Você sabe por que velho não joga? Parte 3 – Orra, mas pra quê tanto botão?

Games sexta-feira, 17 de agosto de 2007

Eu realmente espero com ansiedade o estabelecimento definitivo da nova geração de jogos e consoles (principalmente Xbox 360 e PS3), pois tenho certeza de que vão apresentar maneiras de jogar que nunca vimos até então, como o Wii já faz.

Essas mudanças na jogabilidade acontecem paulatinamente desde o Atari, e fazem parte de minha argumentação de que os jogos atuais são tão ou mais divertidos do que os antigos. Para provar minha hipótese, gostaria de elencar alguns dos itens que considero como avanços tecnológicos acompanhados de um incremento proporcional de diversão nos consoles e jogos:

Aumento do número de botões nos joysticks

A tendência atual parece ser de estacionar no número de botões alcançado pelo Playstation (12 botões, 10 funcionais para jogabilidade, pois start e select não contam), ou até diminuí-los um pouco, já que os jogos realmente complexos que demandam muitos comandos diferentes são mais bem jogados nos PCs e MACs (vide Command & Conquer, Civilization ou Diablo com versões sofríveis em consoles e combinações de comandos que maltratam as articulações dos dedos).

Entretanto, é necessário notar que o avanço de um botão do Atari até os doze botões do PS1, foi devido a uma demanda de maior variedade nos jogos, já que o Atari é, sem sombra de dúvida, o ápice da monotonia videogueimística. Entenda-se “monotonia” na concepção original da palavra (mono/tom = tom único) e não como sinônimo de chato.

Os jogos do Atari realmente possuíam “um só tom”: apenas uma coisa a ser feita, o tempo todo. Nunca se terminava um jogo de Atari fazendo uma ação diferente do que se fazia no início do jogo. Não é á toa que muitos jogos nem mesmo possuíam fim, entrando em um loop após algum tempo. Ou simplesmente travando depois do último nível de dificuldade, convidando o jogador a começar tudo de novo através da tecla reset. Lembre-se dos “grandes clássicos” e de suas “diversas” ações: River Raid (atira e vai de um lado pro outro), Pitfall (pula e vai de um lado pro outro), Space Invaders (atira e vai de um lado pro outro) e alguns com menos ações ainda, como PacMan (apenas vai para cima, para baixo e para os lados, o botão não tem função durante o jogo).

 Woohoo! Diversão, mano.

A introdução de um segundo botão funcional para fins de jogo (Nintendo e Master System) foi um avanço enorme, maior do que qualquer introdução de botões posterior: agora era possível atirar E pular ao mesmo tempo. Parece pouco, mas permitiu a introdução de maravilhas como Teenage Mutant Ninja Turtles e Double Dragon nos consoles caseiros (“portados” dos arcades), com sua jogabilidade e nível de diversão impossíveis para o Atari.

Não só o número de ações cresceu, mas também a liberdade de escolha, essencial para uma experiência mais personalizada de jogo. Jogos como Ninja Gaiden e R-Type, são bons exemplos de como a liberdade para escolher um tipo específico de arma influi no estilo de jogo pessoal, definindo um jogador agressivo ou cauteloso, já que o botão extra permite que as escolhas sejam feitas no decorrer do jogo.

Outra função revolucionária que pôde ser introduzida com a adoção de dois botões foi a presença dos menus. Com dois ou mais botões você pode navegar em menus, além de executar ações, o que abriu as portas para os RPGs como Phantasy Star e Final Fantasy e para jogos como Castlevania. A grande sacada de introduzir mais ações para o personagem e escolhas para o jogador foi tão bem-sucedida que o número de botões continuou crescendo depois do Nintendo e do Master System.

Em resumo: mais botões = mais diversão. Aprende a mexer com o controle como homem ou vai jogar Wii, porra.

 

No próximo post: A vida acontece em 3D.

Leia mais em:

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Bel

    MELLDELLS.
    estou velha. um dos motivos que mais me atrai a jogos “velharia” é a simples jogabilidade, o bom e velho correr, pular e atirar. eu não saberia o que fazer com 10 botões jogáveis e apertáveis; possivelmente nem decoraria para que cada um serve.

    podem cavar minha cova… já já eu vou ter uma apoplexia e morrer de velha, certeza.

  • atillah

    Eu acho que vou ter que escrever uma série nova: “Vídeo-games: trazendo as ovelhas perdidas de volta para o rebanho”.

    Você sabe, Bel, todo mundo tem jeito. Jogar vídeo-game é como andar de bicicleta, só que com muito mais botões, mortes e sangue.

  • Bahamuto

    Daria pra completar, eh como andar numa bicicleta com só uma marcha, o q vc fez quando andou em uma de 10 marchas “apertáveis” ??? Vai dizer q vc nao ficou com medo e mal trocava as marchas com medo de quebrar a correia ? HAUAUAUHAUAHU
    Resumindo, jogar as novas geração de video-games continua sendo a mesmíssima coisa… Vc acha q todo jogador velho ja acostumado com o console consegue saber o q cada botao faz num jogo ??? Todo jogador vai apertando pra ver o q q eh o que, sem falar que tem coisas que vc só descobre la no meio do jogo que dava pra fazer…. =)

  • Bel

    péssima parábola, atillah. eu não sei andar de bicicleta ._.

  • Friederichs

    Nossa, não saber andar de bike!! Alguem ajude essa moça!!!!!

    E outra, botãos são massa! Fazem vc ganhar cordenação e tudo mais, mas se ficar com muitos botãos, como WOW com todas as abilidades para se usar O.O, vc só ganhar é dor , nos dedos e na cabeça!

  • Xuxão Lennon

    Tem jogos que realmente a gente usa todos os botões…. Guitar Hero é um exemplo… e é difícil pra caralho… ou então quando vc controla pelo direcional analógico (Play1 ou Play2)… é legal, mas tem jogos que pedem coisas impossíveis…

    jóinha.

  • Joao

    Concordo com o CARA!!!! QUANTO MAIS BOTOES MAIS DIVERSÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • uau! how much crap did you brought atillah…

    você já parou pra pensar porque só havia 1 botão para attari, 2 para nintendo, 6 para super nintendo?

    raciocine corretamente e talvez vc mereça uma contra resposta pqp.

    Nos anos 80, auge de uma crise de novo paradigma tecnológico e a introdução de sistemas operacionais de micro eletrônica e outros componentes sendo difunfidos em demais externalidades funcionais nas economias ao redor do mundo é que deram o tom do design ou dificuldade dos games cara!
    É mais do que obvio observar que packman era e sempre foi um dos games mais divertidos em uma época que mais de 90% da população mundial nem sabia o que era video game lol

    Por outro lado, um console com 20 botões , tipo um play station XV e com um dvd de FF 54 não significa NEM DE LONGE, E NAO DETERMINA NEM DE LONGE QUE A MERDA DA HISTóRIIA QUE A SQUARE – EUNUCOS, ( Q ULTIMAMENTE Só FAZ SIDE QUESTS PURE HORSE SHIT) será melhor que FFVIII por exemplo.

    Não vomite metáforas tão generalizadas de : quanto mais botões melhor, pois um FF IX não GANHA NEM DE LONGE EM DIVERSÃO , HISTóRIAS E JOGABILIDADE DE UM SUPER METROID, QUE FOI FABRICADO 5 ANOS ANTES (1994) (porém, claro, os gráficos de ps2 são superiores, um patamar inalcançável para o super nintendo u.u ).

    Em resumo, ao menos tenha o bom senso de reorganizar o título para : quanto mais botões melhor ( até o ponto que essas merdas de botões a mais tenham uma utilidade marginal, caso contrário, vá jogar Pokemon Stadium pra N64, que aliás, eh muito inferior em TODOS OS ASPECTOS, (ATÉ GRÍFICO SE COMPARADO COM O GAME BOY ADVANCE de 2002, e olha que game boy tem menos botões weird o.o)

  • atillah

    @ Rômulo

    ótima argumentação, cara. Dá gosto ver jogadores mais hardcore do que eu pintando na área.

    Tu só pecou na parte de dizer que um certo jogo é melhor do que outro. Porque aí entra só uma questão de gosto e não de número de botões. Mas enfim…

    Saudações marujo.

  • gosto não, gráficos e vendagem mesmo, jogabilidade, numero de side quests, enfim… 150 vezes melhor pokemon de game boy silver do que pokemon stadium do N64, até um macaco bebado axo que preferiria o game do game boy advanced do que o do N64.

    De qualquer maneira, vou encarar o termo “marujo” como uma um acolhimento a crítica, que aliás, foi construtiva e realista.
    Só pra ressaltar mais um exemplo caso tenha dúvida quanto ao número de “botões” , observe os fax, pabx, telégrafos, palmtops hj em dia e o novo programa , que pode revolucionar no futuro os meios de comunicação, chamado DASHER , onde vc agora “digitará” palavras com o ângulo de sua retina…

    reduzindo para quase 0 número de botões em diversas bugigangas. Portanto, não é nem preciso ser jornalista ou economista formado em uma Universidade Federal para perceber que maiores botões NEM DE LONGE determinarão a qualidade ou versatilidade dos consoles do futuro, muito pelo contrário ( basta ver o wii ) isso que eu nem citei o DS.
    Em resumo, apesar de eu não cair muito na sua conversa de ter “ressalvas” quanto a sony e os seus play station, ainda tem-se a impressão de que vc enaltece d+ o console sonista e não parou para observar um (possível, mas ainda não comprovado) retorno de consoles da Nintendo, que vem lançando até controles com menos botões, e mais acessórios de nova interatividade ok?

    Por fim, só para constar, tenho 22 anos , e ja sacrifiquei diversas horas de sono pra jogar games bons, não merdas claro :P

  • Ps: ignore a palavra “uma” na primeira linha do segundo parágrafo u.u

  • Apesar de tudo, só deixei essa série de comentários não porque gosto de usar uma linguagem de impacto ou demonstrar saber mais ou menos sobre determinado uso ou tecnologia sobre consoles ou outros aparatos eletro-eletrônicos, mas porque acredito mesmo que seria interessante você reconsiderar o fato de que há um CLARO ESGOTAMENTO DO ANTIGO PADRÃO DIGITAL DOS ANOS 90 EM DETRIMENTO DO PADRÃO DESSA DÉCADA ATUAL , haja vista novas formas de interatividade e novos dispositivos de interação com esses equipamentos eletrônicos, seja através de voz, sopro, canetas magnéticas que tocam em visores de lcd, entre outros ok?

    Quanto ao lado “sonista” da minha contra argumentação, é porque realmente não sinto uma forte argumentação de sua parte perante esses consoles novos da nintendo, que realmente estão inovando essa maneira de interagir com os consoles, queira vc ou não queria ok?

    Mesmo assim, como bom jogador de alguns rpgs, prefiro claro, ainda o ps3, estou aguardando uns remakes de jogos decentes eaiuheiueahiuaehuieaheuah :P , (mas vc deveria jogar mais wii e Ds cara, o trabalho neles foi excelente, mataram o estigma do cartucho com o N64, realmente se redimiram dakele pecado lol )

  • MaK-PG

    Mais botão, exige-se mais coordenação motora, treino. Apesar que pra jogar Wii vai precisar coordenação motora e treino do mesmo jeito. Agora, fazer uma yoga virar um jogo divertido, realmente o que traz a diversão tem que ser reavaliada.

busca

confira

quem?

baconfrito