Você sabe criticar?

Música terça-feira, 04 de Maio de 2010

Pra criticar alguma banda ou música, você precisa manjar da coisa toda. Amadorismo é coisa de noob, e, sejamos sinceros, é bem isso que você é. Ou não, mas que graça há fora da generalização? Então eu pergunto: Você sabe criticar? Mas antes, os comentários relevantes da semana:

    KFZ
    Vide Arctic Monkeys e o ultimo cd Humbug legalzinho e tal mas não é Arctic Arctic é uma tentativa de inovar que acaba decepcionando mass fazer o que não é como se a gente pudesse “eutanizar” o artista depois de sua contribuição pra o mundo musical… melhor não dar idéias.
    The Strokes e o quarto álbum
    Enviado em 20/04/2010 às 21:42

Praticamente um chow-chow o rapaz. Eu realmente não entendi boa parte do que você escreveu, mas eu entendo sua dor, cara. Tô aqui faz um tempo, já, e ninguém entende o que eu falo. “Eutanizar” é um termo ótimo. Bacon revelando talentos do neologismo. Mas o que nosso KFC tentou dizer, acho, foi que não podemos culpar um artista por arriscar em um estilo diferente, sendo que muitas vezes pode sair alguma coisa boa daí. E eu concordo, afinal, o rock foi uma novidade em um certo tempo e agora tá aí, vivo e forte, mesmo à base de Viagra. O foda é quando não dá certo, ou dá mais ou menos, assunto do texto que foi publicado anteriormente. E um detalhe: VÍRGULAS, PORRA! VÍRGU-GAH!

    julio
    tu é um retardado que nao sabe nada!!!
    The Strokes e o quarto álbum
    Enviado em 21/04/2010 às 0:13

Porra, julio! Cê só percebeu isso AGORA, e em um texto que eu não falei (Tão) mal de nenhuma banda assim, ainda por cima? Isso sim é efeito retardado. Você ganhou o prêmio de leitor tanga do mês (Isso, é claro, se não aparecer nenhum comentário pior. O que eu duvido, afinal, nem pra ganhar esse tipo de coisa você deve servir). Pior que comentar pra chamar atenção é fazer a mesma coisa, praticamente, e achar legal. Cês são tudo filho da puta, mesmo.

O espírito SE saiu do meu corpo. Voltamos à nossa programação normal.

Criticar alguma coisa é um esporte que está ameaçado pelo desmatamento e pelo aumento da população vegetariana – isso mesmo, se você não consegue chegar perto de uma picanha mal passada, por favor, pare de gastar o nosso servidor à toa. Criticar por criticar é relaxante e faz você atingir o sétimo sentido sem ao menos ser um Cavaleiro do Zodíaco. Agora, por que criticar?

Já dizia um velho ditado (Ou seria o théo? Ah, mesma merda) que a massa é sempre burra. Ou seja, um bando de fãs que ficam babando por aí nunca têm razão. Em parte, concordo com isso. Até porque, fã mala é um saco. Fã mala não sabe criticar; fã mala não sabe aceitar crítica. Gente assim deveria morrer ou simplesmente sumir. Lembro quando eu comentei que Los Hermanos era uma bosta em uma mesa de bar e quase levei um tiro. ACEITEM CRÍTICAS, PORRA.

 Eu não me divirto escrevendo. Não muito.

Apenas dois motivos explicam o porquê da sua crítica não ter sido aceita: 1 – A pessoa que te ouviu é babaca; 2 – Você é babaca. Dentre as duas opções, vamos tratar da segunda, que é mais legal. Como caralhos você consegue criticar uma música ou banda humanamente? Simples: Comece pensando que o conjunto que você vai criticar é melhor que você.

Isso não é mentira. Ou é? Você já ganhou dinheiro fazendo música? Já cuspiu do palco em um fã? Garotas de 12 anos, por mais irritantes que sejam, gritam seu nome e colocam o seu sobrenome no perfil do Orkut? Então, provavelmente, você não pode dizer que é melhor que a banda. E por melhor, entenda: Em termos de fazer música, você é um bosta. Quem você está criticando é um cocô, apenas. Eu já conversei com amigos meus que ganham a vida dando lição de guitarra e coisas do tipo. Um dia eu cheguei a comentar como a abertura do Thunderstruck era foda, que Angus Young tocava bem e essas conversas de quem não tem o que fazer. Eis que ganho como resposta ISSO:

Ah, mas AC/DC é fácil de tocar. Coisa complicada que é boa.

HEIN. Ok, você sabe tocar a música, mas por ela ser relativamente SIMPLES ela é RUIM, e a banda também? Acordem pra cuspir, filhos da puta. Só porque uma música é simples de ser tirada, não quer dizer que a banda seja sempre ruim. Cine deve ser fácil de tirar, fora as mixagens, claro, mas faz mais sucesso que você. Beatles faz mais sucesso que você. Você não faz sucesso nem com o seu chow-chow, mano.

 MAAAASSSSS K ENTAAAOOOO CIIIIIINEEEEE ÉÉÉÉ BOOOOOMMMMM???

Calma aí, Tanguinha. Isso é um erro clássico de quem não sabe criticar. Em base de opinião, uma banda pode ser tanto ruim quanto boa, mas quando se trata de realizações e colaboração ao universo musical – e não vou discutir sobre colaborações boas e ruins – você não pode criticar. Você não sabe fazer música como a banda, então, nada mais justo de você não se impor como alguém superior a ela. Pense da seguinte forma: A letra é ridícula e a melodia é simples, mas, por mais que você ache isso, você não conseguiu pensar em algo igual.

 NAO ENTENDIIIIIII UAUAUA

Mas cê é burro pra caralho, hein? Saber criticar é saber expor o seu ponto de vista, mas não esquecendo que, musicalmente falando, até uma pedra tem mais relevância que você. Até um vegetariano faz mais música que você. Orra. Todos os textos que eu escrevi aqui, por exemplo, foram sobre a minha opinião e nada mais. Beatles, Cine e até White Stripes são musicalmente mais relevantes que eu, e isso é óbvio. Só não é óbvio para os fãs que acham que são um apêndice do conjunto.

Manjar de críticas é saber como fazê-las e saber como recebê-las, (heh) e isso vale principalmente no meio musical. E sim, esse foi um texto diferente, mas pensei em escrever algo assim pra diminuir o número de comentários idiotas nos meus próximos textos. Ah, e a única exceção pra isso tudo é Rebolation. Quem escuta essa bagaça tem que morrer e ponto final.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Luke

    Não sou fã de Cine/Beatles. Você deixou claro (próximo ao fim do texto, quando eu já estava totalmente perdido procurando a diferença que torna o escritor diferente do leitor a ponto de ele estar apto a criticar cruelmente uma banda) que as críticas expressam meramente a sua opinião. Um fã que acredita e defende cegamente seus ídolos, não está também apoiando-se em uma… Opinião?

  • André

    Eu gosto de criticar por um simples motivo;

    Você sempre vai conhecer a pessoa do jeito que ela é quando você falar mal do que ela gosta. Desenvolvendo:

    Se você fala, por exemplo, pra uma daquelas fãs de justin bieber (ARGHH) que a música do mesmo é uma merda, você pode esperar 3 reações:

    1 – “Não é o que você gosta”
    2 – “É ruim, mas eu gosto, fazer o que :<"
    3 – "VAI TOMAR NO SEU CU ELE EH LINDUM VS Q EH FEIO E N PEGA MININA E N FAZ SUCESSU SEU FDP"

    Geralmente dá pra cê determinar o caráter e o julgamento de uma pessoa só nisso. É legal :D.

    E não, eu não sei criticar. Só sei escolher as palavras que mexem nas feridas :D.

  • K

    @Luke
    Não era a ideia do texto separar um escritor de um leitor (Tanto que eu nem escrevi isso). Tem uma certa diferença no que você falou: Um fã que tem opinião musical é aquele que consegue SEPARAR seu gosto do seu FANATISMO, e essa era a diferença que eu tava querendo mostrar. Apoiar-se em uma opinião é falar sobre seus gostos, mas não se colocando em uma posição melhor do que a banda criticada, musicalmente falando. Minha resposta foi um resumo do texto, vsf.

    @André
    Porra, cês tão citanto esse nego demais. Vou dar até uma conferida no Youtube pra entender do que cês tão falando. E vou me arrepender disso, claro.

  • André

    Não faça isso consigo mesmo. Sério. É pior que Rebolation, ouso dizer.

  • Ricardo

    @K @André

    Pior que Rebolation ainda é pouco… tá quase no mesmo nível de Cine, Restart e derivados (sim, já existem derivados desses troços, nem eu consigo acreditar em algo tão… bizarro!).

  • Separar gosto musical de fanatismo é para poucos.
    Isso implica em ser alguém pensante.

    E livres-pensadores, são poucos! Simples.

    Eu gosto de bandas de metalcore, por exemplo.
    Sei que olhando por um lado, são berros desconexos, bateria a mil, guitarras estridentes e tal.
    E eu piro com isso, me dá energia.

    Há quem ache uma merda.Não vê sentido nisso rsss

    Mas eu não vou falar que esse tipo de pessoa é tosca, é gosto dela! :)

    Mas tem muita gente que critica sem ENTENDER o que a banda quer fazer, também.
    Antes de criticar é necessário conhecer.
    Mas ninguém quer conhecer, todo mundo quer falar mal mesmo ahahahaha

  • Ricardo

    @Zombie

    Eu sei bem como é… eu mesmo adoro muitas bandas toscas, que nem The Berzerker e Brujeria. Não é porque “não é técnico, cheio de compassos alternados e bonitinho” que não pode ser legal.

    Às vezes, não é porque é primitivo que é lixo.

busca

confira

quem?

baconfrito