Scooby-Doo completa 40 anos

Televisão quarta-feira, 16 de setembro de 2009

E cá estou eu, em mais uma quarta-feira, para falar sobre o que anda pegando no mundo das animações.

Bem, é daquelas colunas que suei um pouco para pensar em algo diferente, pesquisei no Google, fui à bibliotecas, li enciclopédias, estudei a vida de grande gênios da animação, entre outras coisas mentirosas.

Foi então que reparei que um dos cachorros mais famosos do mundo da animação estava completando 40 anos!

Lógico que estou falando do Snoopy Scooby-Doo!

Criado por Iwao Takamoto em 1969, Scooby-Doo virou animação pelas mãos dos gênios (há controvérsias) William Hanna e Joseph Barbera, o executivo Fred Silverman (CBS), pelos roteiristas Joe Ruby e Ken Spears e pelo próprio desenhista Takamoto.

Estreou na TV no dia 13 de setembro de 1969 (ou seja, completou 40 anos no domingo), com a história de quatro jovens e um cachorro que viajavam os EUA a bordo do furgão Máquina do Mistério (Mistery Machine) e solucionando mistérios (dã) aparentemente causados por forças sobrenaturais.

Inicialmente, o desenho se chamaria Who’s S-s-s-s-cared (Quem está com me-me-me-medo?), mas, durante um vôo, enquanto ouvia uma frase da canção de Frank Sinatra – Strangers in the Night – “dooby-dooby-doo…”, Silverman decidiu que o cachorro se chamaria Scooby-Doo, mudando também o nome do programa para “Scooby Doo, Where Are You!” (Scooby-Doo, Onde está Você?) e seria o cão, e não os adolescentes, a estrela do programa.

Vale notar que os primeiros episódios foram rejeitados, pois os executivos acharam os desenhos ‘assustadores demais’. Não sei como seria nos dias de hoje, mas imagino algo que seria bem melhor do que nos acostumamos a ver.

O produtor Fred Silverman queria algo nos moldes da série Dobbie Gillis, que mesclasse mistério e comédia e, após os primeiros episódios recusados, chegaram a fórmula ideal, com Fred, Daphne, Velma, Salsicha e Scooby conquistando o sucesso e o público logo de cara.

 Versão para o cinema com a boa “Buffy” como Daphne

Afinal, era a fórmula perfeita: o garotão boa pinta, a mocinha bonita raptada, a nerd estranha que resolve os problemas, o medroso atrapalhado maconheiro junto com o cachorro também atrapalhado e medroso. Com uma história aparentemente focada em mistérios sobrenaturais, seguida de uma sequência musical ou um plano mirabolante, concluindo com o vilão pego e desmascarado, que sempre repetem: “Eu teria conseguido se não fossem esses garotos…” Esse bordão está em todos os desenhos e filmes, pode conferir.

Vale notar que Scooby era o único animal falante da série (até surgir Scooby-Loo).

Interessante destacar que, no Brasil, desde que chegou aqui, a dupla de dubladores de Scooby (Orlando Drummond Cardoso) e Salsicha (Mário Monjardim) continua a mesma, tanto no cinema como na nova versão animada para TV, mostrando que de vez em quando há um pouco de respeito com o telespectador.

Nunca fui muito fã de Scooby, aprendi a gostar conforme fui ficando mais velho, já que achava o desenho meio paradão, sendo fã apenas de Salsicha. Quando estava para ser fã de verdade, inventaram de lançar “O Pequeno Scooby-Doo” e larguei de mão de vez.

Mesmo assim, essa animação é um marco e merece os parabéns pelos seus 40 anos. São mais de 350 episódios, contando todas as versões, produzidos. Mesmo com os novos episódios de hoje, não fazendo jus a um décimo do que já foi a série, é um dos maiores clássicos já exibidos na TV.

Fica aqui a homenagem do Papo Animado a esse desenho.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Olaf

    Cara, ninguém conhece “Orlando Drummond Cardoso” é “Seu Peru”
    E não me venham com piadinhas.

  • Aliás, nem o Scooby-Doo, nem o restante dos desenhos da Hanna-Barbera… Essa produtora só tem desenho ruim! (salvo alguns dos Jetsons).

    A HB inventou o conceito de “animação limitada”, que faz com q seja + barato o modo de produção. O resultado são fundos repetitivos, desenhos c/ movimentos duros etc. Alguém já conseguiu rir de uma piada dos Flinstones???

    T+

  • @Olaf
    Todos ligam a Seu Peru, mas se vc quer se agarrar o Peru, que seja feliz. (não resisti hehhe)

    @Francisco
    No link do ‘controvérsias’ está o que eu acho Francisco, já falei sobre isso, mas não dá para ignorar animações que eram líderes de audiência no horário nobre americano.

  • yuri

    Os desenhos da Hanna-Barbera podem até não ser comicos, mas pra mim ganham de lavada de muitissimos desenhos de hoje-em-dia, pelo seu traçoç diferenciado, sem contar a nostalgia!

    ow, alguem aqui prefere Ben 10 e esses desenhos de roteiro fraco e traço tosco?

  • esse desenho e legal so que acho que deviam fazer
    mais episodios….

busca

confira

quem?

baconfrito