Resenha – O Ultimato Bourne

Cinema terça-feira, 08 de janeiro de 2008

Uma pena essa resenha ter demorado tanto. Enfim, o elenco você já conhece: Matt Damon (Os Infiltrados), Julia Stiles (A Profecia), David Strathairn (Um Crime de mestre) e Joan Allen (A Outra Face). A história, desde o primeiro filme: Jason Bourne (Matt Damon) perde a memória em uma de suas missões e se vê completamente perdido. Quando começa a correr atrás de sua identidade, percebe que tem algo incomum ali: Assassinos profissionais estão atrás dele. Afinal, quem diabos ele é?

ultimatobourne1.jpgÇAI! :amd:

Então, no terceiro e último filme da saga (uma… trilogia?), o cara já tá puto por terem matado sua gordinha e também sua paciência. Como se fosse o último dia de vida do cara, ele corre atrás de mais contatos e de mais lembranças que, aos poucos, vão sendo vomitadas de sua mente. Agora o cara tem lembranças mais profundas, indicando uma sala onde possivelmente tudo começou. Se lembra de alguns rostos, procura por nomes… e, é claro, enfrenta mais assassinos.

O cara ainda “faz amizade” com um jornalista, Simon Ross (Paddy Considine), que tem uma fonte que poderá ser extremamente útil para Bourne. É claro que a CIA já fica sabendo dos movimentos do cara, então começa a correr atrás dos dois. Com a ajuda da agente Pamela Landy (Joan Allen), o agente Noah Vosen (David Strathairn) consegue algumas informações sobre Simon, e até chega a pensar que a fonte do cara é o próprio Jason Bourne. Noah deixa o poder subir á cabeça e se joga na missão, sem dó, e acaba matando Simon. Bourne consegue pegar umas anotações do cara e sai de cena pra analisar a bagaça. Mais nomes, mais busca.

ultimatobourne2.jpgQUAL É SUA FONTE, FDP?

Bourne acaba se encontrando novamente com Nicky Parsons (Julia Stiles), uma colega de equipe. Não vou explicar tudo aqui, vá ver os dois primeiros filmes. Enfim, a garota acaba ajudando o cara, e os dois ficam em uma situação desconcertante em certo trecho do filme. Com mais assassinos na cola do cara, posso afirmar que esse é o filme mais frenético de todos, a adrenalina corre solta e dá vontade de se jogar pela janela de tanta correria. Bourne finalmente encara um cara á sua altura quando o assunto é sair na mão, deixando aqueles marabalismos desnecessários de filmes de kung fu no chinelo.

ultimatobourne3.jpgDá pra acreditar que até ela entrou na treta? É claro que ela apanhou.

Pamela começa a ficar desconfiada de Noah, que quer acabar com Bourne custe o que custar. É claro que Bourne corre atrás de Pamela, fazendo o clássico telefonema enquanto a observa em um edifício ali por perto, terminando então o telefonema com um “vá descansar, você parece cansada” – o que deixa Pamela louca. Bourne arma uma das melhores ciladas da história e deixa todo mundo puto, é quando as máscaras vão caindo e… chega, né?

Com mais correria, mais atos sensacionais que só o Bourne faz pra fugir de alguma merda, mais pancadaria e um suspense do cacete pra dar uma variada, o filme fecha com chave de ouro uma das melhores trilogias de todos os tempos. Não é fácil você achar uma série respeitável como a de Jason Bourne, muito menos um personagem como ele. Pra variar, não facilitaram pro cara, mas o puto é invencível. Eu não sei por que você demorou MAIS do que eu pra ver este filme, então, não perca mais tempo e veja logo os três, em seguida. Realmente, um dos melhores filmes de 2007. Senão o melhor.

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • joao

    vou ver ! esse e um dos filmes que eu to querendo assistir!

  • Ricardo Furlan

    InvenSível ??? haha, esses brogueiros…

    Mas esse filme é mesmo FODÍSTICO. O melhor filme de ação de 2007, disparado, disparado.

  • théo

    @Ricardo Furlan
    Tá, cara, foi um erro pequeno, não precisava me insultar desse jeito.

  • Ricardo Furlan

    Théo, não foi um insulto de minha parte, só uma ironiazinha básica haha…

    Estamos entendidos?

    Abraço

  • théo

    @Ricardo Furlan
    Cara, não se chama alguém de blogueiro por pura “inoniazinha básica”. Morra.

  • Eita

    Ui, nervosinho o tal de Théo, tá de tpm é? Se não aceita uma pequena crítica dos leitores do blog então vai procurar outra coisa pra fazer. Afina seus textinhos fraquinhos não vão fazer muita falta não

  • théo

    @Eita
    Procure um dicionário.
    Ache o verbete “ironia”.
    Leia-o.
    Leia de novo.
    Agora, leia meu comentário.
    Repare que eu reclamei ironicamente sobre o fato de ele me chamar de “blogueiro”.
    Navegue pelo site e perceba que nós odiamos a blogosfera.
    Reveja seus conceitos e perceba que seu comentário não adicionou nada á minha resenha além de ser completamente… vago. Mas agora você entende ironias! E também sabe que, quando você visita um site, deve conhecê-lo e, assim, conhecer seus membros para ter uma… opinião. Aula dada, turma dispensada. Ricardo Furlan, espero que ao menos você tenha entendido a… ironia. Cara, como eu me divirto com pseudo-leitor me xingando. :teehee:

busca

confira

quem?

baconfrito