Qual o destino do suspense na telona?

Primeira Fila sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Se há um gênero cinematográfico que sempre invisto meus trocadinhos em ingressos é o suspense, de preferência psicológico, tenso, mas de vez em quando, um sangue jorrando na telona em altos acordes não faz mal a ninguém. De contraponto, as comédias (principalmente, as americanas) me cansaram há muito, mas muito tempo, com suas piadas escatológias (com raras exceções!), humor grosseiro, apelando para constragimentos desnecessários e humilhando seus personagens em detrimento de uma “boa” piada.

No entanto, ultimamente, poucos filmes do gênero me animam, muito pelo contrário; em tempos de continuações, refilmagens e pouca criatividade, falta tensão e inteligência nas tramas e sobra mesmice e tédio. Exemplos de filmes “ditos” suspenses recentes foram: Awake – A Vida por um Fio, me nego a tecer comentários desta trama absurdamente ridícula com um protagonista idem; O Olho Do Mal, sem sequer conseguir imitar o clima do filme chinês original; Imagens do Além, se você não tiver assistido ao original tailandês, até pode render algum susto, mas os de sempre, menina chinesa cabeluda assombrando pessoas atrás de vingança; Uma Chamada Perdida, outra cópia mal realizada de filme chinês; Sem Vestígios, uma reunião de todos os clichês de filmes policiais com serial killer; entre outros.

Claro que não se perde tudo, alguns bons filmes me assusturam ou mexeram com meus nervos em tramas bem construídas com personagens excelentes, os famosos thrillers (Medo da Verdade, Conduta de Risco, O Orfanato e Joshua – O Filho do Mal) ou onde imperava a adrenalina e tensão alucinante (Cloverfield – Monstro e Rec – coincidentemente, ambos falsos documentários. Sim, aqueles filmes com câmeras balançando pra tudo que é lado, se você não curte… sorry).

Ótimo suspense sobrenatural

Mas o que mais me chamou a atenção nestes últimos dias, motivo da pergunta do título, é que a maioria dos filmes do gênero que estão sendo produzidos, neste momento, são refilmagens de filmes famosos e mesmo cult do gênero. Não consigo entender o porquê de mexer nestes “clássicos” (claro, que eu sei, é dinheiro!).

Entre os próximos títulos, novas rodadas de Jogos Mortais 5 e Halloween (já lançado no ano passado nos EUA, na verdade uma releitura, já que conta, novamente, o surgimento de Michael Myers, sempre perseguindo sua irmã mais nova), e refilmagens de títulos oitentistas como Poltergeist (aquele da menina engolida pela tevê), Piranhas (sim, você não leu errado), Sexta-feira 13 – parte 11 (Jason está de volta) e Brinquedo Assassino 6.

“Venha para Luz, Caroline!

Leia mais em:

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Kalluf

    O Orfanato é MUITO bom, pelo menos eu achei. Cloverfield é legalzinho, mas é muito curto pow.

  • Lucas

    Orfanato foi um dos melhores filmes q eu vi nos ultimos tempos.

    Mas não concordei com REC ter dado tensão e tensão alucinante. Alias, achei aquele filme bem chatinho.Começa prometendo mto, mas vai tentando t pegar com um Resident Evil (Jogo não projeto d filme) sem armas e descamba prum sei la o q com criança do capeta. Sei la, ou eu esperei demais daquele filme ou ele num eh grande coisa msm, mas tdo mundo discorda d mim =/

    Cloverfield foi a msm coisa…mas ele me deixou ligado durante um bom tempo, ateh q apareceu um monstrinho dizendo: BAWA BAWA…gargalhei tanto q parei d levar o filme a sério

    Agora Poltergeist, Halloween, Sexta feira 13, Chucky…affffffffff…perderam a hora d parar

  • Poltergeist é o melhor filme de “terror” do mundo.
    Quando pequeno eu conseguia imitar a voz aterrorizante que gritava “Caroliiiiine”.

    Muito foda.

  • @nhock
    Hoje em dia cê só consegue dizer “Céééérebros”?

  • Fiquei agarrado no escatologia hehehe

    Você fez eu ir no dicionário:
    1 V copro­logia. 2 Literatura obscena. 3 Interesse pelas coisas sórdidas ou obscenas.

busca

confira

quem?

baconfrito