Você tem bom gosto musical?

New Emo quarta-feira, 05 de novembro de 2008

Dando uma pausa nessa de falar sobre vocalistas, vamos falar de… você. (heh)

Como definir o bom gosto musical, afinal? Vocês têm a resposta na ponta da língua: É questão de gosto! Bobagem. Tudo começa na pergunta: Você é eclético?

Não lembro se foi a Ana que falou sobre isso, mas eu reforço: Ser eclético é ter mau gosto. Primeiro que você NEM GOSTO tem. Segundo que, se você for parar pra pensar, você não vê *emoção* na música. Sim, vejo pedras voando em minha direção, mas afirmo que isso é relativo – tão relativo quanto a emoção que você sente. Se você é o eclético que não liga pra música, cê não sente emoção mesmo. Agora, se você é daquele que, em seu top 10 de músicas favoritas, RBD, Legião Urbana e Metallica, por exemplo, fazem parte da lista, você sente alguma coisa sim. Só não sabe o que.

Terceiro que todo eclético gosta de Beatles.

Na real, eu não entendo os ecléticos. Estou num nível muito particular no quesito música, sou daqueles que se espanta quando vê que alguma pessoa não liga pra música. Entendo quem não liga pra filmes, livros, sexo anal heterossexual, essas coisas – mas quando você tá ligadão numa coisa, fica difícil. É como imaginar as pessoas vivendo sem um órgão vital. Ou sem sexo anal heterossexual. Mas, resumindo, é isso: Pra você poder dizer que tem bom gosto musical, você precisa ter um gosto. Ecléticos não têm gosto – e, ao mesmo tempo, têm mau gosto. Agora… e quando o cara só pensa ser eclético?

É naquelas: Nada na música é seguido ao pé da letra. Indie virou estilo musical na cabeça das pessoas. A mudança também ocorre nessa de “ser eclético”. É uma pena, mas todo mundo quer que a palavra “eclético” seja algo ruim, então vamos lá.

Ecléticos costumam seguir tendências, são facilmente influenciáveis. Mas tem aquele cara que bota na playlist Ultraje a Rigor, Metallica, Melvins, Johnny Cash, Wander Wildner, Amy Winehouse, Sikth… por mais que esse cara ouça uma coisa bem diferente da outra, ele tem um gosto definido. Porra, não é – ou não devia ser – gênero musical que define um gosto, mas sim o tesão que o cara sente por ouvir o que está ouvindo. Quem escuta apenas um gênero musical, em 80% dos casos, é um cabeça-dura infantil que pensa que tem um gosto definido e se fecha pro resto. E sim, essa playlist é minha. Isso é ser maduro musicalmente falando. Não ouse ficar preso.

Se você explora (eu disse EXPLORA, não DEIXA SE LEVAR) várias áreas, parabéns: Você tem bom gosto. Uma das coisas que mais me irrita numa conversa sobre música é quando a pessoa do outro lado gosta de bandas todas IGUAIS. É por isso que o mau gosto existe, é por isso que poucas (pra mim são poucas) pessoas escutam AC/DC, é por isso que tendências fazem sucesso (O RLY?), e é por isso que tanta gente gosta de Beatles. E DAÍ que Kaiser Chiefs é sua banda favorita, porra? Se eu não conhecesse uma caralhada de bandas completamente diferentes, eu ainda diria que essa banda é bacana. Experiência. É como passar a vida falando que Brahma é a melhor cerveja do mundo, sendo que você só tomou cervejas dessa linha. Aí cê vai tomar uma Serra Malte ou uma Heineken e PÁRA de tomar Brahma.

POR QUE você diz gostar de Blur sendo que, até então, você só ouvir Song Two? POR QUE você odeia tanto Pearl Jam só por que os fãs são chatões? POR QUE você detesta Motörhead, tendo em vista que você escutou 30% de Ace of Spades? A sua vida não faz o menor sentido e você se orgulha disso.

Sabe agora se você tem bom gosto ou não? Abre essa cabeça, cara. Chuta o balde, ouve uma banda NADAVÊ aí, mas pega um álbum inteiro da banda, recomendado por um fã. Ou uma coletânea. Ouve umas três vezes. Não curtiu? Corre atrás de uma semelhante. Vai em frente. Eu passei um ano ouvindo bandas indie, e GOSTAVA daquilo. No ano seguinte, ouvi punk, e também gostava. Depois foi a vez do metal, e eu já estava chutando tudo. Eu nunca gostei de Alice in Chains, só havia escutado as que tocam nas rádios. Hoje em dia essa é uma das minhas bandas favoritas. Entendeu? Ou já sabia? Se você tem a mesma linha de raciocínio, além de ter bom gosto, cê devia tomar conta da coluna que vai substituir a New Emo. É issaê, essa coluna tá com os dias contados, escolha minha. Tá afim? Cê já sabe o meu e-mail. Espero já ter algo pra semana que vem!

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Francesco

    É, essa é a diferença entre ecletismo e “qualquer coisa”!

    Obs: Apesar de Beatles ser do caralho! ¬¬

    Obs2: Vai ouvir Pitty! xD

  • joão !

    fala théo

    eu sou eclético. não gosto desta palavra, acho q não define oq é.

    no meu caso, eu ouço desde Racionais MC, passando por Yael Naim, SOAD, rage against, blink 182, alexandre pires, U2, tribalistas, justin timberlake, madonna (SIM EU GOSTO, FODAM-SE), teatro mágico(apesar de que ultimamente viro moda, e todo mundo pinta cara soh pra fala q curte um som alternativo ¬¬), o rappa, pitty, oasis, chimarruts, moby, jack johnson…….

    Eclético pra mim, é não ter preconceito e ouvir a múscia q melhor soa pra você dependendo do dia e do seu estado de espírito
    eu não gosto de TODAS as músicas de todos acima, mas gosto de pelo menos 70% de cada um q citei.

    já pensei mto nesse assunto…..eu msm até 1 ano atrás nunca me imaginava ouvir racionais, mas um dia na casa dum amigo mano, tocando as musicas deles, eu prestei atençao em algumas letras e achei interessante cara.

    se você disser q eu tenho mal gosto, vc tbm tem, pq com certeza gosto de algo q você goste. Se fodam os estilos, os artistas….

    eu ouço oq mexe comigo, oq desperta algum sentimento ou emoção.

    eu só acho q a palavara eclético, define qm diz ser polivalente. como ja disse não gosto desta palavra…..eu gosto de música

    falou théo(daqui a poco mando um texto pra vc ahuahauhaa)

  • joão !

    obs: nunca me imaginaria*

  • joão !

    caralho qnt erro…..u.u*

    se eu for corrigir tenho q manda otro texto desse

    fodam-se os erros

  • Dezinhorox

    théo eu juro que eu já tentei, eu tentei muito mas muito mesmo ouvir pagode, forró, axé, funk, e músicas melosas mas não dá.
    qualquer pessoa em sã consciencia não ouviria isso
    agora eu tenho que te agradecer cara
    foi graças a você que eu começei a ouvir ac/dc e é muito do caraaaaaaalhoooooooooo
    to fazendo isso ai que você disse ouvindo vários estilos.
    to procurando um novo gosto porque é sempre bom ouvir alguma coisa nova

  • josé

    Assino em baixo, theo…

  • O pior é ter que ouvir:

    “Eu escuto todos os tipos de música, menos aqueles rocks doidos”

    Escutar vários estilos musicais e bacana, mas existe um limite, se não vira ecletismo (ou como costumo chamar, farofada). Ae o eclético ser ruim ou não e outra história.

  • aline

    gostei da playlist.
    e do texto tambem hehe

  • Ludi

    Olha… devo admitir, a hora que eu li “já vejo pedras voando em minha direção”, eu já tinha garantido algumas pra jogar também. Mas, no fim, me surpreendeu e acabei concordando em muita coisa.
    Mas eu explico minha repugnância inicial. Logo de cara a frase “ser eclético é ter mau gosto” em negrito, um tapa na cara, afinal sempre me considerei eclética. Logo em seguida “todo eclético gosta de Beatles” logo, tem mau gosto, e eu pensei, esse cara só pode estar de brincadeira, deve ser bitolado em um único gênero e crucifica qualquer um que escuta outra coisa. Ledo engano. Pra minha surpresa, você citou pelo menos 4 bandas que eu amo, tenho cd/vinil em ordem alfabética, cronológica e o escambau. Então, essa hora eu me perguntei que diabo ele quer dizer, se afinal, as bandas citadas são de gêneros tão diferentes? E acabei entendendo seu ponto de vista. Eclético é aquele que ouve o que estiver tocando, não reclama e até gosta, ou nem liga. E no fim, ele não é pior do que o quadradão que só escuta um gênero, insiste em ouvir bandas que no fundo, talvez nem goste, mas elas estão enquadradas no seu estilo, e pior, deixa de ouvir bandas realmente boas por conta de rótulos.
    No fim, não é preciso dizer tanto pra chegar ao óbvio ululante: Bom gosto é apreciar o que é bem feito.
    Veja bem, apreciar (leia-se admitir em alguns casos, mesmo com o nariz torcido) e não tomar como banda predileta, comprar uma dúzia de camiseta e sair cantando todas as letras de cor e salteado. Mas sim, reconhecer em uma musica, mesmo que brega, que o baixista/guitarrista/etc ista, é bom, e ali no meio, tem alguma coisa bem feita.
    Não quer dizer que você passe a gostar da banda e das musicas da mesma, mas que você tem bom gosto. E nesse admite que tem coisa boa aqui, escuta com mais afinco acolá, tu acaba se encontrando com uma lista de bandas preferidas que vai Johnny Cash a AC/DC, de Eric Clapton a Van Halen, passando por Bob Dylan, Dire Straits, Joan Jett… e Beatles, por que não? Bom, ai é questão de gosto mesmo, não o bom ou o mau, o pessoal.

  • @Ludi
    Você realizou meu sonho antes do fim dessa coluna: Superou as provocações no início do texto e foi até o fim. Todo mundo pára na parte em que eu falo mal de Beatles, véi.

  • Ludi

    É que Théo, Beatles É BOM, e quem não gosta, geralmente não sai por aí metendo o pau, porque sabe que corre o risco de ser linchado em praça pública.
    Mas como eu disse, questão de gosto pessoal.

  • Juninho2v

    Féo, concordo 100% com a Ludi, bom gosto é saber reconhecer uma música boa em qualquer banda e qualquer estilo.

    PS: Favor não confundir música BOA, com música CHICLETE.

    PS²:Cara, Beatles é, querendo ou não, quem difundiu o Rock e inspirou 118% das bandas que tu gosta hoje, de um jeito ou outro.

    PS³:Se tu for falar que eles não criaram o rock, e sim Chuck Berry, Elvis e outros cinquentistas, poupe o tempo cara, só to dizendo que eles levaram o rock pra outro nível.

  • ilo

    so uma verdade universal: o theo e tanga. verdade dois: beatles eh do krai seu tanga

  • Renan

    Só há uma verdade universal: Beatles não tem TESÃO, PORRA!!!!!

    Todo o resto do universo se baseia nisso.

  • Juninho2v

    @ilo

    4 verdades cara:

    O Féo é Tanga
    Você não sabe contar
    Beatles é do CARÍI
    E seus argumentos são uma bosta =D

  • Shaw

    eclectismo
    substantivo masculino

    2. hábito ou liberdade de tirar proveito do que se considera mais útil em qualquer cultura ou corrente política, sem aderir exclusivamente a um sistema;

  • @Shaw
    Estou admirado, cara.

  • Eu acho que eu sou a pior pessoa para falar sobre gosto musical. Eu me defino eclético, mas por incrível que pareça, não gosto de Beatles. É que a fama e o histerismo em volta deles me faz lembrar essas bandinhas comerciais de hoje em dia e me deixa enojado de ao menos tentar ouvir algo dos caras.

    Da mesma forma que eu não suporto ouvir Legião Urbana. 101% das pessoas da minha idade idolatram Renato Russo, mas eu cago solenemente pra ele.

    Mas escuto coisas do nipe de Britney Spears, ou seja, não sou mesmo a pessoa mais indicada para falar de gosto musical.

    Mas uma coisa eu tenho de bom: Não aponto nada como porcaria sem ao menos ter escutado uma vez que seja.

  • Caio, The Eldar

    Eu deixei de dizer que sou eclético pq geralmente o pessoal liga com alguém que não tem gosto definido, e eu tenho: MUSICA BOA!
    Tudo bem que 85% do meu playlist é Metal/Rock-em geral/blues/country/jazz, mas tb gosto de várias coisas fora disso, e geralmente procuro escutar antes de descer a lenha.

    Mas… isso foi uma coluna ou um anuncio pra recrutamento?

  • @Caio, The Eldar
    Isso foi quase um viral, cara.

  • Sigo sua linha de raciocinio mas acho que desse texto pode-se tirar duas conclusões; existem dois tipos de ecléticos, os ecléticos “fechados”, que exploram musicas ‘ao redor de seu estilo preferido’ até por que, essas pessoas tem um estilo preferido. E também os ecléticos “midianos”, influenciados pela mídia…
    Acho que é isso que eu tirei do texto xD~~
    Já passei pelo que você se refere no final do texto, mas acho que aquilo é na verdade uma evolução pessoal e musical ^^

    PS’: também não curto beatles xP

  • Guten

    Eu ouço (não obrigatoriamente gosto de) todo tipo de música, desde que seja BOA.
    Por exemplo, meu gosto é mais pra rock, especialmente metal gótico, mas gosto de forró, desde que seja algo de qualidade, como Luiz Gonzaga ou algo do gênero. Calypso e assemelhados nunca contaminarão meus HDs.
    Samba também. Coloque Cartola, eu ouço. Toque Só Pra Contrariar ou Netinho e eu coloco meus fones de ouvido com Sonata Arctica no último volume.

  • Não sei se este blog aceita tracebacks, mas por via das dúvidas, lá vai um post-comentário: http://blog.leleobhz.org/2008/11/voce-tem-bom-gosto-musical/

  • Caio, The Eldar

    @ Theo

    Tá com cara mesmo…
    O que me leva as seguintes conclusões: ou os planos pro site (não chamei de blog) são grandes mesmo ou vc tá num desespero sóde largar a new emo. Particularmente espero que seja a numero 1.

  • junnin

    @Caio, The Eldar

    Acho mesmo é que ele tá com preguiça de continuar trabalhando…

    percebeu que ele anda contratando novos incompe… erhh… estagiários?

  • “Agora, se você é daquele que, em seu top 10 de músicas favoritas, RBD, Legião Urbana…”

    …você é um suicida em potencial.

    Já dizia o velho sábio: “Eclético pra mim é quem curte dar o cu.”

  • Vecna

    Velhinho, sou obrigado a discordar em partes.
    “conhecer” um monte de coisas e “gostar” de um monte de coisas, são conceitos diferentes.
    Veja bem, para isso existem os tais “estilos musicais”. Ajudam a classificar e servem como referencial.

    Eu não preciso escutar 15 álbuns de axé para dizer que não gosto. Eu já ouvi essa porcaria [quem no brasil, além dos que nasceram surdos, nunca ouviu?] e isso não me deu tezão. Não me interessei e não fui atrás.
    O mesmo pode acontecer com qualquer outro estilo. E com qualquer outra pessoa.

    Concordo que se “prender” num estilo de música, é alienação. Mas se prender na idéia que se tem que conhecer de tudo, também não deixa de sê-lo.

    Não sei o que diabos te levou a ir atrás de conhecer alice in chains, mas alguma coisa naquela banda te atraiu. E é assim que funciona. As bandas devem nos atrair de alguma forma, para nos deixar curiosos, para irmos atrás e conhecermos.
    E isso vai depender, sempre, das oportunidades que a pessoa terá de ouvir aquilo.

    Mas não vejo nada de errado em ter um gosto bem definido por um estilo ou outro. Isso não é algo imutável. Você ouvia indie, passou a ouvir punk. Okie-dokie. Isso acontece [ou deveria] com todos. Ficar ouvindo bandas semelhantes, uma hora, se torna enjoativo. Aí a pessoa expande os horizontes. Procura algo ‘parecido mas não igual’. Ou algo bem diferente. Meu exemplo é o de ter passado de Dimmu Borgir para The Cure. E deste, para The Dresden Dolls. E disso, para Noisex.
    Ademais, só para lembrar, a maioria das tribos urbanas se acentam na musicalidade. As vezes uma pessoa se identifica com uma tribo, que pode oferecer uma gama maior ou menor de estilos relacionado. Não vejo por que não considerar isso um “bom gosto musical”.

  • Rodrigo

    Brother, eu moro no Brasil, onde os Funks, o pagode, o axé, o “sertanejo” e o “Caypslon” fazem muuuuuuito sucesso!! Num país onde as músicas regionais são desse nível e ouvidas por 80% da população que enche o rabo desse povo de grana, só o fato de não se submeter a esse mercado já é sinal de um notável bom gosto musical!!

    Não preciso falar o nome de 12 bandas que ninguem conhece pra mostrar que tenho bom gosto musical, concordo com voce que se permitir conhecer coisas novas é sinal de bom gosto, música pra mim tb é tão indispensável como sexo anal heterossexual! rsrsrsrssss….. curto muito metal, é o que geralmente eu ouço em casa, mais seria ignorância querer dizer que só existe musica boa dentro do universo do rock’n roll!!!

  • Ôrra, achei que essa playlist fosse minha.
    (Tá, retire Melvins e Sikth, que nunca ouvi falar, e coloque Trem da Alegria e bandas nacionais pouco conhecidas).
    Uma parte do meu gosto musical está retratada no meu penúltimo post…

    Tá, vou pegar emprestado um dvd do AC/DC então. Bora vê.

  • Pra assumir a tal coluna precisa ser tanga como o théo ou só lançar polêmica com temas estúpidos e comparações idiotas?

  • @Cassio
    Precisa ser tanga como o théo.

  • Então seria facil

  • Angelo Dias

    É. Tenho que dizer que eu concordo. Escuto desde Metal, passando por Indie, passando por Eighties, passando por MUSICA GOSPEL (é, de Jesus, Deus, etc), passando por muitas coisas estranhas, inclusive 3 músicas do Beatles (Pô, mó legal aquela “Shilóvziu, yé, yé, yé!). E não me considero eclético. Quando eu pergunto pra alguem: “Qual seu gosto musical?” e a pessoa responde: “Ah, eclético.” ela não respondeu à minha pergunta. Quero saber que bandas que te influenciam, quero saber de atitudes, de referências. Não adianta nada o cara dizer que é fã de beatles e achar terno-e-gravata uma merda. Dá uma certa vergonha ver filhinhos de papai nos seus audis rebaixados escutando “Nego Drama”…
    Eu acho que é além disso. Não to dizendo que os Punks TEM que bater em negros. To dizendo que o fato de voce escutar punk adiciona algo à suas atitudes.
    O théo é tanga, e alem de ser uma coisa natural dele, deve ser pq ele escuta alguma bostona. E quem curte metal tende a ter um comportamento mais amigável com outros metaleiros. Agora, na bowa, vc não costuma ver cabeludos Tr00l andando na rua, com pagodeiros com calça branca, camisa semi-aberta e chapéu branco.

    Tem que ter TESÃO, PORRA. Tem que ter ideologia. Tem que ter alguma coisa pra passar. Tem que deixar agressivo quando se quer agressividade, e calma quando se quer calma. Não vai escutar Mozart e uma de suas peças mais lentas quando está com aquela vontade de quebrar tudo!

    Por isso, ecletismo é ruim, é ouvir música sem por uma paixão à ela. Eu sou apaixonado por música, e vocês?

  • Shaw

    “@Shaw
    Estou admirado, cara.”

    Admire-se, pois consegui resumir todo seu post em apenas um Ctrl+C + Ctrl + V de um dicionário. Não tem mais discussão, você poderia ter dito só aquilo e ficaria bem claro.

  • @Shaw
    Verdade, cara. Logo eu, que tirei o nome do site de um dicionário. Cê devia escrever os textos da coluna que vai substituir essa aqui.

  • Poneis

    Eu tava quebrando a cabeça pra tentar descrever o que eu tou sentindo depois de ler esta coluna, mas digamos que o Ludi tirou as palavras da minha mente.
    No começo da coluna, já deu vontade de te mandar tomar no cú Theo, não pelos Beattles (os quais também axo uma bosta), mas porque eu pensava que era eclético. Agora eu sei que eclético não é ter gostos diferentes, e sim não ter gosto nenhum.
    Digamos que se hoje me perguntassem sobre meu gosto musical, para não errar eu resumiria tudo em AC/DC.

  • “E você explora (eu disse EXPLORA, não DEIXA SE LEVAR) várias áreas, parabéns”

    Porra, eu pensava que isso era ser eclético. Eu curto desde Radiohead à Johnny Cash. De Adriana Calcanhoto à Zé Ramalho. De É o Tchan à Exaltasamba. Essas duas últimas são mentira, obviamente. -q

  • Hellblazer [MBB]

    Olha,

    eu respeito a sua opinião, mas na minha opinião a sua opinião foi uma bosta de opinião.

    na verdade vc pagou de pau no cool e descolado.

    no mais continue assim. a coluna foi boa.

  • @Hellblazer [MBB]
    Paguei de cool e descolado? Seus argumentos me comoveram, cara. Quer escrever no meu lugar?

  • AJ

    E é por isso que eu falo que não se deve gostar de bandas, e sim de músicas, ouço bandas nada a ver uma com as outras não porque os outros ouvem também, e sim porque acho as músicas boas. Ou seja, ouço pela música, não por ser de uma banda.
    Muito boa a coluna.

  • João

    Meu gosto musical,,infelizmente,so se expandiu do rock Para o Blues,Do blues para o Soul(SOUL,Não Amy winehouse),Com uma pitada de rock brasileiro dos anos 70-80.Tenho um vicio estranho por hippies,Jimi hendrix,Pink Floyd,Led Zeppelin,Metallica,Odio mortal ao Kiss(My ass),E um amor incondicional por Janis joplin.

  • Ostrogodo

    Esse lance de ser eclético é a nova mania parecida com a do “Indie”. Antes todo mundo queria ser “indie”, descoladão, ouvir coisas “fora do circuito” blablabla

    Agora todo mundo quer ser Eclético… colocar Toquinho, Amy Winehouse, Qntal e Daft Punk no mesmo playlist. ¬¬ Inventaram mais uma modinha…. que saco, ein? Esse povo é tãããão eclético que quando ouvem uma banda que não faz parte do “Repertório” dos ecléticos (já existe isso sim), torcem o nariz.

    Eclético o carilho, são um bando de bibas musicalmente falando mesmo.

  • samuel

    Puxa! Excelente texto!
    Concordo com tudo nele, até porque eu mesmo já tinha chegado a estas mesmas conclusões. =D

  • DiguhBA

    Meu top 10:
    1) Swans
    2) Pink Floyd
    3) Portishead
    4) Of montreal
    5) Janis Joplin
    6) Natural Snow Buildings
    7) Neil Young
    8) The Cure
    9) Kraftwerk
    10) The Smiths

  • piazera

    comecei a ler e parei amigo, seu conceito de eclético estão errados ao meu ver e acho que vc não conhece e não intende o que é ter um gosto musical eclético

busca

confira

quem?

baconfrito