Todd and the Book of Pure Evil

Televisão sexta-feira, 09 de Março de 2012

Se Jay e Silent Bob fossem os protagonistas de Buffy, a Caça Vampiros, o que teríamos seria Todd and the Book of Pure Evil. Uma série canadense cheia de bizarrices e muito baixa renda. Mas podem acreditar, a série é muito foda.

Parece ser uma série bem tosca, e realmente é. Pelo menos visualmente falando. Os “efeitos especiais” são piores que os da década de 80. É, é muito ruim. Mas eu acredito que a intenção era realmente ser thrash, e até que isso deixa a série até melhor, a trama é boa, os atores são bons, as atrizes são delicinhas e a série é engraçada. A história é a seguinte, Todd é um moleque maconheiro, metaleiro, punheteiro e fracassado que toca guitarra em uma banda chamada Barbarian Apocalipse, junto de seu amigo Curtis, também maconheiro, metaleiro, punheteiro e ainda mais fracassado por ser gordo, além de não ter um braço. Todd é apaixonado por Jenny, a gostosa garota popular da escola que namora o cara popular da escola. Claro que ela nunca deu bola pra Todd, até descobrir que ele encontrou O Livro do Puro Mal, que ela acredita ser o responsável pelo desaparecimento de seu pai. Após a Barbarian Apocalipse ser humilhada nas audiências para os duelos de bandas da escola, Todd fica sabendo sobre O Livro do Puro Mal, o encontra, deseja ser o melhor guitarrista de metal, o livro se transforma na guitarra, Todd se torna um babaca, toca no duelo de bandas e quase mata a todos que ouviram seu solo por excesso de “bangueamento”. Salvo por Curtis e Jenny, Todd não se lembra de nada, a guitarra volta a ser livro e sai voando por aí. Temos uma gangue (Como eles mesmos dizem) e uma missão: Todd, Curtis e Jenny precisam encontrar o livro antes que ele encontre outra vítima na escola. O livro se alimenta de sofrimento, qual lugar mais ideal para se encontrar isso do que em uma escola pública? Enfim, no 2° episódio, Hanna, a nerd gostosinha (Ela é aquela atriz gostosa que vestem mal pra pagar de nerd e depois ter uma “mega” transformação e todos se arrependerem de não terem dado uns catos nela) que encontra o livro e acaba criando um homúnculo com a cabeça de Todd. É, Homúnculo, e o monstrinho é tão mal feito que chega a dar medo de verdade.

O arqui-inimigo da gangue de Todd é Aticcus Jr., o conselheiro da escola, que trabalha para uma seita secreta de satanistas que querem O Livro do Puro Mal, e com certeza é o personagem mais engraçado de toda a série. Outro bem hilário também são Jimmy, o zelador da escola e conselheiro pessoal de Todd (Também maconheiro, metaleiro, punheteiro, fracassado e um pouco gay), que só na 2° temporada eu fui descobrir ser interpretado por Jason Mewes, o Jay, dos filmes de Jay e Silent Bob. E só por isso já vale a pena assistir a série. Ele aparece apenas rapidamente nos episódios, dando uma de Mestre dos Magos, mas são bem engraçadas as metáforas que ele usa para ajudar Todd contra a bizarrice da semana.

A série se resume no estudante fracassado que encontra o livro e faz a escola virar o caos da semana. Como o gay que sofre bullying e deseja que todos na escola sejam gays, o que ele não esperava era se tornar o único hétero da escola… É, o livro é bem filho da puta. Além dele, temos a ecologista chata que se torna parte da natureza, as gêmeas lésbicas (Que são muuuuuuuuito gostosas) que criam um exercito de clones delas mesmas, o pervertido que fica invisível para observar as mulheres no vestiário e acaba tendo sua mão da punheta amputada, a gótica que deseja que os músicos mortos de sua banda favorita fossem seus pais e eles voltam como zumbis, a gorda que deseja ficar magra e acaba criando o Monstro da Gordura, a garota que quer engravidar e acaba parindo um bebezão de 1,80m, o moleque que quer ser o mais inteligente da escola e acaba transformando os outros alunos em idiotas chapados de maconha o tempo todo, o valentão de pinto pequeno que deseja ter um maior e acaba criando uma trozoba com vida própria que petrifica quem olhar para ele e até mesmo Curtis acaba pedindo um novo braço para o livro, o que resulta no flashback que conta como ele o perdeu numa batalha entre amigos.

É, mas não vá esperando cenas emocionantes ou finais felizes, Todd and the Book of Pure Evil é uma série de comédia e não dramédia, quando estamos achando que as coisas estão pra melhorar, os roteiristas não perdem a piada e tudo volta a piorar na vida de Todd e sua gangue. Isso é maneiro e um diferencial nessa série foda, que só me incentivou ainda mais a procurar mais séries que não sejam americanas. Se você gosta de metal, maconha, garotas gostosas e punheta, você vai virar fã de Todd and the Book of Pure Evil, se não, tem sempre o programa do Padre Marcelo Rossi pra você assistir na Rede Vida.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Eugenio Fontes

    Turma do lixo…

busca

confira

quem?

baconfrito