam da “extensão” da prova é reflexo do tanto que elas leêm (literatura de qualidade).

  • Camila Diniz

    Esse foi o segundo ano que fiz o Enem, e não importava se voc tivesse feito ou não alguma redação parecida, o tema era fácil de ser abordado e elaborado. Quanto a matéria, teria que saber a formula de empuxo e área do cilindro, mais NADA de matemática e física. Só contas bobas. Química super básico, gramática foi somente interpretação (pelo amor de Deus, me digam onde estão os textos grandes dessa prova, não tem UM) e etc. Comparando minha nota com a de meus amigos, fui “mal”, tirei só 140, enquanto um amigo gabaritou matemática e uma conhecida errou somente cinco questões no segundo dia. Minha redação teve rascunho, mas sempre faço bem rápido, e gostei do que escrevi. Ah, só uma pergunta, como a estudante do texto sabia que fez a redação em 50 minutos?Relógios não eram permitidos e o tempo estava sendo contado por uns adesivos que mostravam quanto tempo de prova faltava, sendo que iam de meia em meia hora.

  • Gabriel

    Não vejo o problema em trinta linhas. claro que dava pra fazer em mais linhas, e pra alguns assuntos (como o desse ano), mais que isso seria melhor. Mas veja bem, concisão é o que há. Trinta linhas é razoável para um texto argumento-dissertativo, ninguém quer monografias ou TCCs. Se você não consegue escrever algo por que 30 linhas é pouco, você é tão ruim quanto alguém que não consegue 30 por que é muito e chega aos 20 se matando de enrolar. (não falei de você em especial, falei “você” de forma abstrata).

    Also, de fato, o tema estava uma merda, acho que índios ou petróleo, ou até mesmo corrupção seria melhor.

  • De

    O ENEM é pensado justamente para ser feito só com o uso dos fundamentos da matemática, física e etc. Nada de decorar fórmulas, nem de ficar pedindo datas e coisas assim, o que é ótimo. Evita que você tenha que ficar decorando para passar, o que incentiva a pessoa a pensar. É claro, um aluno pode ir bem no ENEM e não saber resolver uma inequação como (x²+3x+4 > 3x + 53),  mas houve tempo em que isso era mamata, pois mesmo no ensino médio se aprendia a fazer limites, integrais e derivadas.

    A demais, lembro que a nota do ENEM é calculada por meio justamente dos acertos…. as questões não são colocadas como “fáceis” ou “difíceis” de antemão. Aquelas que foram mais acertadas são consideradas “fáceis”, enquanto as mais erradas são “difíceis”, e há diferença de pontuação para cada qual, de modo com que, não importa se a prova foi fácil ou difícil em um contexto geral : Quando as notas saírem, ainda haverão aqueles que tiraram notas ruins, os que ficaram na média (maioria), e os que ultrapassaram a média (poucos, que entrarão, eles sim, na faculdade). É muito improvável que as provas cheguem a ser fáceis o suficiente para que isso mude.

    Contudo, existe uma série de “se poréns” em questão do tempo que se leva para fazer a prova :

    1 – Seus textos no bacon podem até ter mais conteúdo e demorar menos tempo para serem escritos, mas são textos de opinião, sem argumentos selecionados para agradar aos corretores, sem apresentar “uma solução que leve em conta os direitos humanos”. Fazer um texto “enlatado”, não só para o ENEM, mas como para todos os tipos de vestibular, é a ação mais segura e que, geralmente, leva aos primeiros lugares. Textos livres são pouco apreciados.

    2 – São centenas de milhares de pessoas fazendo o ENEM todos os anos, e, assim sendo é ÓBVIO que vão haver “pérolas” e “escrotices”. Isso não significa que todos agem da mesma forma.

    3 – As pessoas evitam “chutar uma questão a cada 15”. Uma prova feita “para ver se é difícil”, sem a pressão de uma escolha de carreira, não faz jus ao tempo que uma pessoa normal demora para responder às questões. O fator “pressão” é algo que leva as pessoas a demorarem muito mais nas provas. Seja para ler e reler os enunciados, seja para confirmar os raciocínios envolvidos, ou ainda para se assegurar, duas ou três vezes, que cada questão respondida está sendo passada corretamente para o cartão de respostas. Quem não lê os enunciados fica lá na nota “ruim”, com muita sorte na “média”, e, mesmo acabando a prova mais rápido, não consegue o que quer. Além do mais, muitos não possuem a resistência para sair de uma questão para a outra, ou o foco necessário para fazer isso sem grande esforço. Atenção dispersa é algo que toma um grande tempo, e, ao mesmo tempo, se tornou praticamente regra nos últimos 10~20 anos.

  • Loney

    Só reclamar mesmo, sou bom nisso.

  • Loney

    uahauhauhauuah trigonometria… nem tem o que dizer.

  • Loney

    Tem lugares que tem um relógio pendurado na sala.

  • Loney

    Sim, mas não dá para desenvolver realmente bem o tema (e depois, odeio dissertações). E o tema SEMPRE é uma merda cara.

  • Loney

    Pois é, maior putaria essa da sua nota depender da nota dos incompetentes sentados ao seu lado, e eu aprendi equações de segundo grau na sexta série.

    1 – Sim, são coisas bem diferentes, e essa hipocrisia latente é absurdamente irritante, é uma pena que esse pensamento direcionado, sem criatividade e inteligência “real” seja aproveitado, já que é isso que faz um bom profissional.

    2 – Claro que é generalizado, mas a quantidade (e a intensidade) assustam.

    3 – Claro que as pessoas evitam chutar (e eu sou preguiçoso), afinal, aquilo vai definir sua nota. E aí entra outra crítica cara (cara?): a incapacidade de concentração. Ok que tem gente com deficiências “científicas” e tal, mas isso não é desculpa sendo que você tem 10 meses pra se preparar, tanto física quanto psicológicamente. Passar as respostas pro cartão é uma questão que pode ser resolvida facilmente com uma régua, e o raciocínio lógico, bem, esse é o preço de viver num país que prima pelo número de ouros no Pan e não na educação básica para saber contar quantos ouros já foram ganhos.

  • Mas o objetivo do ENEM é tirar o aluno de Taboão da Serra e levar pra uma escola decente nas capitais, então acho que o nível da prova condiz com o nível da ed. brasileira lol

  • Loney

    Esses taboanenses roubando nossas vagas e carteiras, tsc tsc =P

  • Hulaneo

    vc já fez quantas vezes o ENEM mesmo…?

  • Loney

    Duas.

busca

confira

quem?

baconfrito