Os Julgamentos de Loki (Panini Comics)

HQs quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Hoje em dia, todo mundo conhece o Loki por causa dos filmes da Marvel, tendo talvez uma imagem errada deste personagem. Ele nem sempre foi esse cara cheio de ódio no coração que se vê neste universo que os filmes mostram (O Thor dos quadrinhos JAMAIS deixaria de ser cowboy por ela), Loki sempre foi um brincalhão, mas tem seus motivos pra ter se tornado um vilão (Ou não) e é isso que a história Os Julgamentos de Loki nos mostra.

A história começa com Loki em um vale aqui na Terra, onde está se escondendo dos asgardianos, até que, em um belo dia de fracasso (Me identifico com ele), os lobos de Odin o encontram, e na mesma noite Loki recebe a visita de Thor, que conta como todos estavam preocupados com o desaparecimento dele. Então, Loki começa a explicar que não faz sentido ele ficar em Asgard, pois entende que não pertence àquele reino, e assim começam os flashbacks de algumas histórias de Loki, mas agora de um ponto de vista diferente: São as histórias da perspectiva de Loki.

Esta HQ (Que é muito linda, a arte dela é muito foda, volto à isso depois) fala de alguns fatos da mitologia nórdica conhecidos, como o surgimento do Mjölnir e de como Loki foi o grande responsável pela arma mais letal dos 9 reinos, e por trazer o Rägnarok para Asgard… Esse tipo de coisa simples, sabe. Afinal, quem nunca causou o início do fim de uma raça, né? Como falado anteriormente, esta HQ mostra o “outro lado da história”, o lado do dito vilão, e como Loki teve seu coração tomado por ódio e inveja (Tadinho). Loki, por não ser filho de Odin, sempre se sentiu rejeitado pelo pai e tudo que fez (Até certo ponto) foi para ter a atenção e admiração do pai, como qualquer filho normal faria. Mas, digamos que ele tenha “passado dos limites”, talvez. Outro ponto interessante da história é a pergunta que esta história lança: “Loki se tornou este ser cheio de ódio e destruidor por escolha ou era seu destino?” Que inclusive te faz pensar muito durante a leitura, e até mesmo se colocar no lugar dele, criando um certo vínculo afetivo com o personagem, pois em algumas horas você sente vontade de abraçar ele e dizer que vai ficar tudo bem, outras você sente vontade de dar um belo chute na boca do Loki.

O desfecho da história é bem interessante, o que torna a leitura leve, nada que canse muito ou seja difícil de entender, pois todos os assuntos que são tratados nesta minissérie são explicados na própria HQ, ao decorrer da história. Na parte estética, ela dá um show a parte com uma arte incrível (Que foi o que mais me chamou a atenção) que te faz entender perfeitamente os sentimentos dos personagens, e apenas de olhar para a imagem você já entende o que vai acontecer. Então, resumindo, vale a pena ler esta HQ, pois não vai ser tempo perdido, talvez você até se interesse mais por este universo da mitologia nórdica, fazendo você talvez ir pesquisar mais sobre os assuntos tratados na história. Eu já tenho minha opinião formada, não confio em um cara que se transforma em uma égua para “fazer amor” com o cavalo mágico que traz os materiais para a construção dos muros de Asgard, apenas para que a obra do muro atrase.

Os Julgamentos de Loki


The Judgment of Loki
Lançamento: 2014
Arte: Sebastiàn Fiumara
Roteiro: Roberto Aguirre-Sacasa
Número de Páginas: 111
Editora: Panini Comics

Leia mais em: , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • ~GoodWood

    Se a obra do muro fosse terminada no prazo e o Gigante ficasse com Freya, Loki se foderia muito, não sei se Svadilfari faria/fez um estrago tão grande quanto uma tortura proposta por Deuses ‘-‘

busca

confira

quem?

baconfrito