Paquita é a mãe

Nerd-O-Matic quinta-feira, 16 de abril de 2009

Comentário relevante da Semana

Orra, “paquita” foi foda hein, Bel? Aproveite seu momento de glória, sua fanfarrona.

Mas tudo bem, aceito as zoações com placidez. A vida se resume a zoar e ser zoado. Meus objetivos são muito mais nobres do que essas zoações rasteiras; para o bem da nação gamística vamos continuar explorando o conceito de “noob”, tão caro à nossa comunidade.

Em primeiro lugar, vamos lembrar das raízes da palavra: a palavra “noob” é um neologismo e contração da palavra original “newbie”, algo que pode ser traduzido como “novato” ou “iniciante”. Lembro que há muitos anos atrás, quando eu jogava a primeira versão online de America’s Army, a palavra pipocava na tela com uma frequência estonteante, em muitos casos dirigida especificamente à minha pessoa. Eu não entendia exatamente por que meus companheiros de tropa usavam a palavra com tanta raiva já que, OBVIAMENTE eu era um “novato”. Era como dizer “porra, você bebe demais, Atillah”. Não levo como ofensa.

Aos poucos entendi que a palavra se aplicava especificamente aos novatos que faziam CAGADAS no jogo, como roubar frag, jogar granadas em um companheiro ou ficar embaixo de uma moita esperando um incauto inimigo passar pra rebentar os miolos do coitado pelas costas. O último tipo de newbie acabava ganhando mais uma denominaçao: CAMPER, que é bastante utilizada até os dias atuais. Mas não vamos falar de campers hoje.

 Caralho, saiu até pro 360

Aos poucos fui galgando posições em America’s Army, já que nenhum jogo é TÃO complicado a ponto de você passar mais do que uma ou duas semanas cometendo cagadas. Qual não foi minha surpresa ao perceber que eu, assim que me tornei um pouco mais proficiente no jogo, comecei a gritar em caps lock “NEWBIE!” para outros novatos que cometiam as mesmas cagadas feitas por mim há meros dias atrás. E, porra, altamente gostoso chamar outros novatos de newbie, hein? Mais algum tempo se passa e largo America’s Army, já que acabei percebendo que todos os jogadores, inclusive os veteranos, eram altamente newbies, pois NINGUÉM em America’s Army sabe jogar como uma equipe, como um pelotão real de soldados. Isso me enchia o saco, pois se era pra jogar “cada um por si” então eu preferia jogar Doom 2.

Um tempo depois fui jogar Gunbound, que era até mais difícil do que America’s Army em termos de habilidades a serem aprendidas. Porra, acho que levei um mês pra aprender a jogar direito como Boomer. Foda. Boomers eram odiados em Gunbound, devido à precisão e alto nível de dano de seus ataques. Várias salas de jogo proibiam Boomers, inclusive. Existia uma certa sensação de poder ligada ao fato de você saber usar Boomer, você era PERIGOSO, seus companheiros de equipe te respeitavam. Era exatamente o prestígio que os jogadores de Bigfoot não tinham, pois este era considerado um veículo de… noob.

 Você tinha que ESTUDAR pra jogar com o Boomer
 SÉRIO

Eu comecei jogando com Bigfoot, pois o próprio jogo o indica como um veículo para iniciantes, devido à sua facilidade de uso. Então, muito cedo me deparei com a nova versão de “newbie” que era agora garbosamente chamado de “noob”. De newbie me tornei noob. Puta avanço. Pelo menos é mais fácil de escrever.

Não que existisse algum problema em ser chamado de noob, já que, de novo, eu era um novato no jogo mesmo. Mas fiquei pensando que esse negócio de noob é uma coisa da qual você simplesmente não consegue escapar nunca, supondo que você goste de conhecer jogos diferentes. Eu acabava de sair de America’s Army, onde eu já tinha algum respeito entre os demais jogadores, para novamente me tornar um noob desconhecido, entre os “fodões” de Gunbound.

E, sabem, acho que é por isso que conheço tanto jogador por aí que fica ANOS jogando o mesmo jogo. O cara vira o jogo do avesso, conhece todos os glitches e exploits possíveis, não tem mais como subir no rank e tals, mas continua jogando SÓ AQUELE JOGO. Pra mim isso era coisa de obsessivo doente, e eu olhava com um misto de curiosidade e respeito esse tipo de jogador, o expert em um jogo só. Inclusive, esses caras são muitas vezes erroneamente confundidos com o “hardcore gamer” (confesso que pra mim o conceito ainda não está claro também. Aguardem mais dessas discussões por aqui), o que acho que não é o caso. O expert em um jogo só não é necessariamente um hardcore gamer. Ele é um CAGÃO.

 Cagão-core

Por que um cagão? Porque eu acho que esse cara na verdade TEM MEDO de conhecer jogos novos, e voltar à condição inicial de noob. É foda você largar um jogo no qual você já é FODÃO pra se tornar um NOOB em um jogo diferente. É como ser rebaixado automaticamente. Então, ao invés de me arriscar num jogo no qual eu posso não ser muito bom, prefiro ficar aqui nesse que eu já conheço e me dou bem.

O problema é que esse status de fodão não quer dizer porra nenhuma (a não ser que você seja um jogador profissional que ganha a vida com um jogo). Que se foda ser chamado de noob. Nesse sentido, você pode até SE ORGULHAR de ser chamado de noob, já que você é um cara que tem culhão de se enfiar em tudo que é jogo que parece interessante, experimentando vários novos tipos de controle, jogabilidade e diversão. Quem é mais noob: o cara que só sabe jogar um jogo ou o cara que conhece um porrilhão de jogos diferentes? Quem tem mais bagagem gamística? Quem tem mais experiência?

 Toca aqui paquita (heh)

Tem gente que se especializa em ser noob. Noob hardcore. A discussão continua na próxima semana.

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito