Recomendo: A história de amor de Fernando e Isaura (Ariano Suassuna)

Analfabetismo Funcional terça-feira, 13 de julho de 2010

Dia desses foi transmitido, pela enésima vez, na famigerada Sessão da Tarde, o filme do Auto da Compadecida – resultado do enxugamento da mini-série dirigida por Guel Arraes. Lembrei que ainda não havia recomendado nenhum livro do mestre paraibano, Ariano Suassuna. Poderia, muito bem, compensar tal falta com o fabuloso O Auto da Compadecida, mas como não gosto de ser óbvio e prefiro indicar livros que não sejam tão famosinhos, achei por bem escolher Fernando e Isaura.

A história de amor de Fernando e Isaura, de Ariano Suassuna, é baseado na lenda mitológica, Tristão e Isolda, que serviu de inspiração para Romeu e Julieta de Shakespeare. Contudo, embora seja baseado em outro livro, é bastante peculiar e singular, o que se explica por ser adaptado à realidade nordestina. Na verdade, a grande semelhança com Tristão e Isolda é o fato de envolver um complicado triângulo amoroso propiciado por um casamento arranjado às cegas. Fora isso, a mente privilegiada de Ariano é o que dá o tom tão característico de suas criações.

A história se passa num encantador cenário em Alagoas, onde o Rio São Francisco de encontra com o mar. Lá vive Fernando, criado como se filho fosse pelo tio Marcos. Em meio à trama, Fernando sobe o rio, rumo ao interior, para casar em nome do tio, por procuração, com a bela e jovem Isaura. O pormenor relevante é que eles já haviam se conhecido – e se apaixonado – em outro episódio. Aí, já viu, né? É rolo, chifre, chororô e tudo que todo romancezinho tem direito. Bem Romeu e Julieta, bem Shakespeare. Mas, como disse, não deixa de ter o toque sertanejo que dá um tempero de emoção, sensualidade, humor e tragédia à obra.

Ariano Suassuna é paraibano radicado no Recife. Formou-se em Direito pela Faculdade de Direito do Recife (Algumas décadas antes de mim, é verdade) e lá, junto do Hermilo Borba Filho, fundou o Teatro do Estudante de Pernambuco (TEP), o que o levou a começar a escrever peças, dentre elas o famoso Auto da Compadecida, consagrado internacionalmente. Posteriomente escreveu romances, destacando-se o O Romance d’A Pedra do Reino e o Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta. Foi co-fundador do Movimento Armorial e é membro da Academia Brasileira de Letras (ABL).

A história de amor de Fernando e Isaura (Ariano Suassuna)


Ano de Edição: 2006
Autor: Ariano Suassuna
Número de Páginas: 174
Editora: José Olympio

Leia mais em: , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Opa, livro da minha terra. Li faz uns anos e gostei. Ariano tem o dom de transformar a região nordestina num mundo sem limites.

  • raimundo didi

    você deveria rever o que escreveu pois a obra Tristão e Isolda não é de Shakespeare (Shakespeare escreveu Romeu e Julieta) e A história do amor de Fernando e Isaura não é um romancezinho como você diz.

  • @raimundo didi
    É verdade, fiz uma confusão, Romeu e Julieta foi inspirado em Tristão e Isolda. Texto corrigido.
    Quando ao “romancezinho”, você interpreta como quiser.

  • raimundo didi

    quando você se propor a dar opinião sobre algo deve ser claro no que está dizendo e não deixa a interpretação a cargo de quem ler, isso gera ambiguidade. ok?
    não e´bom para võcê.

busca

confira

quem?

baconfrito