Jogando e ficando puto Pt. 5

Nerd-O-Matic quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Comentário relevante da semana

Na mosca Tchulanguero. Tá ficando cada vez mais difícil dar uma jogadinha rápida e malemolente. Nem os jogos de luta se salvam mais. Estou prevendo que o próximo TETRIS vai ter história também, com vídeos de tela cheia e tudo o mais.

Coisas que eu odeio nos games pt.5

Como eu anunciei na semana passada, após breve pausa retornamos agora a essa epopéia reclamadorística, onde cobriremos todos os aspectos possíveis e imagináveis que possam nos irritar nos jogos. Quando assumi essa tarefa eu não tinha idéia do tamanho da roubada, mas hei de persistir e exaurir todos os momentos e lances gamísticos que fazem meu ovo esquerdo doer e quase abandonar essa tão proveitosa atividade que é jogar vídeo-game. E vocês lerão tudo, e sentirão as mesmas dores que eu. E vocês também quase pensarão em largar o vício, mas então, deste momento crítico, nascerá o amor verdadeiro pelos jogos: quando você olha para o seu console objeto de afeto e pensa “você é uma merda, mas EU TE AMO VÍDEO-GAME”.

Porque o amor é brega, e a quem ama o feio, bonito este lhe parece. Pergunta pra sua mãe se ela te acha feio. Mas vamos ao nosso tema de hoje:

100 HORAS/100 SACO

Sabem, há muito tempo atrás, numa década distante de 80, vídeo-game era coisa de criança. Acho que foi assim até mais ou menos o fim da vida do Super Nintendo e do Saturn, lá pelo meio da década de 90. Naquela época os jogos eram majoritariamente coloridos e meio viadinhos de uma forma geral. Acho que a coisa mais violenta e adulta que existia era a calcinha da Chun-li.

Sério. Violenta. Ela era tão gostosa que chegava a doer em mim.

Já perdi o foco. Puta merda, é só ver uma calcinha que eu esqueço o que tô fazendo.

Mas enfim, creio que com o advento do Playstation no mercado brasileiro, pudemos contar com coisas um pouco mais maduras, o que já acontecia nos computadores há muito tempo com jogos como The 7th Guest.

 Crássico

E gradualmente os vídeo-games passaram a ser apreciados também pela massa mais adulta, que agora podia contar com diliçinhas como Resident Evil, Silent Hill e Mortal Kombat em toda sua glória psicótica, rubra e sem noção. Não necessariamente nesta ordem.

Pues, eis que de repente os vídeo-games deixaram de ser atividade apenas de crianças vagabundas comedoras de Trakinas com Quick de morango, e se tornaram também maneira de fazer seus tios e primos perderem tempo em frente à tela.

Aonde eu quero chegar com isso? Boa pergunta champs. Achou que eu tinha me perdido né?

 Foto: Chun-li

Do que a gente tava falando mesmo?

Ah, sim, eu falava que: desejo morte a todos os desenvolvedores que ainda não se ligaram que vários dos jogadores hoje em dia são ADULTOS, que precisam fazer outras coisas da vida como trabalhar, dormir, fazer churrasco e tomar cerveja. E, portanto, gostaria que parassem de fazer jogos com 100 horas de jogo. É claro que estou falando de Final Fantasy XII, o maldito jogo que eu NUNCA vou terminar na vida.

Quem acompanha essa coluna há alguns meses já sacou que eu pago pau pra Square e pra série Final Fantasy de uma forma geral. Mas véi, eu ODEIO o fato de lançarem um jogo da série que eu nunca vou conseguir terminar. Como pode as coisas chegarem a esse ponto? Um FÃ da série não consegue achar tempo pra terminar um jogo que adora. Isso não é só frustrante como também começa a te deixar com um pouco de raiva da empresa que você costumava apreciar.

Porque, convenhamos: FFXII é um jogo que caberia muito bem em umas… 30 horas. Assim como a maioria dos jogos de 50 horas caberiam numas… 10 horas. Sério. Pega qualquer RPG como Final Fantasy e Zelda, desconta o tempo que você fica FUCKING andando perdido de um lado pro outro, ou fazendo quests de voltar nos mesmos lugares trocentas vezes e o que sobra? Umas 2 horas de vídeozinhos, umas 4 de diálogos e uns… 37 minutos de jogo concreto.

Eu tenho mais de 70 horas de jogo em Final Fantasy XII, e quando eu tento lembrar de onde gastei essas horas, só consigo visualizar o meu grupo de personagens andando de um lado pro outro, muitas vezes indo e voltando pelos mesmos lugares pra ganhar experiência e entrar numa área um pouco mais adiante. Entra na nova área e repete tudo de novo. Soma aí mais várias dezenas de minutos gastos nos menus, pensando em estratégias para os gambits. Compra equipamento novo nos shops, testa equipamento, muda magia, etc, etc DOR NO MEU OVO ESQUERDO.

 Isso é RPG ou Xadrez?

Eu sei que isso faz parte do jogo, e que é a espinha dorsal do que define um RPG. Mas não consigo deixar de ficar meio puto por gastar HORAS repetindo ad nauseum as mesmas atividades de ficar mexendo em menus e exterminando os mesmos bichos. Aliás, existe uma expressão em inglês pra isso: level grinding; quando você gasta tempo melhorando seus personagens pra poder avançar nas barreiras invisíveis do jogo. É uma atividade redundante, porque o jogo deveria ser ajustado para que você fluísse através dele, sem precisar parar em certos segmentos só pra ficar mais “poderoso”. É perda de tempo, é sinal de jogo mal-planejado. Ou intencionalmente programado de forma a estender artificialmente as horas de jogo.

Além do mais, me digam o que tem de TÃO errado num jogo curto? O que vocês preferem: um jogo de 100 horas das quais 70 horas são encheção de lingüiça ou um jogo de 15 horas de pura diversão? Sério cara, qualé a dificuldade em fazer as contas? Com menos encheção de lingüiça, teríamos menos tempo em desenvolvimento e conseqüente menor ocupação dos funcionários das empresas desenvolvedoras. O que redundaria inclusive em preços menores nos jogos. Acho que é do interesse de todos nós que a encheção de lingüiça seja abolida.

E olha que de lingüiça eu manjo.

Leia mais em: , , , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • Francesco

    O Oblivion tem mais de 200 horas e eu apreciei cada minuto! *.*

  • joão !

    então veio, a primeira vez q eu zerei xenogears do play 1 foram em 102 horas +-. Que caralho!
    se bem que o jogo é muito massa.
    Final Fantasy 6 eu fechei em umas 40 horas se não me engano (?)…diversão do começo ao fim, exceto pelo level grinding no fim pra bate no kefka

  • wiliam

    Esse é um assunto delicado(ui!), se fazem um jogo curto chove de reclamações de players, mas a questão de ter de ficar upando seus carinhas pra poder avançar dá no saco as vezes.
    Eu tambem adoro os jogos da square, mas ela apela tem hora, bem que o final XII podia ser parecido com o VII no quesito levelling, onde os inimigos acompanham o mesmo level do Squall.
    Pelo menos os videos agora podem ser pulados!

  • Mais um comentário citado em texto para a coleção, he he he.

    Quando eu tinha meu SNES a única coisa que me fazia demorar terminar um jogo era Killer Instinct.

    A vantagem de ter jogos tão demorados é que eu demoro mais pra gastar e queimar CDs e consigo fazer com que 5 jogos no HD do meu PC durem uns três anos.

  • Juninho2v

    “Já perdi o foco. Puta merda, é só ver uma calcinha que eu esqueço o que tô fazendo.”

    Pra ir vestir?

  • joao

    jogo pequeno e divertido COM MULTIPLAYER,de preferencia.

  • Eu devo ter passado + de 200 horas jogando Conter Strike 1.6 (1.6!!!). Sem enrredo, sem videos, sem compromisso com final ou subir de level, somente ação, facadas, headshots, noobs, lag, + noobs, palavrões, e alguns xiters aqui e ali, é um dos melhores jogos pra matar tempo q existe, na minha opnião.

  • B-prime

    é isso ai, afinal,
    vc quer pagar o jantar ou f*der???

  • Angelo Dias

    Wow. Eu não terminei FFXII por causa disso mesmo. Passei um tempo fora de casa, e quando voltei, QUEM DISSE QUE EU LEMBRAVA o que eu tinha feito 70 horas atras? E quem disse que eu QUERIA voltar a jogar????
    Jogo bom mesmo foi God Of War. 10 horas de ação, sangue, threesomes e muiiiiita violência. Desculpem-me, mas o “herói” do FFXII NÃO COME a Penedo (penedo é o nome??). Então, games curtos e com muita violência são bons.
    Mas…
    (sempre tem um mas)

    Games longos COM FLUÊNCIA são bons. Oblivion é um deles. Travou? Vai fazer side quest e ganhar levels. Quer outro jogo gigantástico: Metal Gear (todos). Grudado na tela do início ao fim.

  • Caio, The Eldar

    mas tb tem gente que já não gosta mais de jogo curto. Aliás, tem um camarada meu que terminou o Ratchet&Clank no PS3 em aprox. 18horas e achou o jogo curto demais. eu tb tenho um PS3 e li num forum do “Resistance: Fall of Men” o pessoal descendo o kct pq o jogo (da parte da historinha, claro) tinha pouco mais de 14 horas.

  • Eu tinha mais de 400 horas em Pokemon Sapphire, e era muito feliz.

  • Java

    CARA, não sei quem comprou quem mas, desde que square soft se tornou square enix, a série final fantasy fico completamente CAGADA, veja o que é FFX-2, é divertido bacana MAS VC JA VIU TUDU AKILO EM FFX E PIOR QUE PRECISA FICAR VOLTANDO NOS MESMO LUGARES 500VEZES, agora o que é Final Fantasy XII, KRALHO PORQUE ELES TÃO USANDO TODOS, EU DISSE TODOS, OS PERSONAGEN DE FINAL FANTASY TACTICS ADVANCED? PORQUEEEEEEEEEE????? MUDARAM O SISTEMA DE BATALHA A HISTORIA OS PERSONAGENS PRINCIPAIS COLOCARÃO EM GRAFICO MELHOR E CHAMARAM DE FF12… PORRA PUTAMERDA FILADAPUTA…. desculpem os palavrões mas é a verdade…. xD

  • Matogrossense

    É por isso que agora só jogo FPS online.. os malditos me fizeram migrar pra esse tipo de jogo, e ser obrigado a aguentar pessoas de verdade (o que por si só já é uma puta merda do caralho, afinal, quando vou jogar quero desestressar, e não estressar mais com os noobs e pessoas em geral, que são desprezíveis)

    Apesar dos pesares, pelo menos só tem porradaria!

  • Leef

    Ah, não adianta, nós reclamamos porque estamos velhos e não temos mais trocentas horas para investir em um jogo…se eu tivesse nos meus 13 / 14 anos eu ia amar um jogo desse tamanho, não importando o lvl griding e afins.

    Até porque quando o sistema de batalha é bom mesmo matar monstro normal fica divertido (achei twilight princess otimo nesse aspecto).

    De qualquer modo, faltam jogos mais descompromissados mesmo, parece que todo mundo hoje em dia quer fazer coisas megalomaniacas e esquecem de quão bom podia ser um Secret of Mana, um Super Mario World ou um Street fighter 2…

    é tudo megalomaniaco.

  • llSENAll

    REALMENTE TODA SERIE FF É MUITO DEMORADA O QUE EU NAO CONSIGO ENTENDER É PORQUE JA QUE A SQUARE CONSEGUE FAZER UM RPG MUITO BOM E COM SEI LA 20 HS DE JOGO BEM JOGADO (CHRONO TRIGGER) QUE NA MINHA OPINIÃO SERIA UMA GRANDE SERIE SE TIVESSE SIDO CONTINUADO.

  • E eu ainda acho bizarro minhas quase trinta horas de Final Fantasy Tatics no portátil DS… UM PORTÁTIL, MODAFÓCA videogame pra se jogar na rua! E tudo por causa das quests, porque de jogo bruto tem umas… Três horas.

  • Bahamuto

    Por isso eu pago o maior pau pra blizzard antes da square. Você não é obrigado a assistir certas coisas, vai direto pra ação. Mesmo no WOW… vc consegue pegar lvl 70 hoje em 2 semanas facil, começando do zero!!! Se tiver amigos então, poe ae uma semana (e quem conhece wow sabe que a coisa fica tesao e realmente divertida depois do lvl maximo) =)

  • llSENAll

    É CLARO QUE A BLIZZARD É UMA GRANDE PRODUTORA MAS DAI A CITAR WOW É FORÇAR A BARRA.

  • AJ

    Qual é o seu problema com Final Fantasy XII?
    Eu zerei ele sem fazer level grinding e sem pegar os Aeons secretos (já que o jogo faz questão de não mencioná-los, os únicos que peguei foi o Addramelech e o Exodus por pura coincidência, já que o Addramelech entrei errado na cave e quase morri com o poison, e o Exodus eu encontrei enquanto liberava explorava o caminho que abri derrubando uma pedra).
    Sem contar que, não precisa mecher nos gambits, já que uma vez que você tenha Death Bringers e uma Zodiac Spear, você detona qualquer inimigo.
    O único problema que vejo eram umas hunts com um fator de sorte puro, não era “depois de 15 tentativas você achará”, você tinha que TER A SORTE de achar o clima de um jeito ou o monstro lá, se não ficar reentrando no cenário (e foi isso que me fez perder a paciência com as hunts e ir zerar logo o jogo).
    O pior defeito de FF12 são os Gambits, no meu caso, peguei a Ashe como Archer e coloquei gambits de suporte nela, enquanto um tanker usava uma Death Bringer e o escudo de NPC (não peguei o Zodiac erchceyrtguhtach) e o outro a Zodiac Spear (Necrohol of Nabudis). Os gambits deles eram basicamente: Self Bubble / Self bravery / Self haste / Foe Flying Flare / Leader Target Attack. Pronto, isso foi o suficiente para matar as três formas do chefe sem tocar no controle, o que foi deplorável.

  • Red

    achei que o tempo de duração já havia sido abordado em outros texticulos dessa serie…

    falando nisso eu zerei crises core: final fantasy VII e descobri q é um prologo do FINAL FANTASY VII e a unica versão que eu conheço é a do Playstation 1.

    Alguem sabe se vai rolar ffvii pra psp?

    E uma ideia: escrever sobre os finais mais fodas de jogos

  • Red

    vou dar 10 real pra quem ler todo o post do AJ e resumi pra mim (/eu não ler)

  • Everton

    Apesar de eu lamentar o fato que meu tempo livre pra jogo vem caindo, gosto desses jogos que prometem dezenas, ou até centenas de horas de jogo…é o que o Tchulanguero falou, uns 5 jogos duram uns 3 anos. O que me desanima é justamente isso, a tendência dos jogos é serem cada vez mais curtos. Acho que isso tá ficando assim tanto pelo fato que quem antigamente tinha tempo pra fechar um jogo de 200 horas (to com mais de 200 horas no Oblivion e ainda não explorei tudo), hoje não tem mais tanto tempo assim, e também pelo fato que fazendo jogos curtos, eles vendem mais, porque você fecha fácil um jogo e aí já parte pra outro, e então…tem que comprar (ou não).

busca

confira

quem?

baconfrito