Você sabe por que velho não joga? Parte 2 – O percurso do jogador médio.

Games quinta-feira, 16 de agosto de 2007

Vejamos agora qual é o caminho percorrido na maior parte das vezes por este jogador
médio de vídeo-games, de quase 30 anos.

Antes de falar mal dos jogadores que pararam no tempo, gostaria de deixar claro que sou fã do Atari. Meus amigos tinham Atari, eu tinha um VG9000 da falecida CCE, compatível com Atari, além de mais barato. De vez em quando ainda jogo H.E.R.O. e Seaquest em emuladores. Quando acho companhia, jogo o “bom e velho” Tênis e o incrivelmente-emocionante-para-um-jogo-tão-velho Faroeste.

Joguei muito desde os 6 anos de idade. Só parei de jogar Atari quando o Nintendo 8 bits surgiu. Nintendo original no Brasil era raridade. Eu jogava Dynavision e Supercharger. Estes eram imensamente superiores ao Nintendo, pois o Supercharger já vinha com controle turbo para os dois botões além de ambos aceitarem jogos americanos e japoneses sem crise na hora de encaixar o cartucho. Não joguei muito Master System; ele era caro, tinha menos jogos do que o Nintendo e meu primo (único amigo com Master System que eu conhecia) regulava e não deixava ninguém jogar muito.

Minha fase 8 bits durou pouco. A fase 16 bits durou muito. Diariamente jogava Super Nintendo ou Mega Drive (o Genesis do Brasil). Jogava mais Super Nintendo, porque achava mais interessante. E também porque eu era muito fã de Street Fighter, e não dá pra jogar Street Fighter direito com os três botões A, B e C do Mega Drive (o que você estava pensando SEGA?).

O próximo console foi o Playstation, que entrou na minha vida relativamente tarde, apenas em 1999. Me apaixonei definitivamente pelo console depois de jogar Final Fantasy Tactics e Gran Turismo. O estabelecimento definitivo do CD como substituto do cartucho permitiu o acesso a uma quantidade de jogos que antes era inimaginável pra mim.
Apenas como uma nota de complemento, também possuí um Dreamcast. ótima plataforma, muito subestimada e lançada pela SEGA com um péssimo timing. O Dreamcast me proporcionou a possibilidade de jogar pela primeira vez jogos online, coisa na qual eu não era muito chegado até então. Não tive acesso ao Nintendo 64 a não ser muito mais tarde, através de emuladores.

Mais recentemente, em 2005, pude finalmente migrar para o Playstation 2, no qual estou confortavelmente estabelecido. Não tenho acesso regular ao GameCube e nem ao X-Box, por questões financeiras, e talvez por já não ter tantos amigos que jogam vídeo-game.

Em 2006 comprei meu Playstation Portable, e em 2007 o Nintendo DS. Em toda sua história, o mercado nunca teve dois portáteis tão poderosos e divertidos. Sem falar que nada se compara á liberdade de poder jogar GTA sentado na privada do banheiro, enquanto você faz número dois.

 Banheiro e vídeo-games: nascidos um para o outro.

Finalmente, também sou jogador de jogos de computador, desde os jurássicos Aleste e Goonies, do MSX, até os jogos atuais como Civilization IV do PC.

A nova geração de consoles promete, mas Sony, Microsoft e Nintendo vão ter que rebolar pra me convencer de que as novas plataformas são realmente superiores ao Playstation 2. Por causa desse grande histórico de diferentes consoles e jogos, todo jogador velho e calejado se torna naturalmente desconfiado com qualquer oferta nova de vídeo-game.

No próximo post, passaremos a avaliar a evolução propriamente dita dos consoles e jogos, para entender como as mudanças afetam a jogabilidade e diversão.

 

No próximo post: Orra, mas pra que tanto botão?

Leia mais em:

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Friederichs

    cara, video game é uma paixão!!

    Não da para larga assim^^

  • Julio Camargo

    Estou + ou – na mesma que vc. Até tenho vontade de comprar um PS3 porém não vejo nenhum jogo de estratégia (tipo C&C, LOR-BFME, AgeOfEmpires) lançado para consoles. Gostaria de deixar de usar o micro para jogar (placas de vídeo muito caras e com vida útil muito curta).
    Tentei entrar em contato com a Sony porém tive uma resposta grosseira da empresa, afinal não temos representantes oficiais dos consoles aqui no BR.
    Agora pergunto, se meu PS2 é Sony, meu PSP é Sony, tenho jogos originais e penso em comprar um PS3 e dar mais do meu dinheiro para a Sony, por que essa empresa me tratou mal?

  • atillah

    Julio, a Sony definitivamente nos ignora como mercado. Recomendo que você leia esse post http://www.thebestpageintheuniverse.net/c.cgi?u=sony_bullshit onde o autor explora de forma maravilhosa as cagadas atuais que a Sony vem fazendo. Sou fã incondicional do Ps2, mas tenho cada vez mais reservas a respeito da Sony.

  • Pela primeira vez na história compreendi o significado da palavra nerd.

    E outra: tu ganha bem na marcenaria hein rapá? Consegue comprar videogame e tudo!

  • théo

    Atillah, cê também trabalha numa marcenaria? Nós devíamos MESMO fazer stand up.

  • atillah

    Não trabalho em marcenaria, mas é um erro comum que as pessoas cometem, pois sempre ficam impressionadas com o tamanho do meu… pau de sebo.

    Ok, desculpem.

  • Xuxão Lennon

    como é que se usam essas tags aí ??

    (hum)

  • Joao

    Concordo com o 1 que postou….Video game e uma paixão!!!!!!1

  • Sabat

    Cara, igualmente ao autor do tópico, jogo desde o Atari, minha jogatina 8 bits durou igualmente pouco e a de 16 bits durou uma eternidade, e esta foi a melhor geração de jogos e de consoles que eu vi. Após isso tive PS e N64, atualmente tenho GC e PS2. No auge dos meus 31 anos, não parei de jogar não, atualmente jogo M Prime 2 do GC, porém , não tenho pelo menos por enquanto, a menor intenção de comprar os consoles next gen por um motivo simples: são os mesmos jogos com gráficos e som melhorados e só, e isso é muito pouco para me fazer gastar meu suado dinheirinho com tanta mesmice. O wii que é diferentão e traz uma proposta nova e muito atraente só recebe jogos escrotos, então ele entra nesse pacote também. Talvês quando ele for levado á sério pelas thirds, ae sim possa vir a valer a pena comprá-lo.

    Sou ainda uma pessoa que tem paixão po games antigos, pois é fato que eu me divertia mais mesmo jogando SNES e Genesis do que jogando PS2 e GC, que tem sim centenas de excelentes jogos, mas que talvês por preferência minha mesmo ou saco cheio, ja não me divertem mais como antes.
    É aquilo lá: a mesmice sempre durou 2 gerações: geração Pong/clones e geração Atari/clones, Nes/Master e Snes/Genesis, PS/N64 e GC/PS2(+xbox).
    Sempre ao final de duas gerações, mudanças drásticas aconteciam pelo seguinte motivo : o mercado, por maior que seja, sempre deixa de ter interesse pelo óbvio. E estamos partindo para a 3º geração e essas mudanças não aconteceram. Os consoles tiveram apenas aquele aperfeiçoamento e atualização de prache, mas nada que realmente mostre uma nova perspectiva.

    Poucos ja pararam pra pensar nisso, mas é por este motivo que o Wii, mesmo tendo só jogo escroto e hardware fraco, vende o dobro dos outros: inovação.

  • heheh cara eu li a parte do banheiro e dei muita risada, eu sou um jogador assiduo de banheiro,,, alias eu tava pensando sobre isso hoje mesmo em postar no gamereporter sobre essa mania que tenho haha sempre levo meu PSP ou o DS para o banheiro nas horas mais apertadas, eu deixo os dois na frente do PC e quando bate aquela vontade de visitar o trono eu levo um dos dois e ja vou ligando ele no meio do caminho pra quando sentar no trono ja desfrutar de dois prazeres hahaha um que é jogar o outro que rima com o verbo Jogar hahahah…… o foda de jogar no banheiro que você perde noção do tempo ,,,,, as vezes me dá até formigamento na perna de tanto tempo sentado no trono jogando haha pra se ter uma idéia em 2 semanas praticamente jogando Tomb Raider Legend do Nintendo DS no banheiro eu zerei ele…. eu fiz um pacto que só iria jogar Tomb Raider Legend do DS se fosse no banheiro haha cara foram praticamente 14 a 16 cagadas hahah pra poder zerar o Tomb Raider Legend hahah esse jogo foi a zerada mais incomum pra mim até hoje heeh … virou história pra mim.. mas é sério banheiro e portátil , melhor combinação nao tem… só é foda na hora de levantar pra voltar pro PC, a perna ta toda formigando até haha de tanto tempo sentado haha………..até a proxima historia

  • Continuação do post ACIMA

    Ah me esqueci de uma coisa, eu tambem jogo no banheiro lá no meu serviço , alias ninguem sabe que eu fico jogando no banheiro do meu serviço hehe porque lá é fogo se pegar pra jogar no meio do trampo pessoal vai ficar olhando e tal, vão achar que sou vadio, mas não é , é que as vezes o trabalho ta tranquilo e eu ja fiz tudo ai pego meu portátil que eu levo na mochila , geralmente meu DS por ser pequeno e eu coloco no bolso da calça e vou até o banheiro com ele……ninguem percebe dai … com PSP fica dificil por causa do tamanho , e por sinal o jogo que eu mais curto jogar no banheiro do trampo quando levo o DS é o CLUB GAMES haha uma coletaniazinha de joguinhos de baralho, dardos , sinuca e tal… mas o que mais jogo nessa hora é um jogo de voce empilhar pecinhas numa balança hahaha cara não entendo se tem algo a ver com que a gente faz no banheiro tipo vai empilhando algo lá dentro haha mas eu sei que esse é game que exige menos concentração nesta hora e é o que eu mais me divirto jogando nas horas banheirais hahaha ….. Banheiro serviço + portatil = diversao e relaxamento garantido haha

  • atillah

    roger, tu é pirado, mano.

    Mas valeu por comapartilhar a história dos seus intestinos e os vídeo-games. Por mais que eu esteja te zoando, também sou um grande jogador de banheiro. Eu devia fazer um post sobre isso.

  • Cara, que saudade da minha época de super nintendo…

  • MaK-PG

    Roger… você pode dizer que terminou o jogo na cagada literalmente… hehehe

    Também me enquadreu no perfil do jogador médio, mas parei no Intellivision e meu irmão caçula no Phantom System. Na época do cursinho só freqüentava fliperamas, isso sem citar jogos de computador…

    Portátil pra mim foi só os de cristal líquido da Nitendo, Donkey Kong…

busca

confira

quem?

baconfrito