Masters of Sex: Minha nova série favorita

Televisão sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Comecei a assistir Masters of Sex por motivos de: Não tinha nada melhor pra fazer. Em um calor de 40°, no Rio de Janeiro, sairia do meu ar condicionado e do meu sofá pra fazer o que? Desenvolvi, aliás, nesse verão, uma relação muito íntima com o Net Now, que me fornece todo o entretenimento que eu preciso por zero reais, pois raramente vale a pena pagar para ver algo. O melhor conteúdo é gratuito, o que não é muito inteligente da parte deles. Enfim, foi numa dessas manhãs bem calorentas que aluguei gratuitamente a série protagonizada por Michael Sheen e Lizzy Caplan.

Já tinha ouvido falar, muito bem, aliás, do seriado. Mas fiquei reticente porque conta a história real dos pesquisadores William Masters e Virginia Johnson, que investiram grande parte das carreiras na busca de respostas para os dilemas sexuais. Sei como viveram, como morreram, os projetos que realizaram juntos. O plot é baseado na biografia do casal, ou seja, por si só um spoiler impossivel de evitar. E realmente isso me atrapalhou na conexão com os personagens. Masters enfrentava sérios problemas conjugais e eu não poderia me importar menos, pois conhecia o destino que seu casamento teria. O mesmo aconteceu com a provável demissão de Virginia logo nos primeiros capítulos. O nome da equipe de pesquisa é Masters e Johnson. Não precisa ser nenhum Sherlock Holmes pra fazer a ligação. Mas o charme não está no que foi feito e, sim, em como foi feito.

Will Masters foi um grande ginecologista e obstetra. Suas primeiras pesquisas foram relacionadas a infertilidade. Mas, em certo ponto, ele sentiu necessidade de compreender o funcionamento do sexo, fisiologicamente. Como o corpo e mente respondiam aos estímulos. Então, os 12 episódios da primeira temporada mostram os artefatos que ele utilizava para fazer os testes, casais fazendo sexo com eletrodos grudados na cabeça e a transferência temporária de sua pesquisa para um bordel, porque hospital é ambiente de família. Quando pensamos em ciência, sempre relacionamos a fama e dinheiro. Vocês, eu sou bióloga e relaciono a passar fome mesmo. Mas muitas vezes a resposta está mais na convicção que você tem no que faz do que os benefício$ que pode vir a adquirir depois.

Os personagens principais são cativantes, cada um do seu jeito. Virginia Johnson transborda vivacidade. É divorciada, mãe de um filho nerd fofinho que ama quadrinhos e mais dedicada ao trabalho do que ao lar, fato que escandaliza todo mundo. Não tem frescuras sexuais e conquistou um médico, com quem queria ter apenas uma amizade colorida, fazendo sexo oral. Lizzy Caplan está linda e arrasando com as invejosas no papel. Já Will Masters é um homem completamente retraído. Ele e a esposa dormem em camas separadas, as transas são constrangedoras e o cara ainda é filho da puta, pois guarda um segredo que a corrói inteirinha por dentro. Seu orgulho é do tamanho da sua ignorância. Não me surpreende a obsessão dele pelo assunto, já que é um completo noob na cama. A cena em que uma prostituta confessa que finge orgasmos é sensacional, pois ele é tão preto no branco que não consegue conceber tal fato. As descobertas pessoais caminham junto com o que ele observa em seu projeto. Michael Sheen faz William crescer a cada avanço. Não como profissional, mas como ser humano. A empatia surge conforme ele vai perdendo o ar mecânico, tipico de sua timidez. Quando ele, finalmente, se deixa aflorar – ainda que aos poucos – é ai que nos apaixonamos e torcemos. Até lá, a vontade é defenestrá-lo deixar a Virginia divando sozinha.

Melhor cena ever… Para quem não curte peitinhos.

Masters of Sex é um drama engraçado, ou uma comédia triste. Como preferir. Em um mesmo episódio você pode chorar de rir e, cinco minutos depois, ficar verdadeiramente emotivo. Ou eu que sou chorona mesmo e vocês vão cagar baldes. Mas o fato é que é uma serie que vale a pena parar pra assistir. Nem que seja pra ver alguns peitinhos, aprender alguma coisa sobre a natureza humana e, especialmente, sobre sexo. Sempre tudo acaba em sexo.

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

busca

confira

quem?

baconfrito