Séries Inglesas – Being Human

Televisão terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Uma série onde os personagens principais são um vampiro, um lobisomem e uma fantasma que dividem um apartamento parece ser uma coisa bem chata e sem graça, só que não. Being Human (O original britânico, não aquela merda americana em que os vampiros parecem bonecos de cera), é uma das melhores séries com trama sobrenatural atualmente (Se você disser que Supernatural é melhor eu serei obrigado a expulsa-lo daqui na base da porrada. E sim, será muito prazeroso para mim bater em um fã de Supernatural).

Texto com alto teor de spoilers

Os personagens principais são Mitchel, o típico vampiro bonzinho que não quer se alimentar de humanos mas não consegue, George, o lobisomem e alívio cômico da série e Annie, a fantasma pé no saco que todos torcem para fazer logo sua passagem para o quinto dos infernos reino dos mortos de uma vez por todas. A verdade é que você começa a assistir Being Human sem esperar grandes coisas e é exatamente isso que te surpreende. Herrick é o vampiro que transformou Mitchel e é também o grande vilão da 1° temporada. Seus planos são bem simples: Levar Mitchel de volta para o lado negro da força dos vampiros e dominar o mundo, retirando os vampiros do anonimato. Seus planos vão por água abaixo quando ele acaba preso em uma sala com George em uma noite de lua cheia. Sim, o grande vampiro chefe vira ração de lobisomem. Ótimo, a temporada acaba de uma forma foda e você já logo torce para a estréia da 2° temporada chegar.

Pois bem, ela chega e descobrimos que sem um líder, os vampiros estão desesperados e causando um caos na cidade. Cabe a Mitchel então se tornar o novo chefe da vampirada, e é claro que isso não vai dar certo. George, ao final da 1° temporada, acabou arranhando sem querer Nina, que agora também é uma lobisomem. Péssimo pra ela, ótimo pra ele, que agora tem com quem acasalar. Além disso, tem um velho malandrão que se torna o grande vilão da 2° temporada. Esse tal velho diz para Nina e George que pode curá-los. Grande mentira do velho, e grande erro dos dois lobinhos apaixonados acreditarem nele. Enquanto todos tem problemas de verdade, Annie apenas quer arranjar um emprego. Sim, ela é um fantasma e pode ser vista pelos outros. Pelo menos por enquanto. Por fim, as merdas começam a rolar. Mitchel surta após o prédio em que se encontrava com seus amigos vampiros é explodido e resolve seguir com os planos de Herrick, George e Nina quase são mortos pela máquina deslobisomensadora do velho malandro e Annie é exorcizada e parte para o purgatório. Fim?

Ainda não. Ainda tendo seu ataque de pelancas, Mitchel descobre um jeito de trazer Herrick de volta a vida. Grande erro. Vem a 3° temporada, Mitchel vai ao purgatório salvar a Annie, George e Nina descobrem que serão pais e 2 novos lobisomens entram na série, McNair e Tom, lobisomens de verdade, cheios de cicatrizes, bons de porrada e inimigos mortais dos vampiros. Herrick é encontrado em um hospício sem se lembrar que é um vampiro, acaba “adotado” por Nina (Sério mesmo? Por que diabos todas as mulheres dessa série tendem a serem estúpidas?) e levado para a casinha feliz das aberrações. Claro que ele se lembra do vampiro grande e malvado que costumava ser e decide causar, causar muito.

A 3° temporada é a mais foda de todas apenas por eles ousarem matar o personagem principal da série. Sim, Mitchel vai para as cucuias. E isso é muito foda. Os antigos estão chegando e o bebê de George e Nina provavelmente será o causador da extinção dos vampiros, uma vez que um lobisomem puro nunca tinha nascido antes. É vampirada, corram para as colinas. Being Human é uma das poucas séries atuais que faz você ficar torcendo pela próxima semana chegar logo. A 4° temporada estreiou a pouco tempo na Inglaterra, e pelo 1° episódio já dá pra saber que será foda. No futuro, os vampiros conseguiram dominar o mundo e uma pequena resistência formada por lobisomens luta contra eles. A líder desse resistência acaba por voltar no tempo com a intenção de matar a filha de George e Nina, pois ao que tudo indica ela é a responsável por esse futuro tenebroso. Já vimos isso em algum lugar? Sim óbvio, mas por mais que estejam usando um clichê, os roteiristas de Being Human sabem fazer isso de uma forma diferente e boa. Sem contar que outros personagens principais encontram seu fim logo nesse 1° episódio. Nina é espancada por um grupo de vampiros e George força uma transformação em lobisomem olhando para um cartaz da lua cheia. Claro que a transformação não é completa e ele acaba morrendo, mas não sem antes salvar sua filha e vingar sua esposa. Assim Tom, o lobisomem fodão da 3° temporada entra para o elenco fixo e Hal, um novo vampiro entra no lugar de Mitchel.

Being Human erra em alguns pontos, mas acerta em muitos outros. A verdade é que não existe meio termo com Being Human, ou você ama ou você odeia. Mas na era em que nos encontramos onde vampiros brilham quando expostos ao sol e lobisomens adolescentes que mais se parecem ursinhos carinhosos são idolatrados por aí, Being Human é a melhor coisa que já surgiu nos últimos 3 anos. E não ouse citar True Blood aqui, vocês fãs de True Blood só não são piores que os fãs de Supernatural.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Arthur Arantes Souza

    Cara, vc dá spoiler d+

  • Jo

    Por isso o aviso logo no início do texto.

  • Arthur Arantes Souza

    hahahaha, verdade.

busca

confira

quem?

baconfrito