Independence Day

Cinema quarta-feira, 15 de outubro de 2008
 Poster.

Teve um certo alvoroço na blogosfera esses dias sobre um suposto contato alienígena que aconteceria no dia 14 de outubro. Claro que blogueiros são bobinhos e divulgam essas coisas como se fossem verdades absolutas. Se isso fosse em 1996 eu diria que era um viral do filme Independence Day.

Os Estados Unidos estão prestes a celebrar o seu dia da Independência, em 4 de Julho. Dois dias antes, os sistemas de comunicação do país começam a sofrer com interferências e os satélites e radares começam a captar vários objetos estranhos ao redor da Terra.

Em meio a isso, temos o Capitão da força aérea, Steven Hiller (Will Smith), sua mulher e seu filho, que estão de mudança. O Presidente dos EUA, Thomas J. Withmore, (Bill Pullman) mantém a sua rotina de comandar a maior nação do mundo, e sua mulher Marylin (Mary McDonnel) faz aquelas viagens para assuntos sociais. Tudo tranquilo e bonito como deve ser. O técnico em comunicações, David Levinson (Jeff Goldblum) descobre que, na verdade, essa interferência é culpa de uma raça alienígena que está utilizando o sistema de comunicação da Terra para organizar um ataque em escala global, que pretende dizimar a raça humana. O exército logo entra em ação tentando manter contato, mas sabe como os aliens são, disparam um tirinho laser e resolvem o problema.

No dia 3 de julho começa o ataque. As naves começam a entrar na atmosfera terrestre e a dar as caras para os pobres terráqueos. O presidente organiza as forças armadas e o capitão Hiller vai pra sua base. E o ataque começa. Utilizando os efeitos especais mais avançados para a época, a cena de destruição das cidades é sensacional. Empire State Building é destruído, o Capitólio, a Casa Branca. Tudo é dizimado a pó e a escombros.

Depois dessa os humanos são obrigados a reagir, mas tomam um coro sensacional. Mas o Capitão Hiller usa toda a sua malemolência para derrubar uma das pequenas naves de ataque. Quando derruba, vai dar as boas vindas aos invasores. Ao melhor estilo Will Smith.

 O acorde final.

O filme então parte para a procura por fraqueza dos inimigos e como destruí-los. Coincidentemente, ou não, a batalha final acontece no dia 4 de Julho, o Independence Day americano. Um dos poucos problemas do filme é esse, o patriotismo exagerado e a metáfora porca sobre a libertação. Como em todos os filmes catástrofe, os americanos devem salvar o mundo, mostrar a sua superioridade e tal.

Se você não se preocupar com esse problema, Independence Day é diversão garantida e um dos melhores filmes catástrofe que existem por aí. Roland EmMerich é mestre quando o assunto é destruir locais famosos e nesse filme não poderia ser diferente.

Não leve o filme a sério demais. Vá a uma locadora e procure pelo VHS ou DVD. Você também pode esperar mais uma reprise na Globo, já que o filme é de 1996. Mas não se esqueça: O charuto é só depois do acorde final.

Independence Day

Independence Day (144 minutos – Ação/Sci-Fi)
Lançamento: EUA, 1996
Direção: Roland Emmerich
Roteiro: Dean Devlin e Roland Emmerich
Elenco: Will Smith, Bill Pullman, Jeff Goldblum

Leia mais em: , ,

Antes de comentar, tenha em mente que...

...os comentários são de responsabilidade de seus autores, e o Bacon Frito não se responsabiliza por nenhum deles. Se fode ae.

  • bel

    não podia ter escolhido um filme melhor. concordo com sua crítica, de que o filme é ótimo fazendo-se algumas ressalvas sobre o patriotismo. aquele discurso do bill pullman (aliás, um dos melhores presidentes americanos do cinema, na minha opinião. ele e harrison ford), antes de todos irem lutar, “TODAY IS THE INDEPENDENCE DAY”, é piegas e apelativo, mas no contexto do filme fica muito… “emocionante”

  • O melhor do filme é aquele camarada doido e cachaceiro enfiando o avião na nave e mandando os ET irem se foder…

  • Só estava esperando a lista acabar pra perguntar
    – cadê independence day?
    Que bom que o primeiro lugar superou minhas expectativas. É um otimo filme, tirando esse clichê de que em tudo que é catastrofe que acontece no mundo, só os EUA podem ser os herois que salvam a humanidade da destruição total.

  • Ziderich

    Esse não é aquele filme que o computador da nave-mãe usa Win95?

busca

confira

quem?

baconfrito