Overdose Sci-Fi: Jogos que piram o cabeção Pt. 2

Nerd-O-Matic quinta-feira, 22 de maio de 2008

Então, eu pesquisei bastante mas infelizmente parece que não existem mesmo jogos onde você possa manejar uma sonda anal e penetrar terrestres incautos para fins de pesquisa científica. Isso seria emocionante como um jogo do Wii ou do Nintendo DS; seria como um Trauma Center:

 Eu não acredito que achei isso na internet. Cês são tudo doente.

Mas não, os desenvolvedores ainda não chegaram a esse nível de criatividade e ficção científica. Então, continuando a coluna da semana passada, fiquem com os outros jogos sci-fi que me emocionaram ao longo da minha carreira de gamer.

Out of this World (1991)

Embora esse jogo tenha surgido no Amiga, foi no Super NES que eu fui conhecê-lo. Era totalmente diferente de qualquer merda que a gente já tinha visto antes num vídeo-game e o título do jogo (“Fora deste Mundo” ou “Em Outro Mundo”) é um dos mais adequados possíveis; nunca antes desse jogo eu tinha sentido tanta estranheza e inadequação nos personagens. Aquele mundo poligonal (uma estética á qual não estávamos acostumado devido ao amplo domínio dos sprites) passava uma sensação REAL de hostilidade, com cada nova tela trazendo um novo evento de impacto e idéias originais.

Dramática fase final, onde você tinha que se ARRASTAR feito aquelas lesmas do começo do jogo:

Deus Ex (2000)

Além de Deus Ex ser extremamente sci-fi ele ainda por cima é CYBERPUNK, mano. VSF, por que todos os jogos não são assim? Foi um dos primeiros (e únicos) jogos em primeira pessoa a permitir total controle sobre o personagem, e uma curva de desenvolvimento altamente personalizável. Mas a maior diversão de Deus Ex mesmo era a possibilidade de abordar cada obstáculo e desafio do jogo de várias formas diferentes, dependendo dos recursos á sua disposição. Só fui sentir essa mesma liberdade anos depois, com Splinter Cell, que não era em primeira pessoa e também não era cyberpunk… oh, well.

Saca como era o jogo funcionando:

Dune II: The Building of a Dynasty (1992)

Puta merda, mil novecentos e fucking noventa e dois. Dezesseis anos atrás e eu já tava jogando isso. Vários de vocês não estavam nem no saco dos seus pais ainda, hein? Envelheço na cidade. Mas enfim, taí um jogo que estabeleceu parâmetros para vários RTS que vieram depois. Mas para mim o mais quente mesmo era que eu já tinha lido quase toda a série “Duna” nessa época, e isso emprestava um sabor especial ao jogo. Era o complemento gamístico perfeito á uma das melhores séries de ficção-científica que eu já li, e o jogo não ficou devendo.

A apresentação de Dune II:

Starcraft (1998)

Não precisa ficar ajoelhado, pode sentar na cadeira de novo. O filho mais brilhante e pródigo da Blizzard, Starcraft atingiu o status de ícone e lenda gamística. Até hoje deve ser simplesmente o RTS mais balanceado que existe. Eu provavelmente venderei a alma da minha mãe pra comprar um computador novo quando sair Starcraft 2, e vocês deviam fazer o mesmo. Foi um dos primeiros jogos que levaram os alienígenas á sério, transformando-os numa opção de altíssima jogabilidade e diversão. Os Zergs possuem uma baita personalidade no jogo, e é impossível não desenvolver uma simpatia pela lógica de colméia deles. Jogaço, jogaço.

Os vídeos da Blizzard sempre chegavam quebrando tudo:

Xenogears (1998) & Xenosaga (2002)

São jogos diferentes, ok, concordo com vocês. Mas são unidos pela escala épica, envolvendo anime, raças alienígenas e mechs. Xenogears e Xenosaga têm uma puta vibe Evangelion, aliás, não sei se vocês sentiram a mesma coisa quando jogaram. Eu gosto do fato do conceito ter sido expandido em Xenosaga, levando a humanidade para outros planetas e aquele lance todo. Esses jogos passaram batidaços de uma forma geral, e acho que merecem ser reavaliados por qualquer gamer que se preze e curta uma boa história de fundir neurônios.

Evangelion na veia:

Parasite Eve I (1998) & II (2000)

Impressionante como a Square aparece nessa lista. Eu devo ser muito Square fanboy mesmo. Mas é impossível não reconhecer a criatividade de Parasite Eve em postular um cenário apocalíptico onde as nossas próprias mitocôndrias se voltam contra nós. O conceito que permeia o jogo é espetacular, digno de super-produção sci-fi, e com alguns dos chefes e inimigos mais bizarros que eu já vi. Top de linha. Parasite Eve 2 foi subestimado.

Curte aí um remix com cenas do jogo:

X-Com (1993)

Isso é o mais perto de alienígenas com sondas anais que eu achei, espero que esteja bom pra vocês. O tom moderadamente cômico da série nunca tirou seu mérito como uma das melhores séries de estratégia em turnos que eu já joguei. Com a emoção adicional de caçar alienígenas verdes, o que é totalmente emocionante pra qualquer moleque gamer. Parece ser um estilo de jogo que acabou, o que eu acho uma pena. Mas vamos deixar a nostalgia de lado, e que venha o novo.

Abertura de um dos últimos jogos da série:

É isso motherfuckers. Se ainda não jogaram alguma coisa dessa lista, corram atrás, cês não sabem o que tão perdendo.

 Uma homenagem ao Fabião

Leia mais em: , , , , , , , , , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Friederichs

    Cara, Parasite Eve é DEMAIS!!
    Mas cara, um jogo de Sic-Fi é METROID!
    Porra, o do SNes era espetacular!!!

  • joao

    ololco,eu ja virei Deus EX e Deus EX:Invisible War! e MUUUUITO FODA!

  • Cecilio

    Ah! Mas tem um, ou dois jogos com a famigerada Sonda Anal.
    Destroy All Humans I e II para PS2.
    Dá pra ver como a odienta máquina funciona nos patéticos humanos.

  • Leef

    Xenogears da um pau lascado em FF7, lascado e bem fundo. Grafh é muito mais vilão que sepiroth =P e o enrredo num é aquela porcaria de “vamos salvar o mundo das caries”…pena que a square cortou a verba de xenogears pra terminar o carro chefe (ff7) o que fez o segundo cd ficar praticamente como um conto e não um jogo.

  • atillah

    @ Frederix

    Cara, eu fiquei na fissura pra citar a série Metroid, mas eu só falo de jogos que eu REALMENTE joguei, e eu não joguei o Metroid do Super Nes.

    @ Cecílio

    Mesmo caso com Destroy All Humans: nunca joguei então não quis citar. Mas valeu pela indicação cara. Vou até ver se tem vídeos dessa merda.

  • Olaf

    Cara, não sei pq o meu IE nem meu Firefox estavam abrindo o AOE…

    Caralho! Out of this World ta ali! aquele jogo é muito foda cara… eu zerei ele e vale a pena…
    e Atillah você nunca jogou Super Metroid?? Caralho cara, deixa se endereço que eu vou te mandar meu SNES e meu Super Metrois emprestados…
    Mas sem zuar, pega no emulador pra jogar véi, é MUITO bom!

  • Irsuin

    Cara, que rememoração! Bendito o dia em que escreveram o roteiro de Xenogears que somente encontra páreo nos de Chrono Cross e de Planescape:Torment.
    Devo admitir uma coisa: passei muito perto de evacuar nas calças de tanto rir da história do jogo de proctologista… nunca quero ver isso!!!

  • Frisnokokos

    Existe sim um jogo que maneje uma sonda anal, bem pouco, é destroy all humans 2.

busca

confira

quem?

baconfrito