The House of the Dead: Overkill

Garotas no Controle quarta-feira, 03 de novembro de 2010

Nunca gostei de jogos de tiro. Pelo menos não os para consoles tradicionais. Quer dizer, ter que controlar uma mira com os polegares nunca foi a minha. Porém, tudo mudou com o advento do Wii.

Apesar de não gostar de jogos de tiro nos consoles tradicionais, sempre me interessei por aqueles jogos de shopping, onde há uma máquina com armas nas quais ce atira na tela. E é essa possibilidade que o Wii trouxe para os jogos de tiro.

 Comprando o suporte plástico em forma de arma pro Wii ce tem mais ou menos isso aí.

Não que todos os jogos tenham sabido aproveitar isso. Talvez você, nerd gordo e experiente ame jogos como Call of Duty, mas eu acho eles terríveis de controlar. Ou me preocupo em andar ou em atirar. Fazer os dois ao mesmo tempo é, no mínimo, complicado.

É aí que um amigo me apresentou ao mundo de The House of the Dead. A simplicidade, a facilidade, a forma instintiva de atirar… Bastou uma partida e eu estava apaixonada. Porém, o vício mesmo só chegou quando me encontrei com Overkill, jogo da série criado especificamente para Wii.

Agora, uma informação engraçada sobre Overkill:

O jogo entrou para o Guiness Book por ser considerado o jogo mais profano pela quantidade de palavrões. Em 3 horas de diálogos no jogo foram contadas cerca de 189 palavrões.
Wikipedia

Quer dizer… O jogo é foda. Tá, não pelo fato dele ser cheio de palavrões, mas é engraçado porque um dos personagens é um daqueles nigga modafoca que fala fuck de 9 a cada 10 palavras, então, quando descobri o recorde, pra mim ele fez todo o sentido.

The House of the Dead é tão simples que você só precisa mirar na tela. Ele já anda por você. Daí que eu virei a campeã total e completa de headshots. Esse tipo de coisa seria, para mim, impossível se tivesse que atirar e andar dependendo apenas da habilidade dos meus dedões.

Agora, o ponto onde meu eu menina verdadeiramente se expressa (Nem vem dizer que menina não sabe atirar com os dedões que tenho amigas que chutariam a sua bunda em Left 4 Dead) é na dinâmica entre a dupla principal:

 Agente G e Detetive Washington

Quer dizer, começa com essa icógnita de “Agente G”. G de que? G de gay, né. Porque sério, esses dois começam tipo se odiando sem motivo e terminam claramente nos braços do outro se amando.

Ok, ok, exagerei um pouco, mas o fato é que no meu ponto de vista eles são o casal a dupla mais engraçadinha que já vi em um jogo. Tem uma hora onde o Washington simplesmente não mete a mão nas entranhas de uma zumbi porque ele acabou de se manicurar. Sério, reflita.

Fora que eles são lindinhos (No sentido visual mesmo) e o Agente G é um fofo meio que James Bond fail e o detetive Washington é o gay prestes a se descobrir. Que dupla dinâmica. E antes que você fique preconceituoso (Ou empolgado demais com a premissa) eles nem são assim, oficialmente um casal. Tem uma mulher semi-nua no meio e coisa e tal que é para disfarçar tudo. Cê vê que ela é tão irreleante que chega a ser difícil achar imagens dela net afora:

 Varla Guns, que é muito mais exagerada no jogo, com peitões fanservice que balançam sem motivo algum.

Na verdade, o jogo é cheio de coisa meio creep e “ew!” (E nem tô falando dos zumbis) que descobrir que os dois personagens principais são na verdade um casal nem seria chocante. Quer dizer… Chocante mesmo é o final. Se quiser saber porque, só jogando. E te digo que vale a pena e nem demora muito. Mas é legal mesmo de jogar em dupla, criando estratégias de quem atira em que/onde e depois comparando resultados. Eu sempre ganhava nos headshots, porque nada como zumbis explodindo pela tela, cê há de concordar.

 He he hehehe

Leia mais em: , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Varla Guns é o caralho Chun Li foréva

  • Bom, em CONSOLES é um inferno jogar FPS mesmo. Embora eu tenha gostado bastante de Medal of Honor (PS1), Black(PS2), ainda acho que eles não ficam ideais com controle.

  • Chuto a bunda de quem cê quiser no Left 4 Dead pra PC.

  • Foi um dos primeiros jogos que experimentei no Wii. E realmente jogando co-op é muito divertido.

    Ainda prefiro L4D2, tanto em co-op como também como jogo de zumbi.

  • @Pizurk
    Minha amiga, assim como eu, é RICA. Por isso ela só joga L4D pra xBox 360 e por tanto só granto que ela chutaria a sua bunda lá.

    @Camarada Moderado
    Só joguei L4D pra xBox cozamigos, mas nem curti isso de controlar o tiro e andar com dedões. Agora é um puta jogo divertido de assistir os outros jogarem, tipo Silent Hill, quase um filme.

  • Se ela fosse rica mesmo, jogaria no PC, com gráficos muito melhores, um mouse de 5000dpi, três monitores de 57′, sistema de som 7.1, e tomaria UMA NABA de mim. Mas tudo bem, sou pobre e não tenho um Xbox pra treinar. E mesmo assim, aposto que ganho de vocês duas juntas em qualquer jogo de carro. Principalmente se tiver drift.

busca

confira

quem?

baconfrito