Tesão por carros = Forza Motorsport

Nerd-O-Matic quinta-feira, 18 de junho de 2009

Ok pequenos putos, a coluna de hoje tratará de um tema que eu estava guardando para uma emergência. E entendam por “emergência” algo como “passei a última semana na praia e sem a menor condição de pilotar um joystick devido ao fato de ter enchido os cornos de cachaça regular e diariamente. Hahaha. Fodam-se.”

Mas tudo bem, fazia tempo que eu queria falar de Forza Motorsport mesmo. Ninguém vai sair perdendo nada. A não ser vocês, que SEMPRE perdem tempo por aqui. Não que o tempo de vocês valha alguma coisa, claro.

Enfim.

Forza.

O que eu vou falar agora pode parecer uma idiotice, mas na verdade são vocês que não sabem interpretar texto. Olha só: existem poucos jogos pra quem gosta de carro.

Vou explicar.

Claro existem varios jogos de corrida, mas são jogos pra quem gosta de VELOCIDADE e não necessariamente de CARROS. Eu gosto muito de Need for Speed e de Burnout, mas são jogos que focam em gerar adrenalina, e não em prestar homenagem aos veículos e aos seus detalhes. Nos computadores a coisa vai melhor, já que existem simuladores muito detalhados de corridas de Formula 1, com ajustes precisos para os carros e que produzem efeito nas corridas, exatamente como na F1 real. Mas nos consoles isso nunca aconteceu de forma muito detalhada, e só mesmo Gran Turismo conseguiu atingir um nível de tecnicalidade que agrada aos fãs de carros. Desde a aquisição do meu Playstation 2, Gran Turismo 3 foi um dos jogos que nunca deixaram de rodar periodicamente no drive. E antes dele foi o primeiro Gran Turismo que acumulou dezenas de horas e preciosos blocos de memória no meu Playstation 1.

 CRÁSSICO

Mas se vocês também são fãs de carro, vocês sabem qual era o maior problema de Gran Turismo: os carros não amassavam, trincavam ou arranhavam. Foda, véi. O jogo tinha um altíssimo nível de realismo no que tocava aos ajustes do carro, detalhes técnicos do veículo, marcas, performance e até os sons dos motores… mas aí todo o realismo da bagaça se perdia quando você CAPOTAVA a porra do carro no Speed Ring e ele não ficava com um arranhão. É mais ou menos como se você pegasse uma mulher maravilhosa na noite e depois descobrisse que ela é um travesti. Um travesti que não fica com um arranhão quando você capota o carro ao trocar a marcha, colocar a mão na perna dela e descobrir que ela é um travesti.

Ok, essa explicação era desnecessária.

Em resumo: Gran Turismo era um jogo do caralho. Mas era um travesti.

Felizmente a questão transsexual foi completamente resolvida em Forza Motorsport. Em 2005 o jogo era lançado para o Xbox, ameaçando seriamente o reinado de Gran Turismo. Só não derrubou GT porque o Xbox não foi um console de sucesso comparável ao PS2. Mas no X360 a história foi diferente, principalmente devido ao fato de Gran Turismo para o PS3 não ter saído ATÉ AGORA. Essencialmente, Forza Motorsport 2 se tornou o jogo default para os apaixonados por carros e detalhes técnicos:

Totalmente espetacular. O realismo de Gran Turismo foi extrapolado aos últimos limites em Forza 2, transformando o simulador num jogo de babar em vários quesitos. Todos os pequenos ajustes de marcha, calibragem e aerodinâmica estão presentes em Forza e mais: o jogo tem fucking TELEMETRIA em fucking TEMPO REAL; você pode acompanhar detalhes absurdos como temperatura dos pneus, pressão sobre a suspensão e amortecedores, força G atuando sobre a carroceria… é ridiculamente detalhado e profundo. Você sabe que é doente quando, como eu, fica obsessivamente trocando os pneus do carro só pra ver a diferença de temperatura e tração na mesma pista. Nunca foi tão divertido ser louco.

Mesmo que você não entenda picas de ajuste mecânico, o jogo te dá instruções detalhadas dos efeitos que as mudanças de ajuste podem ter no seu carro. Então, ainda que você seja completamente leigo no assunto, você pode experimentar com pequenas mudanças inicialmente, até entender como fazer o ajuste perfeito para o seu estilo de corrida. Isso é essencial para conseguir dirigir decentemente os malditos Camaros que derrapam mais do que travesti no gelo. Eu devia parar de falar em travestis.

A atenção aos detalhes é tão grande em Forza 2 que os caras incluíram um puta editor visual para você deixar seu carros com a aparência que quiser. Então, além de ajustar totalmente o carro para o seu estilo pessoal de dirigir, você ainda deixa ele com a aparência personalizada. Por causa dessas duas coisas, você se apega pra cacete aos carros na sua garagem, de uma forma que nem em Gran Turismo acontecia.

E, pra quebrar tudo, vem aí o Forza Motorsport 3:

Cês viram as palavras no começo? ACTUAL GAMEPLAY FOOTAGE. Hell yeah. Esse é o tipo de jogo que só se beneficia com o capricho visual. Espero que adicionem ainda MAIS recursos de ajustes finos do carro, se é que isso e possível, e que agora consigam ter a capacidade técnica de enfiar mudanças climáticas no jogo, porque correr o tempo todo em asfalto liso, seco e com um sol de rachar foi a única coisa que me incomodou em Forza 2.

Podia ser pior. Podia ser um travesti.

Leia mais em: , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Caio, The Eldar

    medo…

busca

confira

quem?

baconfrito