The Idler Wheel Is Wiser Than the Driver of the Screw and Whipping Cords Will Serve You More Than Ropes Will Ever Do (Fiona Apple)

Música terça-feira, 10 de julho de 2012

Aposto que muita gente aqui tinha uma quedinha por ela nos anos 90. A menina rebelde, o charme do jeito de saco de ossos hein desleixada de ser, o cabelo sempre de qualquer jeito. A Fiona Apple conquistou respeito e acabou como inspiração pra dez a cada oito cantoras atuais. E isso vai da Amy Lee a Lady GaGa. Ou seja, entreviste qualquer par de peitos que esteja em cima de um palco sobre influências: Quase todas vão citar a Fiona.

 “Qual foi?”

Depois de alguns álbuns de muita qualidade – mas, claro, pouco sucesso – ela tá de volta. Agora, olha pro título e diz o nome do álbum dez vezes em voz alta.

Aposto que todos vocês tiveram derrames. Ou, no mínimo, morderam a língua. Pra evitar acidentes, vamos nos referir ao álbum apenas como The Iddler Wheel…, a saída que a maioria dos sites (E a própria cantora) usa pra evitar de falar esse trava língua. Imagina numa entrevista, não?

A primeira faixa se chama Every Single Day. Por mais que, por definição, ela possa ser chamada de baladinha, tal título é pecado pra uma música tão… Forte. É marcante, apesar de composta apenas por um teclado. E, meu Deus, o que que houve com a voz da Fiona? O timbre parece que ficou mais velho. Tá diferente. Não que seja ruim.

Daredevil é parecida em alguns aspectos. Também não tem quase nenhuma densidade e tem menos poder. A fórmula não deu certo duas vezes. Pra falar a verdade, achei que ela se perdeu no meio pro final. Ainda é boa, mas tinha mais potencial. Ficou meio apagada, sem sal. Mesmo assim, é uma puta letra. Sobre pessoas que se viram sozinhas com os problemas e tal.

E, claro, sempre tem que haver uma baladinha no CD. Por mais que pareça um insulto chamar algo do que a Fiona faz de balada. Valentine tá aí pra representar a galerinha apaixonada. Veja, bem a galerinha apaixonada que sofre por causa do amor, esse filho da puta. A música tem a temática depressiva, mas a atmosfera “feliz”.

Jonathan segue o exemplo da anterior. Só que é mais pesada, mais sombria. Há barulhos de coisas sendo arrastadas por trás. Segundo a cantora, é sobre o ex chato, um cara egocêntrico que gostava muito da própria voz. Sacumé, essas malas que a gente sempre enfrenta na vida. Eu gostei particularmente dessa letra, principalmente o segura meu punho no seu peito. Deveras poético, vai virar meu lema.

Left Alone tem um dos riffs no piano mais legais que já ouvi na vida. É uma música bem poderosa também. Por mais incrível que pareça, achei que aqui há salpicos de jazz. Alguém mais concorda ou devo me internar? Enfim, uma das melhores músicas de todas do universo. Amei de verdade.

Werewolf fica em segundo lugar. Principalmente por causa da letra, também. Antes de tudo, a Fiona é uma puta letrista. Essa música tem gosto de conformação, de desistência. Perfeita pros dias de chuva depois de brigar com o namorado.

Periphery é basicamente sobre gente idiota. Novamente, uma música sombria, mas construída com notas felizes. E, puta merda, tô ficando louca ou a mulher tá cheia de influência do jazz? Enfim, apesar disso, achei repetitiva. Dispensável, vamos pra próxima.

Regret é “a” música emocionante do álbum. A melodia, meio bêbada, meio sóbria, casa bem com o piano e a percursão suave. Típico de quem já tá cansado de alguma situação chata. Perfeita pra quando terminar com o namorado. Ou ser estuprada.

Anything We Want decepciona um pouco. Acaba sendo um repeteco. Pule pra outra se estiver sem paciência.

E, pra fechar com chave de ouro, Hot Knife. Meio folclórica, meio urbana. Perfeita pra fechar um álbum. O arranjo vocal ficou… Diferente.

Por fim, temos um álbum foda. À décima potência. A Fiona Appleé uma das melhores intérpretes dos últimos tempos, e essa influência grande que ela tem em uma caralhada de gente não é a toa. A mulher faz de tudo e consegue cativar mesmo fazendo um trabalho basicamente todo no piano e na voz. O timbre, assim como a figura dela, foge do padrão de beleza que a mídia impõe – sabe, aquela coisa de vozeirão de diva ou menina doce pra cantar pop. Apesar de uma faixa ou outra que soam repetitivas e uma síntese de tudo que tinha sido feito no álbum até o momento, todas têm uma característica que as façam originais.

Recomendo pra quem tá de saco cheio desse pop frufru e do metal farofa que têm surgido por aí. Até por que personalidade é o que não falta na mina.

The Idler Wheel Is Wiser Than the Driver of the Screw and Whipping Cords Will Serve You More Than Ropes Will Ever Do – Fiona Apple


Lançamento: 2012
Gênero musical: Rock alternativo
Faixas:
1. Every Single Day
2. Daredevil
3. Valentine
4. Jonathan
5. Left Alone
6. Werewolf
7. Periphery
8. Regret
9. Anything We Want
10. Hot Knife

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito