Músicos só sabem fazer música

New Emo quinta-feira, 17 de março de 2011

Curto muito ver figuras públicas falando merda. Sabe como é, é sempre bom mostrar que não é porque o cara é conhecido em todos os cantos que ele vai ser um gênio e falar algo pertinente sobre a integral de Riemann. Aliás, cês ficaram sabendo que a Luciana Gimenez escreveu no Twitter que tá de saco cheio do Big Brother Brasil? Isso que ela tá aturando pessoas comentando sobre um programa que está em… Sei lá qual edição, mas dura só alguns meses dentro do ano. E nós, porra? E nós que não aguentamos mais fazer aquele surfe de canais na televisão e encontrar SuperPop passando? Ela deveria ser julgada em um tribunal internacional por genocídio por causa dessa merda de programa.

Mas aqui o papo é outro, sacomé. Afinal, não é só a boneca inflável do Mick Jagger que sabe falar merda. Aparentemente, essa habilidade especial – nem tão especial assim, se você for pensar bem – também se encontra em Jon Bon Jovi.

Vejam a peteca no rrrrrrreplay:

Os jovens de hoje perderam toda a experiência de colocar os fones de ouvido, aumentar o volume, pegar a capa do disco, fechar os olhos e se perder em um álbum. [Eles perderam também] a beleza de pegar sua mesada e escolher um disco apenas pela capa sem saber como ele é. […] Pode anotar o que eu digo, a próxima geração vai parar para se perguntar o que foi que aconteceu. […] Foi uma época mágica. Odeio soar como um velho, mas eu sou. Steve Jobs é pessoalmente responsável por matar a indústria musical.

Eu nunca vi tanta merda amontoada assim, sem mais nem menos. Sério, deu orgulho de vocês agora. Se alguém tivesse comentado algo assim, provavelmente teria me demitido. Infelizmente, meu contrato vitalício impede que isso ocorra. Merda de juristas.

Deixando de lado o fato de que Steve Jobs tá praticamente puxando o cobertorzinho e mobiliando a cova, o que já faz com que culpá-lo seja uma atitude BAIXA – afinal, ele pode virar um zumbi, ninguém sabe. E vocês não querem irritar um zumbi, querem? -, o pior é culpá-lo sem fundamento algum. Bora deixar de lado a Apple, Mac, essas coisas. Tô pouco me fodendo pra isso. Afinal, ninguém matou a indústria musical: Ela se suicidou a si mesma sozinha, morrendo.

Não sei quanto a vocês, mas eu ainda compro álbuns. E eu prefiro comprar álbuns a baixar músicas da internet. Porém, não dispenso isso. O MP3 é uma ótima ferramenta de pesquisa: Se o álbum valer a pena, ele vai sair do meu bolso; se não, deleto a parada e continuo com a minha vida. Ninguém deixou de comprar álbuns por causa de MP3. Se alguém de fato parou com isso, foi por causa dos preços. A mesada do Brasil é uma coisa completamente diferente, e um disco bão custa uns cinquenta reais, NO MÍNIMO. Isso é um negócio sustentável? Ou é uma parada de sustentado?

Tenho orgulho de dizer que nunca comprei um álbum pela capa. Antigamente tudo bem, tudo era mais fácil, mas agora… Arriscar dinheiro suado por uma capa? Não, obrigado. Ainda mais quando as bandas atuais são umas bostas. Tipo Bon Jovi, que é uma merda cagada em cima da bosta, coberta de fezes. Mas ele tá certo, as gerações futuras vão olhar para nós e vão se perguntar por que caralhos não matamos essas bandas genéricas que não sabem como fazer música.

Acho injusto culpar o Jobs porque o negócio dele dá certo e ele sabe ganhar dinheiro. Que eu saiba, as bandas tão lá pela música, não pelas verdinhas. E, na real, acho que músicos ganham demais pra ficar fazendo sons. Um lixeiro rala bem mais do que eles, se vocês pensarem bem, e têm uma responsa maior. Você ficaria bem sem shows por um ano, mas e com lixo acumulando nas calçadas? Mas, hei, o que eu posso falar, não é mesmo? Afinal, no Mercado Livre tem cd dos caras sendo vendido por cento e cinquenta pilas – USADO, ainda por cima. Acho que é viável pra alguém que ganha quinhentos reais por mês gastar isso em um pedaço de plástico. Agora deem-me licença, que eu vou abrir meu uTorrent.

Leia mais em: ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Só entrei para te xingar de paunocu por ter falado mal do Bon Jovi.

    De resto, ótimo texto. =P

  • Gabriel

    pondero, as vezes (quando você tem uma grana extra), é legal sim arriscar e comprar algo sem saber o que é. mas quando a grana tá curta, foda-se, bora baixar :3

    aliás, tem muita coisa que se acha no balaio que nem um “e-garimpeiro” acha na internet. dai quero ver tu baixar umas músicas pra ver qualé. e nós sabemos que tem muita merda ai tocando, mas também tem muita coisa boa, a diferença é que sai pouco na midia e é foda achar.

    quanto ao steve jobs, sem comentários. LOL

  • Nadavê, Gabriel. É mais fácil achar coisa desconhecida e/ou antiga na internet.

    E esse K é um mentiroso, fica comprando álbum do AC/DC a sete reais, e diz que cd tá caro.

  • Nilo Leite

    Antes da internets eu ia na loja via as capas que eu considerava relevantes e pedia pra escutar. Se gostasse comprava. Ou seja: provava pela capa, comprava pela musica!
    O foda são os preços hoje em dia. Baixei um album do Moptop uma vez, pensei “bora comprar original pra prestigiar os caras”. Custei a achar e quando achei era 60 “real”. Nem fudendo. Como dito no texto: A industria fonográfica se auto-suicidou-se a si própria!

  • K

    Vish, olha esse Bolinha tomando as dores.

  • O Pizurk tem razão, é muito mais fácil achar coisas na internet do que em lojas. Ou alguém já viu alguma cosia dos Outlaws ou do Molly Hatchet em alguma loja de música?
    Você só acha essas bandas modinha, Iron Maiden e Metallica (e só os discos mais novos ou mais conhecidos).

    E CD no Brasil é caro. Nos EUA, por exemplo, você compra CDs por 5 dólares (e se pensar em custo/padrão de vida, seria algo equivalente a 5 reais, mesmo), enquanto aqui você nào paga menos de vinte por um álbum de mais de 10 anos.

  • Vinicius

    Acho que você não é músico né… vai ser ótimo quando as boas bandas (ainda desconhecidas) que estão surgindo por aí acabarem por não terem dinheiro pra pagar as contas, certo? Músicos que ganham bem são aqueles que sobreviveram ao holocausto da indústria fonográfica. Os independentes, que vendem o almoço pra pagar a hora noturna no estúdio, ou pra comprar equipamento pra gravar em casa, esses mal conseguem tirar a grana da viagem pra fazer show. Ou seja, se os shows mal se pagam, como viver disso? E se não dá pra viver disso, como se dedicar de verdade, já que você vai ter de trabalhar em outra coisa pra se sustentar? A situação está uma merda, e a maioria das histórias que se ouve por aí de bandas que estouraram “do nada” está mal contada.

busca

confira

quem?

baconfrito