Namorando um gamer…

Games terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Antes de mais nada, as clássicas apresentações: Sandrine, revisora do Naftalina e do Ressonância, vim aqui pra brincar de vestir a Barbie de explorar o mundo gamer com a Manu. Quer dizer, isso se vocês não me odiarem muito.

Ok, mentira, eu não ligo pra opinião de vocês.

Quando o Atillah convidou pra escrever, eu pensei “Pombas, vou falar sobre o quê? Eu jogo tanto quanto a Manu!”. Porém, conversando com meu redator favorito, surgiu o tema dessa coluna: relacionamento com um gamer, COMOFAS/

Mulheres reclamam que são trocadas pelo Kratos, enquanto homens tão cansados do interminável mimimi feminino quando precisam de concentração pra dar uma coça no Ares. Acredite, é uma situação sacal pra ambos. Não digo isso por experiência própria, já que eu não me lembro de alguma vez ter enchido o saco por conta disso, mas tenho amigas e amigos que sofrem ou já sofreram com essa situação. Numa pesquisada rápida na Internets encontrei uma quantidade razoável de mulheres que se dizem preteridas por seus respectivos, que preferem ficar jogando a sair com elas. Sugestões pra resolver o problema também não faltam, mas a campeã é “aiii, amiiiiiga, bota um chifre nele pra ele ver o que é bommm!!11! rssss”. Só eu acho isso extremamente idiota?

Vai ver é coisa minha, mas eu consigo achar graça até de ficar olhando alguém jogando. Na pior das hipóteses, vou fazer outra coisa da vida, mas ficar na volta feito uma gralha descontrolada e desesperada por atenção não parece fazer muito sentido, além de ser humilhante.

 BITCH. STOP. BITCHIN’.

Mas peraí, concordo que tem muito cara que abusa da nossa boa vontade. Se a guria já não gosta de futebol de verdade, pra que ficar insistindo pra ela aprender e amar Winning Eleven? É o mesmo que ela te pedir pra começar a assistir novela ou *insira uma atividade predominantemente feminina muito muito muito insuportável*.

Fato é que muitas gurias não têm a paciência ou a coordenação (oooi!) pra ficar apertando botões em sequência, enquanto rezam pra ter feito tudo certo, o que torna a experiência de jogar solitariamente bastante frustrante. Então, ao invés de ficar tentando convencer a sua gordinha que esmurrar um colosso é épico, eu aconselho a incluir ela na brincadeira.

Quando um ex-namorado resolveu adquirir o videogame próprio, confesso que tive um certo receio de ser deixada de lado. Mas antes que eu pudesse pensar em reclamar, ele apareceu com Marvel Ultimate Alliance, e eu agradeço aos céus por isso. Ok, eu nunca cheguei a ter contato com os quadrinhos e tudo que conheço do universo Marvel se resume aos desenhos animados, mas isso não impediu que o modo cooperativo trouxesse horas e horas de diversão em dupla, além de ter me despertado o amor pelo Deadpool.

 E quem joga com o Capitão América é um APELÃO DE MERDA.

Depois disso, começamos a jogar Justice League Heroes, e quando me dei conta já tava com sangue no olho, esbravejando com o jogo. MALDITOS CIVIS! Daí pra ser apresentada a Okami e Kingdom Hearts foi um pulo. Tudo bem, podem dizer que são jogos pra mulherzinha, mas o namoro acabou antes que eu pudesse terminá-los, e eu culpo isso pela brusca pausa no meu desenvolvimento gamístico. Se alguém tiver um PS2 sem uso, que não vá fazer falta, aceito doações.

Vejam bem, longe de mim querer ensinar qualquer um de vocês a ter um relacionamento saudável sem abrir mão dos games, ou mesmo insistir que a mulherada se obrigue a entrar nesse mundo, mas por que não dar uma chance? Garanto que chutar a bunda do Galactus é muito mais gratificante que ficar na volta reclamando que o teu namorado não pensa em mais nada. E pros guris, vai que ela se inspira, aprende um pouquinho, e surge com a pérola “TÁ NA HORA DO PAU!”? I rest my case.

(Nota do Editor: Como vocês podem ver, descolei MAIS UMA gordinha pra escrever nessa bagaça. QUEM É O MESTRE? – Atillah)

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • ORGULHO de dividir esse bando de tangas com tia Sandrine. =D

  • bel

    AI QUE LINDO, duas noobs aqui.

    sandrine, ficou bem massa o texto. me lembra um amigo meu, a gente zerou o primeiro god of war juntos e depois ele foi jogar far cry no PC. originalmente, era pra zerarmos juntos, mas toda vez que eu pegava aquela coisa pra jogar, me dava tontura, ânsia, náuseas e caía a pressaõ. muitas cores pros meus olhos, enfim, eu ficava só de longe olhando. e ele gostava porque eu assistia “ativamente” de falar “larga de ser burro, a saída é pro outro lado” e de realmente ajudar no jogo. literalmente, “jogar junto”. minha irmã sempre jogava RE4 comigo, pq ela gostava mais tinha medo. daí ficava lá, me ajudando a desvendar puzzles e nos caminhos e “TEM UM MONSTRO ATRÁS D’ÔCE” e afins.

    enfim, não é só porque vc não tem coordenação (oooi!) que vai se privar de jogar.

    só se tiver que fazer drift >:/

  • junnin

    Juno, você escolheu a Sandy porque ela PLANTA NO CU DOS OUTROS, adimita.

    Belo texto, Sandy (heh)

  • Entravix

    Opa, Juno arrumou mais uma gordinha pra gente? Daqui a pouco o AG vai roubar o público todo do AOE.
    Isso ai meninas, vocês também podem se divertir com namorados/amigos gamers.

  • dervecna

    Agora falta a Bel. Quero VER as experiências dela com… joysticks. ;)

    OK, indo ao que interessa…
    O que me deixa mais fudido, são ex-namorados que deixam a guria traumatizada… O ex da minha namorada devia ser um babaca. Ela tem trauma de PS2 e God of War. Mas isso acaba refletindo em jogos em geral.
    Chegou ao ponto de brigar comigo porque eu demorei 5 minutinhos pra ligar pra ela, pois estava terminando de ver um dos intermináveis vídeos de Kingdom Hearts 2, antes de ligar para ela…
    I mean, nunca deixei de sair com ela pra jogar, ou coisa do tipo. Foram 5 minutinhos apenas. O.O E nem era para sair, era pra ligar na casa dela e dar boa-noite! O.O

  • DukeGod

    mais uma?Atillah eu me curvaria para voce se fosse viado!
    parabéns voce conseguiu me fazer quebrar minha promessa de não comentar nessa joça(abesar deu ja ter gasto 16 horas da minha vida nisso.ou algo assim reveja la aquele Nerd-O-Matic de numero 76 e descubra voce mesmo)

    bel,manu come on drift não é tão dificil,leva soh ums segundos para voce aprender e uma vida inteira para aperfeiçoar

  • Andre

    hmm acho que eu tenho um ps2 desbloqueado com defeito no rio de janeiro. nao se preocupa que deve ser so o leitor que quebrou e leitor nao e caro.
    nao tenho certeza se meu irmao ja vendeu o play 2 mas se estiver interessada…

    nunca recebi reclamacao mas mimimi de mulher e um saco.

  • Vane

    Esse texto me lembra logo que eu comecei a jogar pra valer. Não videogame, porque nunca tive essas coisas muito modernas (só meu Atari), mas jogos de RPG no PC. Meu ex-namorado me mostrou o jogo só pra passar o tempo até a hora da janta e eu não consegui mais largar da minha sorceress no Diablo II. xD
    Era tipo, do cara me chamar pra “dormir” e eu, da cadeira do PC e sem virar pra trás, responder: PRIMEIRO MEU NÍVEL! E aí já era tarde demais.

  • sandrine

    @Andre
    Opa, de graça? Se for presente, tou aceitando, hein.

    @Vane
    UHAEUHAEHUEUHAEUEA!

  • Rapousa

    Eu acho que eu e o meu namorado achamos um bom balanceamento quanto a isso, eu sou do tipo que se ele calha de querer jogar, ou assisto ou vou mexer no pc. Anyway, ele fez exatamente isso, que foi tentar me “apresentar” ao mundo dos jogos.

    Acho que começou com um “Cara, eu acho que você vai gostar desse jogo aqui: e sobre um guerreiro boladão que luta com duas espadonas a mando dos deuses gregos.”

    Eu olhei meio desconfiada para o jogo, mas meu namorado aparentemente me conhece bem demais… Eu AMEI o jogo? Oha, viciei legal no Kratos =P

    E daí que a parada desandou e eu virei o cara da relação. Não conseguia largar mais o PS2 dele e ele ficava atrás de mim querendo atenção, tipo, tentando me fazer largar o controle e eu tipo:

    “Aaaaaaarrrrh! Porra, esses malditos! Merda! VOU MATAR VOCÊEEES SEUS FDP! [] [] ?”

    Eu sou do tipo que não joga muito, mas se viciar em um jogo não largo por nada no mundo, nem pelo namorado. Detalhe: eu ia na casa dele só para jogar =P

  • “aiii, amiiiiiga, bota um chifre nele pra ele ver o que é bommm!!11! rssss” < - Ausência de cérebro detected. @bel " enfim, não é só porque vc não tem coordenação (oooi!) que vai se privar de jogar. só se tiver que fazer drift >:/
    ” <- Te contar. Eu tenho um lance ae q minha coordenação não é a oitava maravilha do mundo não(Acredite, é MUITO IRRITANTE você não conseguir fazer um movimento em um jogo por problemas assim), nem por isso eu deixo de jogar. É tudo uma questão de hábito sabe. Como é questão de hábito ir dando toques no freio de mão até o carro pegar o ângulo, virar & acelerar na dose certa. Enfim, boa sorte com o drift pra vocês três ae(Manu, bel, sandrine).

busca

confira

quem?

baconfrito