Você sabe por que velho não joga? Conclusão.

Games sexta-feira, 24 de agosto de 2007

Se você leu os posts anteriores, então entendeu como é importante visualizar através de exemplos o impacto da evolução da capacidade de processamento na qualidade dos jogos.

Nem sempre é possível perceber essa evolução nos jogos de computador, pois neles a transição costuma ser suave e contínua, ao invés de “aos saltos” como nos consoles. Um jogador que tenha jogado muito Atari, mas que perdeu as gerações 8 e 16 bits, e foi tentar jogar novamente só no Playstation, provavelmente encontrará muita dificuldade até “entender” como os jogos do Playstation funcionam. Ele acha que “é tudo vídeo-game”, e vai tentar transportar suas habilidades de Atari para o console atual. Mas vai se frustrar muito, porque são coisas completamente diferentes. Isso afasta muitos jogadores das antigas.

Os jogos mudam. E com eles muda também a nossa maneira de jogar. Os jogadores não só aprendem a jogar diferentes jogos ao longo do tempo, mas também vão sendo “formados” como jogadores, de acordo com a tecnologia disponível.

 “Diversão” na época do Atari. Excitante. (X-Man)
 “Diversão” de verdade. Tem até uma ovelha em cima da cama! (Grand Theft Auto)

É uma ilusão julgar que os jogos antigos eram mais divertidos do que os atuais. Eu acho que essa ilusão se deve, em grande parte, ao fato de sentirmos falta da situação e época onde os jogos antigos foram jogados. Todos nós temos uma tendência a lembrar com saudades de nossa infância, sendo que muitos consideram a infância como um período de mais felicidade do que o de sua vida adulta.

É natural que os gamers de quase 30 anos associem suas infâncias felizes (na década de 80) com os games daquela época, sendo períodos de menos preocupação e de jogos compartilhados com amigos. O retorno ao jogo da mesma época vem carregado dessas lembranças e emoções, o que afeta o julgamento racional da real diversão e jogabilidade dos games em questão. O fato de muitos gamers de Atari terem abandonado os videogames precocemente e não conhecerem de fato os games atuais, também contribui para a avaliação parcial.

Talvez os únicos que possam julgar com clareza e comparar imparcialmente o nível de diversão proporcionado por diferentes consoles e jogos, sejam as crianças e adolescentes da geração atual de gamers, que não tiverem nenhum tipo de ligação emocional com o Atari, por exemplo. E que não estarão jogando por nostalgia.

Os emuladores respondem a esse apelo de nostalgia, e me questiono sobre a real motivação para jogar um jogo antigo, quando há uma série de jogos novos á disposição. Muito possivelmente, continuamos jogando os jogos antigos pelos mesmos motivos que recorremos aos álbuns de fotos ou filmagens de casamentos, formaturas, etc: para sentir de novo um momento bom de nossas vidas.

Mas como também já sou um gamer crescido, vou te dar uma dica: cresça, deixa de ser TANGA e vai jogar jogo de verdade.

Larga desse River Raid, porra! Toma aqui esse Gears of War e seja feliz.

 FRAAAGGG!!!

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • V

    Gears Of War é muito FODA! Já jogou Bioshock?!
    Mas sei lá, cada jogo, se bem feito, tem seus motivos pra ser jogado!
    Mesmo na época em que comecei a jogar (Meu primeiro videogame foi um play1), também curtia jogar um MegaDrive e tinha emuladores de Atari e Snes e me amarrava, cada um com seu “tipo” de diversão…
    Hj em dia tenho Wii e acesso regular á x360 e play2, só que nunca parei de jogar gameboy…

  • Atillah, eu só acho que você generalizou a coisa toda. Não é só um resgate á infância, mas o quanto de diversão aquilo pode te proporcionar. Star Wars, por exemplo. Qual o melhor filme da série? O feito em 1982 (O Império Contra-ataca) ou o último (A vingança dos Sith), de 2005? Acho que não dá nem para competir.
    Outra coisa é que a capacidade do jogador varia muito com o enredo do jogo e com o que o cara está disposto a jogar ou não. Eu conheço muito nego cracaço em FPS de PC mas que não consegue jogá-los no Play 2? Por que isso, se o cara em alguns casos até desceu um degrau na capacidade de processamento de dados (o Medal of Honor do PC nos faz ter pena do jogo do Play 2)? Eu acho que a questão é muito, mas muito relativa. Eu, por exemplo, fiquei mais exultante ao ter terminado o Metal Gear do Play 1 do que o do Play 2. Sou nostálgico? Não, mas acho o primeiro bem mais divertido do que o segundo. God of War seria um novo Nightmare Creatures (que eu, particularmente, acho uma droga), não fosse o enredo fabuloso e a diversão que chutar bundas nos proporciona.
    Gostei da série, mas achei ela um tanto xiita. E, em tempo, Gears of War é realmente foda. Assim como o River Raid, cada um em seu canto, cada um a seu tempo.

  • atillah

    Caros colegas jogadores:

    Isso foi só um recorte de uma pequena parte da realidade vídeo-gamística que, felizmente, já é muito grande para que qualquer estudo possa abarcar de forma integral. Como eu disse desde o começo, eu só queria explorar os motivos que levam alguns jogadores mais velhos a parar de jogar e, no caso desses ignorantes, por que ficam dizendo que os jogos mais velhos são melhores do que os atuais. Meu estudo não se aplica aos jogadores que NÃO pararam no tempo, como nós.

    Os vídeo-games já são tão presentes na nossa vida e cultura que é impossível falar de maneira abrangente sobre tudo que eles têm a oferecer e seu impacto total sobre nossas mentes, dedos e conta bancária.

    Embora eu não vá ficar respondendo a todas as suas perguntas via caixa de comentários, porque acho isso tanguice, queria dizer que me surpreendi pelo fato de meus humildes posts terem trazido discussões importantes á tona. Vou me esforçar para colocar novos tópicos em debate, visto que temos tantos leitores de alto nível dentro do tema.

    E lembrem-se: Life is short. Play More. Play Hard.

  • V

    :D

  • DaveDrake

    Atillah, parabéns pelo site, que vem crescendo e trazendo cada vez mais informações interessantes sobre o mundo dos games. Eu sou jornalista e rpgista, viciado em games de console e PC e este último texto teu foi fantástico, além de promover um momento remember dos games ele ajuda a muitos PIRRALHOS que jogam hoje em dia a entender como eram os games antigamente. Tenho 27 anos e um irmão de 16, também viciado em games, ele com certeza deve ler tudo que foi publicado para aprender a valorizar cada novidade na área !!!

    Parabéns pelo teu trabalho cara, contiue com o site que com certeza é admidado pela galera.

    Dave

    P.S. Não cobre direitos autorais, minha mote agora é Life is shor. Play More. Play Hard.

  • Joao

    Gear of WAR RULES!!!!!!!!

  • Speeder

    Eu não consegui jogar FPS no play2… Eu tentei jogar medal of honor, mas não consegui nem mirar em ninguem, era só eu morrendo… Odeio analógico para jogar FPS, ainda mais quando tem “vertical” (se fosse só na horizontal rolava…)

    Agora, jogar starfox64 no PC é muito escroto, o divertido é pegar o analógico e o controle “aerodinâmico” e pilotar a bichinha :>

  • Jão

    É verdade que FPS e jogos de nave ficam melhor em 3D, mas os novos castlevanias 3D são horrendos de monótonos por exemplo, e megaman x7 foi uma das piores mancadas da capcom. Alguém lembra do sofrível sonic 3D blast? (tá, esse era isométrico e não 3D de verdade) Evoluir sim, mas sem nunca esquecer de avaliar o que funciona pra você. Tão aí Odin Sphere, Irregular Hunter X e Ultimate Ghouls’n’Goblins que não me deixam mentir, mas sem esquecer de pegar um Okami ou Devil May Cry da vida pra aloprar :P

  • MaK-PG

    Ainda acho que um jogo deva ser analisado pela diversão que traz sem ficarmos hipnotizados pela qualidade gráfica, sonora, etc e tal. Só assim jogos do passado podem ser comparados com os atuais.

  • Cervantes

    É o que eu comentei em outro post: a evolução técnica não serviu para todos os gêneros. Os fps ficaram melhores, mas não os jogos de plataforma. Mega Man, Castlevania, Contra, Sonic… Qual desses jogos ficou bom em 3d??? Nemhum. Sonic 2 ainda é um dos jogos mais divertidos que existem, e não é pelo fator nostalgia – é que a jogabilidade é rápida, precisa e furiosa, coisa que poucos jogos em 3d conseguem reproduzir. Você já jogou Cave Story, maior sucesso independente dessa década? É um jogo de 2004 mas que usa gráficos 8bit. E é perfeito, com um fator replay gigantesco e jogabilidade perfeita. Gráficos 3d não teriam melhorado em nada nesse caso. O gênero puzzle, por exemplo, não ganhou muito em 3d (Tetris ainda é o puzzle mais divertido já criado). Acho que o problema dessa série de artigos foi um caráter tendencioso: sempre que você fala que a evolução foi boa para os jogos, você menciona um fps. Mas os beat’n up, por exemplo, desapareceram da indústria: o único que ainda continua é Devil May Cry, e o 4 foi uma porcaria. God’s Hand foi bom mas não fez sucesso. Era um gênero que não combinava muito com 3d. Os jogos de luta também: sobrou Super Smash Bros, Soul Calibur… E só. Samurai Showdown, Mortal Kombat desapareceram. Street Fghter vai tentar de novo, com o IV – espero que fique bom. Os shmups continuam sendo 2d, até hoje. Os rpgs ganharam gráficos fascinantes, mas a jogabilidade ainda é exatamente a mesma (Chrono Trigger ainda possui uma jogabilidade muito melhor que a maioria dos rpgs atuais).

    Claro que o 3d é bom (e necessário: survival horror não existiria sem ele), mas não dá pra generalizar: é como dizer que as animações em 3d são melhores que em 2d. Viagem de Chiriro ou Kung Fu Panda? Aposto que você sabe qual é melhor (não é o que foi feito em 3d, garanto). Quando a evolução técnica está integrada à jogabilidade (Super Mario Galaxy, por exemplo), fica ótimo. Quando serve só pra impressionar (Doom 3: gráficos perfeitos, jogabilidade MUITO ruim), fica uma m****.

  • BAH

    Os jogos antigos NÃO são melhores que os atuais, mas em alguns (muitos) casos podem ser mais divertidos, justamente pela simplicidade.

    Um dos principais motivos para os “velhos” não jogarem é a falta de tempo. Tempo para jogar e também para aprender o jogo. Por isso acham muito melhor pegar logo um River Raid e sair atirando em tudo do que encarar um Flight Simulator e não conseguir nem decolar.

    Concluindo, tenho certeza de que uma criança/adolescente de hoje com seu PS2/3 ou Wii é muito mais feliz do que eu fui com meu Atari/Phantom System há mais de 20 anos.

    PS: Resolvi o problema da minha falta de tempo com um PSP.

  • atillah

    @ BAH

    “Concluindo, tenho certeza de que uma criança/adolescente de hoje com seu PS2/3 ou Wii é muito mais feliz do que eu fui com meu Atari/Phantom System há mais de 20 anos.”

    Finalmente alguém sensato.

    @ Cervantes

    A evolução tecnológica permite que coisas novas ESPETACULARES sejam criadas. Se isso vai ser bem utilizado ou não é outra história. Usando seu exemplo da Viagem de Chihiro: eu acho a animação 3D de Ghost in the Shell muito melhor que Chihiro. Kung Fu Panda é uma merda porque TUDO na animação é uma merda, não é culpa exclusiva do 3D.

  • Capoeira_fury

    Atillah eu tenho a mesma opnião que vc.
    É impossivel dizer que os games novos não são melhores do que os de antigamente.
    Evolução é tudo!

  • niloleite

    Como gamer trintão e que acompanhou a evolução desde a época do Odissey a até os jogos de hoje, posso dizer que realmente não dá pra comparar. Achávamos os games de antes legais porque só tinhamos eles. Achamos GOW legal porque é o que temos. Agora fica a pergunta: o que aconteceu com as tecnologias que não pegaram? Lembram de uma máquina com um jogo pra lá de tosco, em que vc era um cowboy (ou sei lá o nome… atirador do velho oeste) e que usava projeção holográfica? Na época achava que aquilo ia vingar…O que virá pela frente?

  • Concordo com o Julio. Eu por exemplo odeio o Crash Bandicoot do Play 2, prefiro mil vezes o Crash do Play 1 pelas histórias e pelos gráficos. No play 2 ficou muito mais da velha história sabe? Então não atraiu meu gosto. Concordo com a gurisada: God of War é Fodástico!

busca

confira

quem?

baconfrito